O Dízimo do deus Mamon

dizimamomMamon é um termo, derivado da Bíblia, usado para descrever riqueza material ou cobiça, na maioria das vezes, mas nem sempre, personificado como uma divindade. A própria palavra é uma transliteração da palavra hebraica "Mamom", que significa literalmente "dinheiro". Como ser, Mamon representa o terceiro pecado, a Ganância ou Avareza, também o anticristo, devorador de almas, e um dos sete príncipes do Inferno. Sua aparência é normalmente relacionada a...

um nobre de aparência deformada, que carrega um grande saco de moedas de ouro, e "suborna" os humanos para obter suas almas. Em outros casos é visto com uma espécie de pássaro negro (semelhante ao Abutre), porém com dentes capazes de estraçalhar as almas humanas que comprara.

A verdade inconveniente

O que é Dízimo? Imediatamente você poderá imaginar: 10% dos meus rendimentos para os cofres da igreja. Mas Deus ainda exige que pratiquemos alguma ordenança da lei do Antigo Testamento da qual foi instituído o dízimo, mesmo depois do sacrifício de Cristo para remir o homem do pecado. Vamos conhecer a verdade que envolve esse mito chamado dízimo que está sendo levado aos fiéis de forma desvirtuada por muitos pregadores. Porém, antes de inciarmos o nosso estudo vamos aos dicionários da línbua portuguesa. Sobre o nosso assundo, o dízimo, a décima parte, dízima, contribuição ou imposto equivalente a décima parte dos rendimentos.

dizimamom2

Como podemos observar, dízmio é a décima parte de qualquer coisa exceto dos seus rendimentos, porque a fração equivalente a 10% dos rendimentos chama-se dízima. POrque então os pregadores pedem dízimo? A confusão começa por ai, porque na Lei de Moiséis, a qual por Cristo foi abolida, Hebreus 7, 12-19, o dízimo nunca foi dinheiro para o cofre da igreja. Os dízimos aos Levitas eram 10% das colheitas dos grãos, dos frutos das árvores e da procriação de animais que nasciam no campo em determinado período. Resumindo, o dízimo era alimento destinado a suprir as necessidades dos Levitas que nâo tinham parte nem herança na terra prometida.


Vejamos Deuteronomio 14, 24-27:


"24 Mas, se o local for longe demais e vocês tiverem sido abençoados pelo Senhor, o seu Deus, e não puderem carregar o dízimo, pois o local escolhido pelo Senhor para ali pôr o seu Nome é longe demais,

25 troquem o dízimo por prata, e levem a prata ao local que o Senhor, o seu Deus, tiver escolhido.

26 Com prata comprem o que quiserem: bois, ovelhas, vinho ou outra bebida fermentada, ou qualquer outra coisa que desejarem. Então juntamente com suas famílias comam e alegrem-se ali, na presença do Senhor, o seu Deus.

27 E nunca se esqueçam dos levitas que vivem em suas cidades, pois eles não possuem propriedade nem herança próprias."


Considere a profundidade do texto bíblico onde o senhor evidencia que o lugar que escolheu o Senhor teu Deus para levar o teu dízimo for tão longeu que não os possa levar Ele instrui que o seu dízimo deveria ser vendido e o dinheiro dado na tua mão e não na mão de nenhuma outra pessoa, ir ao lugar que escolher o Senhor e coprar o que quiserem para fazer habitar ali o Senhor teu Deus.

Portanto se o dízimo fosse dinheiro o Senhor não iria mandar veder o que ja era espécie. O dízimo na Lei de Moises nunca foi oferecido da forma como esta sendo feito porque o dízimo foi destinado a suprir as necessidades dos Levitas. Mas hoje não ha mais entre nós a personagem representativa do Levita, então alguém ira usar Malaquias 13, 10 para justificar que fora ordenado o dízimo ser levado para a casa do tesouro:

"10 Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova", diz o Senhor dos Exércitos, "e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derra­mar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las."

