Seres Infinitos não Usam Rótulos

rotulivre“Nunca pertença à multidão; nunca pertença a uma nação; nunca pertença a uma religião; nunca pertença a uma raça. Pertença a toda a existência. Por que limitar-se a coisas pequenas? Quando o todo está disponível” – Osho. Essa citação é a solução para quase todos os conflitos no planeta Terra. Um ser que não se relega a um rótulo é um ser livre. Um ser que não se identifica com um rótulo não pode ser manipulado por forças externas. A táctica de dividir e conquistar tem sido muito utilizada para manipular a humanidade. E continuará até pararmos de identificarmo-nos com rótulos.

A separação é uma ilusão (o entrelaçamento quântico é a prova disso). Quando vês que tudo está conectado, quando vês todos como um aspecto de ti mesmo, como podes possivelmente fazer mal a alguém?

“Aquele que experimenta a unidade da vida vê seu próprio Eu em todos os seres…” – Buda

A maioria das pessoas mais influentes não atribuíram rótulos à sua identidade. Gandhi não era “pró-Indiano” ou “anti-Britânico”, mas sim pró-liberdade. Martin Luther King Jr. não era “pró-negro” ou “anti-branco”, mas sim pró-liberdade. Jesus não era um Cristão e Buda não era Budista (se existiram). Leonardo Da Vinci não poderia possivelmente ser categorizado. O seus espíritos não podiam ser confinados num rótulo. Todas essas pessoas eram incrivelmente únicas e partilharam a verdade do amor incondicional para todos.

“Considero-me um Hindu, Cristão, Muçulmano, Judeu, Budista e Confuciano” – Mahatma Gandhi

Não podes ser simultaneamente o observador e o objecto visto. Podes ver o teu corpo, porém não és o teu corpo. Podes observar os teus pensamentos, porém não és os teus pensamentos. És consciência. Por que limitar-te a coisas estúpidas? Quanto mais pensares a nível global, menos relevante serão os rótulos triviais de auto-identidade.

No entanto, seria extremamente insensato dizer que não existem pessoas ignorantes que se identificam com rótulos e atacam aqueles que poderiam ser consideradas um rótulo diferente. Mas será que podes controlar como eles pensam? Claro que não. Só podes controlar como pensas. A tua existência está baseada na forma como as outras pessoas te vêem? Se assim for, então estais submisso a estas pessoas.

Se esperares que os outros mudem para que tu mudes, então adivinha? Isso nunca vai acontecer. Nada muda quando há difusão de responsabilidade. No fundo, nenhum de nós quer conflito. Ninguém quer viver numa sociedade do tipo “nós contra eles”. Nenhum de nós quer. Mas tu acreditas na falsa crença de que “eles” têm que mudar primeiro, em vez de seres tu mesmo a mudança.

Há uma razão pela qual Gandhi disse: ” Seja a mudança que você deseja ver no mundo ” em vez de “Deseje que o mundo em torno de ti mude.”

A mudança começa com o (ser infinito tendo uma experiência como um) homem no espelho. Viva como se estivesses a dar um exemplo de como gostarias que todos vivessem . Não fazendo isso, significa que acreditas que a tua realidade está para além do teu controlo . Acreditas realmente nisso?

Se não assumires a responsabilidade pessoal de ser um modelo para a mudança que queres ver, estás efectivamente a exteriorizar o teu poder. E deste modo, não só te tornas uma vítima perpétua, mas estás vulnerável a ser manipulado por agendas ocultas.

Deves estar a pensar, “Sim, eu gostaria de ser um sonhador e imaginar que sou um ser infinito, porém, existem pessoas por ai que provavelmente me matarão simplesmente porque a minha pele é mais escura do que a deles”. Infelizmente isso é verdade em muitas partes do mundo. Mas eis aqui a minha pergunta… deixarás que a mentalidade da ignorância determine como te vês?

Que se dane o rótulo. Simplesmente seja.

Não devemos tolerar a injustiça. Martin Luther King Jr. disse que “A injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em todos os lugares.” Isto porque estamos todos conectados. E tão pouco devemos tolerar a separação, pois esta é a principal razão por trás das injustiças.

Ficar ressentido com a injustiça é por-se no nível da ignorância que a criou.

“A melhor vingança é agir diferente daquele que te feriu…” – Marco Aurélio

Devemos crescer e não permitir que sejamos arrastados para a areia movediça da ignorância.

A escuridão não pode expulsar a escuridão, apenas a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio, só o amor pode… Martin Luther King.

Seja a mudança

Um

PS – Uma nota sobre a cultura…

Só porque não te identificas com um rótulo não significa que podes deitar a cultura pela janela fora. Não identificar-se com rótulos dá-lhe a liberdade de não estar confinado aos limites de uma cultura e, como disse Bruce Lee: “Absorva o que é útil, descarte o que não é, acrescente o que for exclusivamente seu”. * Sim, a palavra liberdade também é um rótulo. Mas é um que precisamos transmitir a sua mensagem dentro dos limites da língua. Além disso, ninguém se apelida de “liberdade”, que na verdade até pode ser interessante.

(Waking Times)

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Publicidade