Nave Mae gigantesca e Cidade Alienigena na Lua - Parte 1

nav2Encontradas uma Nave Mãe gigantesca abandonada e uma cidade alienígena no lado oculto da Lua. Uma entrevista com William Rutledge membro da tripulação da Missão Secreta da Apolo XX (realizada secretamente e em conjunto com a URSS) em Agosto de 1976. W. Rutledge me disse que ele é agora um homem velho com alguns problemas com as suas articulações, além disso, William explicou-me que ele fica sempre nervoso quando ele escreve a respeito. É por isso que no YouTube você pode encontrar alguns erros em seus comentários (nome de usuário: retiredafb) postados com as apresentações.

“Em tempos de mentiras universais, dizer a verdade se torna um ato revolucionário”.
George Orwell Tradução, edição e imagens: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Por Luca Scantamburlo (foto) – Jornalista italiano, freelancer publicada no SITE:
Fonte: http://www.angelismarriti.it/

nav3
Por Luca Scantamburlo

De qualquer forma, aqui estão algumas palavras escritas por ele como prefácio para a sua reveladora entrevista:PREFÁCIO Para os leitores

Na entrevista a seguir concedida por William Rutledge, que vive agora na África, eu corrigi (onde eu poderia) os erros ortográficos que havia nas suas respostas (por exemplo, eu coloquei as letras maiúsculas e os apóstrofos corretos), mas Eu não mudei a construção sintática das sentenças feitas por William Rutledge. Onde eu não era capaz de compreender suas palavras, eu coloquei alguns pontos entre colchetes.

W. Rutledge me disse que ele é agora um homem velho com alguns problemas com as suas articulações, além disso, William explicou-me que ele fica sempre nervoso quando ele escreve a respeito. É por isso que no YouTube você pode encontrar alguns erros em seus comentários (nome de usuário: retiredafb) postados com as apresentações. De qualquer forma, aqui estão algumas palavras escritas por ele como prefácio para a sua reveladora entrevista:

nav4
Uma foto do interior da espaçonave, com as bandeiras dos EUA e URSS unidas, e o símbolo da Missão Apolo XX embaixo.

“Eu não uso o Inglês desde 1990, mas sim o Kinyarwanda e o francês, e eu escrevo rapidamente, às vezes estão faltando letras, porque eu estou ocupado escrevendo a próximo frase, ou o símbolo é outro no teclado que eu estou usando, mas isso é um detalhe …”

01) LS (Luca Scantamburlo) Primeiro de tudo WILLIAN, eu quero agradecer-lhe por seu tempo e disponibilidade. Significa muito para mim e, eu acho, para todas as pessoas ao redor do mundo, muito curiosas sobre o que está acontecendo no YouTube após o lançamento dos seus vídeos incríveis e as informações sobre a Missão “Apollo 20? suposta missão espacial secreta conjunta dos EUA e Rússia. Agora podemos começar a nossa entrevista.

Por causa da minha atividade profissional, vou começar a partir de um ponto de vista cético. Então, por favor, eu peço que você entenda-o. Você vai ter o espaço para resposta e para explicar suas razões. Então qual é seu nome? Quantos anos você tem e você é um cidadão americano? Às vezes o seu Inglês escrito contém alguns erros ortográficos …

Você está esquecendo suas regras de linguagem do seu país (por exemplo, você escreveu “maicroscope” em vez de “microscópio”)? Alguém na Web disse que não se parece (considerando-se seus escritos) inglês de um cidadão natural americano nativo.

nav5
Detalhe comparativo do tamanho da Nave Mãe alienígena abandonada (500 metros de altura e 3.370 metros de comprimento) encontrada no lado oculto da Lua com alguns objetos da Terra como o navio Queen Mary (comprimento) e a Torre Eiffel (altura)

WR – Eu não estou ofendido, eu gosto de dar respostas para os céticos, você não pode imaginar que tipo de mensagens que recebo. Esse é o meu nome, William Rutledge, não Rutledge Standford , esse é outro. Nasci em 1930 na Bélgica, sou cidadão americano, eu sei sobre os erros de escrita, estou escrevendo muito rápido e com problemas de artrose e estou sempre nervoso quando estou escrevendo, é como tentar conter um fluxo de água. Eu não estou acostumado mais a falar em Inglês desde 1990. Eu aprendi Kinyarwanda aqui em Ruanda e uso francês, algumas vezes uso o alemão, porque Ruanda é uma ex-colônia da Bélgica-Alemanha.