Isso não muda nada, a finalidade do dízimo continua sendo a mesma, ou seja, prover o sustento aos levitas e amparar o órfão e a viúva. Se olharmos os livros:


Crônicas 31, 5-12

"5 Assim que se divulgou essa ordem, os israelitas deram com generosidade o melhor do trigo, do vinho, do óleo, do mel e de tudo o que os campos produziam. Trou­xeram o dízimo de tudo. Era uma gran­de quan­tidade.

6 Os habitantes de Israel e de Judá que viviam nas cidades de Judá tam­bém trouxeram o dízimo de todos os seus rebanhos e das coisas sagradas dedicadas ao Senhor, o seu Deus, ajuntando-os em muitas pilhas.

7 No terceiro mês, começaram a organizar as primeiras pilhas de doações; e no sétimo mês, concluíram a coleta.

8 Quando o rei Ezequias e os chefes observaram aqueles montões de ofertas, agradeceram e louvaram o SENHOR e bendisseram o seu povo Israel.…

9 Então Ezequias indagou aos sacerdotes e aos levitas acerca daquelas pilhas de produtos doados.

10 O sumo sacerdote Azarias, que pertencia à família de Zadoque, lhe explicou: “Desde que o povo começou a trazer sua doações para a Casa de Yahweh, tem havido o que comer e de que se fartar, e ainda nos tem sobrado bastante, porquanto o SENHOR abençoou o seu povo; e estes montões são as sobras!”

11 Diante disso, Ezequias mandou preparar depósitos no templo do SENHOR; e assim o fizeram imediatamente. 12 Ali recolheram fielmente as ofertas, os dízimos e todos os objetos e produtos dedicados. O levita Conanias foi encarregado desses deveres, e seu irmão Simei era o seu auxiliar.…"

Neemias 12,44-47:

"44 No mesmo dia foram nomeados homens sobre as câmaras do tesouro para as ofertas alçadas, as primícias e os dízimos, para nelas recolherem, dos campos, das cidades, os quinhões designados pela lei para os sacerdotes e para os levitas; pois Judá se alegrava por estarem os sacerdotes e os levitas no seu posto,

45 observando os preceitos do seu Deus, e os da purificação, como também o fizeram os cantores e porteiros, conforme a ordem de Davi e de seu filho Salomão. 46 Pois desde a antigüidade, já nos dias de Davi e de Asafe, havia um chefe dos cantores, e havia cânticos de louvor e de ação de graça a Deus.

47 Pelo que todo o Israel, nos dias de Zorobabel e nos dias de Neemias, dava aos cantores e aos porteiros as suas porções destinadas aos levitas, e os levitas separavam as porções destinadas aos filhos de Arão."

dizimamom3

Vamos enterder melhor porque Malaquias mandou levar o dízimo à casa do tesouro. A palavra diz "para que haja mantimento na minha casa", o o que é mantimento? Aquilo que mantém, provisão, sustento, comida, dispêndio, gênero alimentício, etc. Ainda segundo Crônicas 31, 13-19:


"13 Jeiel, Azazias, Naate, Asael, Maate e Benaia eram supervisores, subordinados a Conanias e ao seu irmão Simei, por nomeação do rei Ezequias e de Azarias, o oficial encarregado de chefiar a Casa de Deus.

14 O levita Coré, filho de Imna, guarda da porta leste, foi encarregado das ofertas voluntárias feitas a Deus, distribuindo as doações dedicadas a Yahweh e as ofertas santíssimas.…

15 Sob o comando dele estavam Éden, Miniamim, Jesua, Semaías, Ama­rias e Secanias, que, nas cidades dos sacerdotes, com toda a fidelidade distribuíam ofertas aos seus colegas sacerdotes de acor­do com seus turnos, tanto aos idosos quanto aos jovens.

16 exceto os que estavam contados pelas genealogias, varões da idade de três anos para cima, todos os que entravam na casa do Senhor, para o seu serviço diário nos seus cargos segundo as suas turmas.

