Skull and Bones - Parte 1

bonesskA Skull and Bones (Crânio e Ossos, em português) é uma sociedade secreta estudantil dos Estados Unidos, fundada em 1832. Foi introduzida na Universidade de Yale por William Huntington Russell e Alphonso Taft em 1833. Entre 1831 e 1832, Russell estudou na Alemanha, onde supostamente teria ...

sido iniciado em uma sociedade secreta alemã, a qual teria inspirado a criação da Skull and Bones. Tal hipótese foi confirmada durante obras realizadas no salão de convenções da Skull and Bones.  Naquela ocasião foi encontrado material que se refere a Skull and Bones como o capítulo de Yale de sociedade alemã Illuminati. Essa sociedade foi tornada ilegal por efeito de um edito do governo da Baviera, em 1785, continuando entretanto a existir, como uma organização clandestina.

A sociedade foi incorporada pela Russell Trust Association, em 1856. Em 1846, Russell tornou-se membro da assembléia do estado de Connecticut e, em 1862, foi nomeado general da guarda nacional. Alphonso Taft tornou-se ministro da guerra em 1876, e depois Vice-general e embaixador dos Estados Unidos na Rússia, em 1884. Seu filho,William Howard Taft, tornou-se mais tarde, magistrado e depois presidente dos Estados Unidos. Yale é a única universidade com sociedades secretas onde são admitidos somente seniores, quer dizer antigos alunos. As duas outras são Scroll and Key ("Chave e Pergaminho") e Wolf's Head ("Cabeça de lobo"). Os candidatos são exclusivamente homens brancos, protestantes, e são originários habitualmente de famílias muito ricas. Frequentemente, seus pais já eram membros da ordem. No último ano de estudo, são denominados cavaleiros.

Influência na política

Há hipóteses de conexões da Skull And Bones com a CIA, Illuminati, Bilderbergers e com a Maçonaria. Tais teorias foram a base do filme The Skulls (Sociedade Secreta) que aborda uma sociedade secreta altamente sofisticada, fazendo uma clara alusão a Skull and Bones. A sociedade também foi incluída, assim como o grupo Whiffenpoofs, no filme de 2006 The Good Shepherd (O bom Pastor), sobre as origens da CIA, no qual o personagem principal pertence à Skull and Bones. Nas eleições presidenciais de 2004 nos Estados Unidos, tanto o candidato democrata quanto o republicano eram membros da sociedade. George W. Bush assumiu publicamente ser um membro da Skull and Bones, assim como seu adversário na Eleição presidencial dos Estados Unidos da América (2004) John Kerry.

Integrantes famosos

William Howard Taft - Secretário da guerra (1904-1908) e 28º presidente dos EUA, filho de Alphonso Taft, fundador do grupo.

William Averell Harriman - Embaixador dos EUA na URSS (1943-1946), secretário de comércio (1946-1948) e governador de NY (1955-1958)

Henry Robinson Luce - Fundador de Time-Life, um dos mais importantes conglomerados de comunicação dos EUA.

George Herbert Walker Bush - Fazendeiro e empresário do petróleo no Texas. Foi o 11º diretor da CIA e 41º Presidente dos EUA.

George Walker Bush - Governador do Texas (1995-2000) e 43º presidente dos EUA.


A Ordem Secreta


A Ordem Skull and Bones (“Caveira e Ossos”) é uma sociedade secreta estudantil dos Estados Unidos da América, que foi fundada em 1832 e introduzida na Universidade de Yale por William Huntington Russell e Alphonso Taft em 1833. Para serem aceitos, os candidatos tem que pertencer a alta aristocracia americana, ser branco e protestante, o que torna a sociedade secreta algo extremamente restrita a pouquíssimas pessoas. Além disso, seus membros tem como lema da entidade “Por Deus, pela Pátria, e por Yale”, o que nos faz perceber a adoração que eles tem pela Universidade de Yale, por se tratar do berço de suas Ordem, a colocando em destaque ao lado de Deus, e da sua Pátria.

Os rumores são de que tudo aconteceu quando Russel em 1831 e 1832 foi estudar na Alemanha, e foi justamente lá que ele deve ter tido contato e iniciado em uma sociedade secreta alemã, assim buscou inspiração para criar e fundar a “Skull and Bones”. Essa hipótese posteriormente veio a ser confirmada durante algumas obras que foram realizadas no salão de convenção da Skull and Bones. Nessa ocasião foi encontrado um certo material que se refere a tal ordem como uma ramificação da ordem secreta alemã Illuminati. Essa sociedade foi tomada como ilegal pela anunciação de uma lei do governo da Bavária em 1785, continuando sim a existir, porém agora na clandestinidade.

Há uma hipótese da ligação dos Skull and Bones com a CIA (Agencia Central de Inteligencia dos Estados Unidos), com os Illuminatis, Bilderbergs e até mesmo com a Maçonaria. Tais teorias foram a base, e expostas, no filme The Skulls, que aborda uma sociedade altamente secreta e sofisticada, fazendo uma clara alusão aos Skull and Bones. A Ordem também foi incluída no filme The Good Shepherd (O bom pastor), que conta a historia da criação da CIA, no qual o personagem principal do filme pertence a Ordem.