02) LS – Quanto tempo você esta residindo em Ruanda e por que você se mudou para ali?

WR – Foi uma mulher que me trouxe para Ruanda, talvez eu estava procurando por alguém igual a uma pessoa com quem eu compartilhei a minha vida antes. Pessoalmente falando, sempre fui sensível às mulheres nascidas na África. (Buzz Aldrin também sempre foi sensível, ele foi o único astronauta participando de uma caminhada após a morte de Martin Luther King, mas essa não é uma história bem conhecida). Eu lá me estabeleci com uma nova identidade, em Kigali em 1990, as ruas não têm nomes aqui. Fiquei em Nyiamirambo até 1994, a guerra me empurrou para o noroeste do país, perto da fronteira do Congo, em Kinshasa. As autoridades ruandesas não sabem sobre o meu passado, meus amigos sabem.

nav6
A foto AS15-M1333 acima é uma ampliação da região onde se encontra a nave mãe com a estimativa de seu tamanho: 3.370 metros comprimento por 510 metros de altura.

03) LS – Você pode me dizer alguma coisa sobre sua vida? De onde você é? Onde você estudou?

WR- Eu escrevi sobre isso em minhas outras respostas, Avro, Chance Vought, basta considerar que a USAF (Força Aérea dos EUA) utiliza cada pessoa que pode trazer junto as suas habilidades técnicas, pode ser branco, preto, mulher, todos os cidadãos. Foi diferente com a NASA, todos os astronautas eram estudantes da Academia de West Point, apenas Alan Bean era um artista, Armstrong era um filósofo e Aldrin um homem espiritualizado.

04) LS – Como você se tornou um astronauta para a NASA (suponho) nos anos 70?

WR – A NASA não me empregou, quem me deu emprego foi a USAF. Eu tinha trabalhado em um estudo de tecnologia estrangeira, russa, e estudei sobre o projeto N1, sobre o plano de projeto AJAX e no projeto Mig Foxbat 25. Eu tinha algumas habilidades para navegação em computadores e eu era voluntário para o projeto MOL-Gemini. A USAF me recrutou. Optei mais tarde pela Apollo 20 porque eu era um raro piloto que não acreditava em Deus (que mudou desde 1990), mas esse era um critério em 1976. Isto não era o status dos astronautas da NASA. Não acreditar em Deus fez a diferença. Isto é tudo.

05) LS – Você pode provar que você está com algumas fotos ou documentos seus, tirados durante o seu treinamento pela NASA ou mesmo antes, durante o seu trabalho nos Laboratórios Bell? Você poderia enviá-los para mim como anexos, para uma publicação?

WR Sim, vou colocá-los online, mas vou me concentrar em Leonov , para acabar com a controvérsia sobre tudo ser uma farsa.

06) LS – Quando e, acima de tudo por que você decidiu divulgar essas informações sobre essa missão espacial secreta e existe alguém te protegendo?

WR – Talvez seja o anúncio da “maravilha de todos os tempos”, o ano de 2012 está se aproximando muito rápido. Penso também que os UFOs aparecerão com mais freqüência a partir de setembro de 2007. Muitas pessoas morreram ao meu redor em Ruanda. Tenho tido mais tempo para me preocupar com isso. Sobre proteção, por favor, entenda, é difícil falar de meu arsenal.

07) LS – Após a missão Apollo 20, que aconteceu em agosto de 1976, de acordo com as informações que você nos deu, o que você fez e quando você deixou os EUA?

WR – Depois da Missão Apollo 20, várias coisas aconteceram, eu não estava ciente de como o material coletado seria usado. Pensei que a nave Space Shuttle era uma péssima idéia. Trabalhei no projeto KH 11 antes de me aposentar.

nav7
Outra foto feita de um sobrevôo da região lunar onde a nave mãe aparece minúscula no centro da região Foto AS20-1020, Apollo Image Atlas Courtesy NASA/LPI

08) LS – Nos seus escritos no YouTube, você mencionou os membros da equipe da Missão Apollo 20, entre eles há um cosmonauta soviético, Alexei Leonov. Lembro-me que ele ainda está vivo. Ele sabe o que você está fazendo na rede mundial? Você falou com ele depois de abril de 2007? E se a resposta for não, você não tem medo do que ele poderia fazer ou dizer?