17 Quanto ao registro dos sacerdotes, era feito segundo as suas casas paternas; e o dos levitas da idade de vinte anos para cima era feito segundo os seus cargos nas suas turmas.

18 Os sacerdotes eram arrolados com todos os seus pequeninos, suas mulheres, seus filhos e suas filhas, por toda a congregação; porque estes se dedicavam fielmente ?s coisas consagradas.

19 Também para os filhos de Arão os sacerdotes que estavam nos campos dos arrabaldes das suas cidades, em cada cidade, havia homens designados por nome para distribuírem porções a todo homem entre os sacerdotes e a todos os arrolados entre os levitas."

A lei menciona que o quinhão dos dízimos era partilhado as comunidades dos levitas que trabalhavam nas tendas das congregações segundo o ministério que cada um recebera do Senhor.

Hoje o dízimo esta sendo direcionado para o líder da igreja ou a cúpula de uma organização religiosa onde ninguém mais sabe a que fim se destina este montante. Enfim o dízimo não foi criado para assalariar o dirigente da igreja ou para prover as despesas pessoais destes e tao pouco para realizar obras missionárias ou mesmo construir templos. No Antigo testamento o rigor da ordenança do dízimo era a garantia do mantimento em abundância. Pagava-se o dízimo para ser recompensado materialmente, mas Jesus Cristo em sacrifício vivo pagou o mais alto preço pela nossa libertação com seu próprio sangue para que recebamos a paz, a Graça e a ofernta da vida eterna.

No Evangelho de Cristo Ele nos ensina que não precisamos mais pagar o dízimo para garantir as necessidades coditianas de coisas materiais, alimento, vetimenta, etc. Jesus priorizou primeiramente a buscar o Reino de Deus e a Justiça e as demais coisas serão acrescentadas, Mateus 6. 25-33:

"25 "Portanto eu digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa?

26 Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas?

27 Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?

28 "Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem.

29 Contudo, eu digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles.

30 Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé?

31 Portanto, não se preocupem, dizendo: 'Que vamos comer?' ou 'Que vamos beber?' ou 'Que vamos vestir?'

32 Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas.

33 Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas a vocês."


E para recebermos as bençãos e as graças do Senhor ninguém precisa pagar mais nada, Mateus 7, 7-10:


7 "Peçam, e será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta será aberta.

8 Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e àquele que bate, a porta será aberta.

9 "Qual de vocês, se seu filho pedir pão, lhe dará uma pedra?

10 Ou, se pedir peixe, lhe dará uma cobra?


Porque é Ele que nos dá a vida, a respiração e todas as coisas, Atos 17,25:


25 Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas;


Os dízimos antes da lei, o dízimo de Abraão, Genesis 14,18+20, Abraão deu o dízimo dos despojos da guerra ao Rei Melquesedek, sacerdote do Deus Altíssimo e foi por ele abençoado. O dízimo de Jacó, Gênesis 28, 20-22, JOcó fez um voto ao Senhor prometendo lhe dar o dízimo de tudo quanto ganhasse se sua jornada fosse por Ele protegida e abençoada e em ambos os acontecimentos não ha registro na Palavra do Senhor que tenha havido ordenanças ou determinação para que se dessem o dízimo. Especificamente nesses casos o dízimo foi oferecido de forma voluntária, espontânea ou por voto em retribuição e agradecimento, honra e glória ao Senhor Deus pelas bençãos recebidas e palas vitórias conquistadas.

Assim sendo hoje não se pode tomar como exemplo os dízimos de Abraão e Jacó como fundamento para implanta-los com regra geral de doutrina na igreja com o propósito de receber bençãos e salvação em nome de uma lei que fora por Cristo abolida. O pagamento do dízimo foi ordenado pela lei do Antigo testamento e tinha o caráter de caridade pois a sua principal finalidade era suprir as necessidades dos levitas que não tinham parte nem herança na terra prometida e também dos estrangeiros, órfãos e viúvas, Deuteronômio, 14,29:

29 para que os levitas, que não possuem propriedade nem herança, e os estrangeiros, os órfãos e as viúvas que vivem na sua cidade venham comer e saciar-se, e para que o Senhor, o seu Deus, os abençoe em todo o trabalho das suas mãos.