WR – Leonov não está ciente de tudo isso. Eu não consegui contato com ele, nossos contatos foram totalmente perdidos em 1982, 1984. Fui para os Urais em 1995 ou 1994, não me lembro, respondendo a um convite, mas estava uma grande confusão por aqui, eu cruzei Moscou quando os tanques estavam atirando no parlamento russo. Não poderia imaginar a reação dele. Se ele descobrir os vídeos sem uma preparação, ele pode confirmar ou deixar rolar. Se ele for preparado e avisado, ele pode negar.

09) LS – Uma pergunta sobre as legendas nos diálogos das “cenas da nave espacial”, você os fez ou foram outras pessoas que os fizeram? Há alguns erros (por exemplo, o pronome pessoal é “I”(Eu), com a letra maiúscula, e não “i”, como lá está escrito com minúscula) E sobre os diálogos originais? Estavam na filmagem? Teve problemas com a codificação durante a transferência?

WR – Sim, muitos problemas. As legendas foram feitos apenas depois da transferência, tenho que trabalhar à distância, estarei de volta em Ruanda em julho. Pedi para colocar o material do sobrevôo da nave rapidamente, eles fizeram as legendas em uma hora, a abertura para 1.8 não está no lugar correto, há erros, mas isso não me espanta. A menção à Apollo 11 no começo do filme me surpreendeu, isto está no filme original, um internauta me avisou. Os filmes não são da primeira geração, alguns deles foram copiados em 1982, eu tenho certeza disto, alguns tem o fundo azul a partir do final dos anos 70.

nav8
Imensas estruturas de restos de construções abandonadas existentes na Lua e encontradas pela Apollo XX.

10) LS – Existe nos diálogos entre os astronautas e o controle da Missão, algumas expressões que não entendo: por exemplo, “CSM”, “DSKY” e “Vanderberg 20”. Eu poderia imaginar que “DSKY” é sobre a posição na Lua (perto da cratera Izsak) e o “Vanderberg 20” é do controle da missão, localizado na base da Força Aérea em Vanderberg, na Califórnia. Voce poderia explicá-los?

WR – CSM é Command Service Module (Módulo de Comando de Serviço), DSKY era o computador “DiSplay KeYboard” exibição do teclado, usávamos muito os acrônimos: AGC é Apollo Guidance Computer Computador de Orientação da Apollo o mesmo que DSKY, mas localizada dentro da nave da Apollo e unida a um telescópio ([… ] no LM). Em alguns vídeos, as primeiras imagens que você vê é o painel com linhas DSKY com “prog”, que indica o programa em execução que está correndo em verbo, o substantivo verbo indica o que o DSKY tem para fazer e mostrar.

Antes de filmar tive que entrar no verbo 15 (MET, mostrar, o tempo decorrido da missão, ou horas, minutos e segundos desde a decolagem, e depois substantivos para exibição de 65 linhas por lá, as horas estão na primeira linha, minutos na segunda e na terceira estão os segundos e as dezenas de segundos). Então, em cada filme nós colocamos a data no começo da exibição, MET (o tempo decorrido da missão-Mission Elapsed Time) horas desde a decolagem. No filme de sobrevôo da espaçonave, o computador indica 144 horas se me recordo bem. Capcom (CC) é a função do único encarregado da transmissão oficial para os astronautas.

Ele garante todas as informações e as transmite para os astronautas, as notícias do solo, instruções para correções, chamadas para acordarem, há três pessoas se revezando. A síntaxe era “Vandenberg” chamando Vandenberg próximo “vinte”, chamando um de “vinte”. Isto se invertia quando começava da terra: Capcom – Vinte ou às vezes EEcom-Vinte Guido- Vinte quando tínhamos um trabalho especial para fazer, entrada numa doca, correções. Quando o desencaixe era feito, as comunicações eram diferentes. Vandenberg Constelation (nome da espaçonave Apollo), Vandenberg Phoenix (nome do LM-Módulo lunar). O nome da nave da Missão Apollo 19 era Endymion e Artemis era o nome do modulo lunar.

nav9
Foto da cidade “A Catedral” encontrada na superfície oculta da lua pela Apolo 20

11) LS – Eu gostaria de saber algo mais sobre a preparação da missão “Apollo 20”. De onde e quando o foguete Saturno V foi lançado e quantas pessoas estavam envolvidas nesta missão secreta. Voce poderia nos dizer alguns nomes?

WR – Cerca de trezentas pessoas estavam envolvidas na preparação e havia mais algumas outras testemunhas na Base de Vandenberg. Ele foi lançado desta Air Force Base. Mais e mais testemunhas chegaram, muitas pessoas viram o lançamento, câmeras foram proibidas em todas as redondezas da Base de Vandenberg, mas hoje muitos filmam os lançamentos de cada foguete de suas cidades. Outras pessoas também viram este lançamento, mas não estavam sabendo que era de um foguete Saturno 5.