Esta na palavra, o Dízimo foi criado por Deus com a finalidade exclusiva de caridade aos necessitados. Hoje é empregado para outros fins, diversos daqueles que o Senhor ordenou. Mas ainda que os dirigentes das igrejas revertessem todos os tribudos dos dízimos e oferntas a obras sociais, mesmo assim ainda não estariam em conformindade com a palavra do Senhor, pois além do dízimo ter sido abolido, a caridade e o amor ao próximo é algo muito profundo, individutal e intransferível, é uma obra entre você e o Senhor teu Deus, Mateus 6, 1-4.

outro detalhe interessante que que precisamos conhecer é que quando o dízimo foi instituido pela lei com a finalidade de manter os filhos de Levi que a administravam um ministério nas tendas das congregações, os quais não receberam parte ou herança na terra prometida, o Senhor declarou que os filhos de Levi não teriam nenhuma herança no meio dos filhos de Israel, como também fora ordenado as demais tribos de Israel que dizimassem aos levitas o necessário para a manutenção cotidiana pois não possuiram nenhuma herdade.

Hoje a situação esta a revés da palavra. Os trabalhadores a maioria deles assalariado ofertam o dízimo aos que vivem sem trabalhar e em abundância de bens. O dízimo no Evangelho de Cristo, no Evangelho de Marcos 16, 15-16, disse Jesus:"Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado." Observe que o Senhor Jesus mandou pregar o Evangelho para que crendo recebamos a salvação. em Coríntios 15, 1-2, foi para isso que Ele deu a sua vida.

E onde esta a ordenança para o dízimo senão no Antigo Testamento, então porque o homem insiste em pregar e manter as ordenanças da lei, as quais foram por Cristo abolidas. Pregar a velha aliança é mutilar o Evangelho de Cristo e sobrecarregar as ovelhas do pesado fardo que Cristo levou sobre si. No Evangelho de Cristo ele nos ensina a fazer caridade, a orar, a jejuar e uma infinidade de outros ensinamentos. Porém nas únicas duas vezes que Ele se referiu aos Dízimos foi com censura, vejamos:

Mateus 23, 23:

23 "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas.

Alguém poderá considerar que Jesus ordenou que se dizimassem porque ele disse "vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas". Vamos buscar um ententimento espiritual na palavra do Mestre. Jesus era um judeu nascido sob a Lei, Gálatas 4,4, portanto viveu Jesus na Lei reconheceu-a e disse dessa forma pela responsabilidade de cumprir a lei. Vejamos, Mateus 5, 17-18:

17 "Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir.

18 Digo a verdade: Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo se cumpra.


E verdadeiramente Cristo cumpriu a lei visto que foi circuncidado aos 8 dias, foi apresentado na sinagoga, Lucas 2, 21-24, assumiu o seu sacerdócio aos 30 anos, Lucas 13, 23, curou o leproso e depois o mandou se apresentar ao sacerdote a oferta que Moises ordenou, Mateus 4, Levíticos 14, 1; e coumpriu outras formalidades da lei. Porém quando Cristo rendeu seu Espírito a Deus, Mateus 27, 50-51, o véu do templo ser rasgou de auto a baixo então passamos a viver sob a Graça do Senhor Jesus encerrando-se ali toda a ordenança da Lei de Moisés sendo abolido o antigo e sendo introduzido o Novo Testamento, o Evangelho da Graça e Salvação.

O que precisamos entender de uma vez por toda é que Cristo não veio a ensinar aos judeus a aperfeiçoar a velha aliança, Ele disse: "Um novo mandamento vos dou" João 13, 34 e se a justiça provém da lei segue-se que Cristo morreu em vão, Gálatas 2,21. Em Mateus 5,20 disse Jesus: "Se a vossa justiça não exceder as dos escribas e fariseus de modo algum entrareis no Reino dos Céus". Observe que o Senhor Jesus Cristo mandou justamente os escribas e fariseus, os quais o Senhor sempre tratava por hipócritas, falsos que cumprissem a lei de Moisés, lei que ordena o pagamento de dízimo.