Um internauta vendo o vídeo do lançamento disse que era o lançamento de um Saturno 1B . Se hoje, com todas as informações disponíveis, alguém ainda comete tal erro, você pode imaginar como era isso em 1976. A preparação foi longa, sujeita a cancelamentos, novas datas de lançamento. Os Russos tinham as primeiras informações desde 1966, eu não sei quais foram suas fontes.

12) LS – Voce pode me dizer alguma coisa sobre a colaboração russa na Missão Apollo 20?

WR – James Chipman Fletcher para os EUA e Valentin Alexeiv para a Rússia. Werner Von Braun foi um dos felizes espectadores. No Capcom tínhamos o Charles Peter Conrad e o James Irwin.

nav10
Carpent tua poma nepotes: o logo da missão APOLLO XX.

13) LS – Diga nos alguma coisa sobre as missões “Apollo 18” e “Apollo 19”, especialmente sobre esta última e seu fracasso. Eram missões secretas com o mesmo objetivo da “Apollo 20”? Conte-nos sobre sua ex-namorada, Stephanie Ellis, “a primeira mulher americana no espaço”, de acordo com o que você me escreveu em uma carta anterior. A história oficial do espaço não a inclui como uma astronauta…

WR – A Apollo 18 foi o primeiro projeto Apollo-Soyuz, a Lua de Mel antes do pouso na Lua e foi apresentado com um simples “aperto de mão” na missão de 1975. As missões Apollo 19 e Apollo 20 foram missões perigosas. No vôo de longa duração, a pressão do Helio era muito alta no LEM, um disco de segurança tinha que estourar se a pressão estivesse alta, mas os motores ficariam inúteis depois disto. Por isso foram trocadas na Apollo 19 e 20, mas não foram testadas no espaço antes. Estava tudo certo, mas… só no papel. De qualquer maneira não tivemos problemas com isso.

Foi uma missão longa, sete dias programados na Lua, cada raio de luz foi usado enquanto subíamos. A Apollo 19 teve uma perda de telemetria, um brutal fim da missão sem dados. Agora a verdade é desconhecida, mas parece que foi um fenômeno natural, uma colisão com um “quasi-satélite” como Cruithne, ou um meteoro (eu acho que essa é a probabilidade mais alta). O objetivo da Missão era o mesmo, o pouso era no mesmo local, o programa de exploração era diferente, eles tinham um grande trabalho para fazer com o rover, explorando o teto da nave e escalando na “colina de Mônaco”, (eu vou ter que colocar um mapa lunar on-line).

Nenhum astronauta americano está registrado, descobri isso desde que muitas pessoas encontraram diversos William Rutledge na NASA. Posso ser encontrado na lista dos pilotos de teste de Chance Vought, no centro de consulta de registro de James Forrestal. Eu estava envolvido em Mecânica dos Fluidos. Meu chefe era Bogdanoff (nada em comum com o cientista Bogdanoff).

nav11
Esquerda: Foto AS15-P-9625 da NASA/USRA – À direita foto da tripulação Missão Apolo 20

Stephanie Ellis nasceu em Abidjan (Costa do Marfim) em 1946, chegou à América com sete meses de idade. Ela era uma especialista de LM-Módulo Lunar, trabalhou com Grumman Bethpage para novas implementações no sistema de navegação dos LM (note que LM-15 foi oficialmente destruído por Grumman). Ela contribuiu para depurar o programa Luminary. As Missões Apollo 19 e 20 tiveram sérios problemas com a entrada na doca e de acoplagens. O conhecimento técnico dela era tão bom quanto o de Roger Chafee.

Ela era uma pessoa maravilhosa e engraçada também. Eu tenho algumas fotos dela no LEM e algumas entradas no filme de 16 milímetros. Eu não vou mostrar os outros membros da tripulação. Colaborações dos russos: eu não sei como, mas os russos já estavam informados da presença de uma nave alienígena no lado oculto da Lua (N.T. Os russos sabiam por que em uma de suas missões de exploração lunar a sua nave acabou acidentalmente aterrissando no lado oculto da Lua antes ainda da primeira alunissagem dos americanos e seus tripulantes (um cosmonauta russo morreu) descobriram a nave e cidade abandonadas, mas isso é outra HISTÓRIA…) .