Nós porém para herdarmos o Reino do Céus não podemos de forma alguma voltar no ritual da lei antiga como faziam os escribas e fariseus com hipocrisia. Precisamos exceder essa essa lei a qual foi por Cristo abolida. A Graçao do Senhor Jesus excede a lei de Moisés e todo o entendimento humano. A segunda vez que o Senhor Jesus referiu-se ao dízimo foi na parábola do fariseu e do publicano, Lucas 18, 9-14 e outra vez censurou os dizimistas, tomou como exemplo o homem religioso que jejuava duas vezes por semana e dizia ser dizimista fiel, porém exaltava a si mesmo e humilhava um pecador e suplicava a misericórdia do Senhor.

Hoje não é diferente, muitos ainda exaltam-se dizendo "eu sou dizimista fiel", mas nesta narrativa alegórica o Senhor Jesus Cristo exemplificou que no Evangelho não ha galardão para os dizimistas fiéis, ao contrário Jesus sempre os censurou. Abolição dos dízimos, Hebreus 7, 5 e os que dentre os filhos de Levi receberam os sacerdocio tem ordem, segundo a lei, de tomar os dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, Observe a palavra afirma que Moisés deu uma lei ao seu povo a qual é direcionada aos filhos de Levi especificamente aos que receberam o sacerdócio para trabalhar nas tendas das congregações, os quais segundo a lei, tem ordem de receber os dízimos dos seus irmãos.

Agora note o relato do versículo 11, Hebreus 7, 11:

"11 Se fosse possível alcançar a perfeição por meio do sacerdócio levítico (visto que em sua vigência o povo recebeu a Lei), por que haveria ainda necessidade de se levantar outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque e não de Arão?"

Hebreus 7, 12:

"12 Certo é que, quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei."

Meditando no texto acima, especificamente nesses versículos onde a palavra do Senhor assegura que os sacerdotes levíticos recebiam os dízimos segundo a lei, Hebreus 7, 5, porque é através deles, sacerdotes levíticos, o povo recebeu a lei, Hebreus 7, 11, e mudando-se o sacerdócio necessáriamente se faz mudança na lei, Hebreus 7, 12.proque se a perfeição fosse pelo sacerdócio levitico, pelo qual o povo recebeu a lei, qual a necessidade do senhor enviar outro sacerdote? A palavra não deixa sombra de dúvida que não só dízimo mas toda a Lei de Moisés foi, por CRisto, abolida. Mudou o sacerdócio, necessariaente mudou também a lei.

Se hoje usarmos essa lei que fora direcionada especificamente aos fihos de Levi, aos que receberam o sacerdócio do Senhor Deus e aplicada ao povo ela torna-se ilegítima, porque os pastores de hoje não são sacerdotes levitas e o Senhor afirmou que a lei e os profetas duraram até João. Lucas 16, 16, e mudando-se o sacerdócio necessariamente se faz mudança na lei, Hebreus, 7, 12

Portanto apenas estes três versículos: 5.11,12 do capitulo 7 da Carta aos Hebreus é o suficiene para entendermos a abolição de toda a lei e nao falarmos mais de obras mortas como o dízimo na era da graça do Senhor Jesus. A nossa maior preocupação quanto aos pregadores que tomam o dízimo dos fiéis vem insidir sobre o versículo 8 do capítulo 7 da Carta aos Hebreus, observem o porque, Hebreus 7, 8:

"8 No primeiro caso, quem recebe o dízimo são homens mortais; no outro caso, é aquele de quem se declara que vive."