A nave Luna 15, se acidentou em julho de 1969 apenas ao sul do nariz da espaçonave abandonada na Lua. Era uma sonda similar a Ranger ou Orbiter lunar. Os russos forneceram mapas e quadros precisos da área. O centro das decisões da missão estava nos Urais, na cidade de Sverdlovsk. O chefe do programa era o professor Valentin Alekseiv, que mais tarde tornou-se presidente da academia de ciência dose Urais. Leonov foi escolhido por causa de sua popularidade de líder do pessoal comunista, e secundariamente porque ele estava na equipe da missão Apollo-Soyuz.

Em 1994, encontrei de novo o professor Valentin Alekseiv nos Urais, em Yekaterinburg, e ele tinha um modelo da nave feito de malaquita com incrustações em ouro em cima de sua mesa. Eu poderia lhe contar cem historias sobre como os Russos queriam nos impressionar. Por exemplo, quando eu fui para a academia dos Urais pela primeira vez, meus pés colaram no chão, pois eles tinham colocado verniz no piso, que ainda não estava seco, eles queriam nos mostrar seus novos escritórios, ele fizeram tudo isso do “jeito russo”, muito rapidamente, com grande quantidade de verniz, sem estar completamente seco quando chegamos.

nav12
Outra foto da cidade lunar (A Catedral) encontrada na face oculta da lua pela tripulação da Missão Apolo 20

14) LS – Há alguém nos EUA, na Rússia ou na Europa que possa confirmar a sua história? E você não tem medo que alguém possa ameaçar seus amigos ou parentes?

WR – Nos EUA, honestamente, não sei quem estaria vivendo lá agora. Conrad morreu de uma maneira estranha, a morte dele foi terrível. Irwin está morto, acho que Van Braun e James Fletcher também. Leona Marieta Snyder está viva, nos comunicamos e ela me apóia neste trabalho. Na Rússia tem o professor Valentin Alekseiev e Alexei Leonov. Leonov é aposentado, não estou certo disso, mas é por causa dos problemas de saúde dele. Sobre segurança, sem problema já que vivo em Ruanda, eu tive problemas agora só na Europa, minha família está morta.

Fui para Ruanda em 1990, e lá fiquei durante três anos. Os meses de abril a julho foram os piores da minha vida, mas agora tenho amigos verdadeiros na comunidade Tootsie e no governo. (Eu não sou conhecido em Ruanda como William Rutledge e cidadão Americano, tenho uma vida toda nova) Mantive minha bandeira da Lua, tecido de nome Beta e equipamentos al7b com poeira original da lua.

15) LS – O que você sabe sobre o relatório não oficial do Instituto de Pesquisa Warwick no Programa de Aclimatação Público lançado em 1992 para o MUFON?

WR – Não tinha conhecimento desta informação, pois 1992 foi um ano muito difícil para mim, eu estava desconectado de tudo isso, você pode me dar um link?

16) LS – Agora podemos discutir sobre a “Nave Mãe alienígena abandonada” e “a cidade” no lado oculto da Lua. Você entrou dentro da nave espacial? Qual o tamanho dela? Voce encontrou algo lá dentro?

WR – Nós entramos dentro da Nave Mãe gigante, e também dentro de uma outra espaçonave, triangular. As principais partes da exploração eram essas. Era uma nave mãe muito antiga que cruzou o universo à pelo menos um bilhão de anos atrás (estimados 1,5 bilhões). Havia muitos sinais biológicos dentro, antigos restos de vegetação em uma seção de “motor”, rochas especiais triangulares que emitiam “lágrimas” de um líquido amarelo que tinham algumas propriedades medicinais especiais e, claro, sinais de criaturas extra-solares. Encontramos restos de pequenos corpos (tamanho de 10 cm) vivendo em uma rede de tubos de vidros da espaçonave, mas a principal descoberta foi de dois corpos, sendo que um intacto.

17) LS – Você visitou a “cidade” na Lua? Onde ela fica? Você entendeu se havia alguma conexão com a nave espacial? A “cidade” e a “nave” ainda estão lá?

WR – A “cidade” foi nomeada na Terra e programada como Estação One, mas pareceu ser um lixo espacial real, cheio de pedaços, peças de ouro, somente uma construção parecia intacta (nós a chamamos de Catedral). Fizemos fotos com pedaços de metais, e cada pedaço era revestida de um tipo d escrita, expostas ao sol. No vídeo feito pelo rover, as lentes das telefotos fazem os artefatos parecerem maiores.

PARTE 2

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Publicidade