Toda a cautela no que diz a palavra, nesse versiculo alusão ao REi Melquesedeke, no Evangelho de Mateus 22, 32 disse Jesus que Deus não é Deus dos mortos mas dos vivos. Os que tomam o dízimo não creem em Jesus porque a palavra esta dizendo que morrem os que assim procedem, tomando o dízimo do povo voltam a viver as ordenanças da lei de Moisés que foram por Cristo Abolidas. Diante da palavra de Deus, até onde recebemos entendimento dar e receber dízimo é obra morta, obra da justiça da lei do velho testamento. Crer e viver por esta prática é estar sem a graça de Deus pois assim explica a Bíblia. Estar sem a graça de Deus é estar morto. Certamente sem Cristo e cumprindo e se justificando pela lei qualquer homem ainda não tem a vida eterna, tanto o que dá como o que recebe o dízimo, pois a palavra afirma que nenhuma alma sera justificada diante Dele pelas obras da lei, Romanos 3, 20-28 ; Galatas 2, 16.

Considerações finais

dizimamom4

No Evangelho de Criso não há ordenança para se tomar o dízimo ou para se cumprir qualquer outro rito da lei. Jesus nos deu um novo mandamento, mandou pregar o seu Evangelho, amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, isto é, com caridade e não estipulou o percentual ou limite. Em Mateus 10. 42 o Senhor mandou dar pelo menos um copo de água, para um mancebo rico ele mandou vender tudo e dar aos pobres, Mateus 19, 21 e quando Zaqueu lhe disse que daria até a metade de seus bens aos pobres Ele não confirmou a necessidade desse procedimento. Lucas 19, 8-9, disse apenas: "Zaqueu, hoje veio salvação a esta casa".

7Muitos saem em defesa do dízimo afirmando que o dízimo é bíblico, certamente, como também é bíblico a circunsição, Gênesis 17, 23-27, o sacrifício de animais em holocausto, Leviticos 1-6, 8-13 a santificação do sábado; Leviticos 23, 3 o apedrejar dos adúlteros, etc. É biblico pela ordenança da lei que Moisés introduziu ao povo. Entao porque hoje não cumprem a lei na sua totalidade? Ao invés de optarem exclusivamente pelo dízimo, querem o dízimo porque É GARANTIA DE RENDA LÍQUIDA E CERTA TODOS OS MESES NOS COFRES DAS IGREJAS.

o Homem ainda não se conscientizou, é uma grande divisão existente na palavra separando a Velha Aliança do novo Mandamento de Jesus o qual testifica a doutrina para a salvação, Corintios 15, 1-2. Porém hoje, qualquer esforço para voltar a Lei de Moisés que Cristo desfez na Cruz é anular o sacrifício do Cordeiro de Deus e reconstruir o muro por Ele derrubado. POrtanto irmãos o preço pela nossa Salvação o senhor Jesus CRisto ja pagou o mais alto preço com Seu sangue inocente na Cruz.

O Senhor ainda alerta: "Fostes comprados por bom preço, NÃO VOS FAÇAIS SERVOS DE HOMENS." E Corintios 7, 23. O dízimo hoje é remanescene por razões óbvias, primeiramente pela contribuição dos que arcam com essa pesada carga tributária outra presunsão vem por parte dos que são beneficiados pelos dízimos, esses incorrem pelo erro pela ausência de entendimento espiritual da palavra de Deus nao diferenciando a Lei de Moisés feita de ordenanças simbólicas e rituais da Graça e a Verdade do SEnhor Jesus Cristo ou mesmo conscinte dessa prática assumem o risco dolosamente da desobediência a palavra do Senhor. Porem sendo por uma ou outra razão, o homem querendo ou não, aceitando ou não, o dízimo como toda a lei cerimonial do Antigo Testamento foi por Cristo abolida pelo derramamento o Seu Sangue na Cruz do Calvário. LUcas 16, 16; Romanos 10, 4: Efésios 12,15: Corintios 13, 14; Hebreus 7, 12-19; Galatas 5, 14. Porque toda a lei se cumpre numa só palavra: AMAR O TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO, LOUVA AO SENHOR TEU DEUS. Fiquem todos na Santa Paz


Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=Cgqg2eufwsc
          http://pt.wikipedia.org/

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Publicidade