Nas eleições para a presidência dos Estados Unidos de 2004, tanto o candidato democrata, quando o candidato republicano assumiram publicamente serem membros da tal Ordem. Na ocasião um candidato era o ex presidente do Estados Unidos George W. Bush, e seu adversário John Kerry. Mas o incrível é que George W. Bush não foi o único de sua família a fazer parte dessa sociedade secreta. Ele ingressou na ordem em 1968, seu pai, o ex presidente George Herbert Bush, ingressou também na Ordem em 1948 e ainda é membro de um comitê dentro da ordem. Já o primeiro da família a ingressar foi o avô Prescott S. Bush que ingressou em 1917.


SKULL & BONES, Sociedade Secreta (Illuminati e NWO)

06/07/2013 - O Poder da nova “SKULL & BONES”

A CIA-Central Intelligence Agency é uma virtual reunião de classe de alunos da Yale University. Ambas as organizações têm a mesma estátua de Nathan Hale, e ambas são consideradas como um campus, o que não é uma designação usual para quartéis-generais de uma unidade governamental de inteligência. E entre a reunião de classe ativa de Yale, em Langley, ser um membro da Skull and Bones é considerado uma das mais proeminentes experiências. O diretor de pessoal nos primeiros anos era F. Trubee Davison, que se tornou o bonesman em 1918.

“DESPERTA, TU QUE DORMES, e levanta-te dentre os MORTOS (INCONSCIENTES), e CRISTO te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como NÉSCIOS, mas como SÁBIOS” Efésios 5:14,15

Post e Imagens: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O presente texto é o capítulo final do livro ”Sociedades Secretas da Elite da América”, da autoria de Steven Sora, e publicado pela Madras Editora Ltda

Um dos estranhos edifícios do Campus da Universidade de Yale lembra um mausoléu. Dentro, um jovem, um dos 15 estudantes escolhidos a cada ano, está deita­do nu em um sarcófago. Ele não está morto; está recitando uma autobiografia sexual anterior à sua “seleção” para a [sociedade secreta] Skull & Bones.

A cerimônia é chamada de “Alegria do Conúbio”, e sem dúvida ajuda no processo de vinculação, que será vitalício. Em pé, circundando-o, há 14 outros iniciados e os membros atuais, que são sêniores em Yale. As atividades tornam-se mais estranhas e diz-se que se fosse possível alguém subir no alto do Weir Hall «poderia ouvir estranhos gritos e lamentos vindos das entranhas da tumba».

Ao contrário de uma fraternidade normal, ninguém mora realmente no edifício. E também – em oposição a uma fraternidade – os iniciados da Skull and Bones ficam cada vez mais ricos e adquirem conexões que podem assegurar seu sucesso por toda a vida.

Grandes nomes são membros da S&B

O presidente George Bush anterior é um dos que se deitaram no caixão. Ele não é o único membro famoso; seu filho George W. Bush é outro. Um terceiro presidente, William Howard Taft, era um bonesman, ou seja, um “membro”, e seu pai, Alphonso Taft, foi um dos seus fundadores. As probabilidades de que três presidentes surjam de uma fraternidade que admite quinze membros por ano são infinitesimais. Mais uma vez, então, o apoio de um companheiro bonesman significa ter força (poder) política – sufici­ente para entrar na Casa Branca. A lista de afiliados da Skull and Bones representa uma das maiores concentrações de poder nos Estados Unidos. Nomes como Pillsbury, Kellogg, Weyerhaeuser, Phelps e Whitney são abundantes. Eles dominam no mundo dos negócios e também na arena política.

bones mausoléu 1

O Mausoléu da Skull & Bones da Yale University, onde acontecem os rituais de iniciação.

Além dos três presidentes, numerosos congressistas, juízes e líderes com altas patentes militares têm sido membros da Skull and Bones. O senador John Chafee, de Rhode lsland, é um dos membros. O senador Robert Taft foi um membro. O conservador William F. Buckley é um membro e também seu irmão James, o proponente da CIA.

A CIA, reduto da S &B

A CIA é uma virtual reunião de classe de Yale. Ambas as organizações têm a mesma estátua de Nathan Hale, e ambas são consideradas como um campus, o que não é uma designação usual para quartéis-generais de uma unidade governamental de inteligência. E entre a reunião de classe ativa de Yale, em Langley, na sede da CIA ser um membro da Skull and Bones é considerado uma das mais proeminentes experiências. O diretor de pessoal nos primeiros anos era F. Trubee Davison, que se tornou o bonesman em 1918. Quando a CIA fez do Chile um lugar seguro para os interesses dos homens de negócios americanos, o delegado chefe do quartel era o bonesman Dino Pionzio. O bonesman Archibald MacLeish iniciou sua carreira na inteligência transferindo-se depois para a revista Time do bonesman Henry Luce. A indicação de MacLeish para ocupar um posto de inteligência foi feita por outro membro das sociedades secretas de Yale, Wilmarth Sheldon Lewis da [também sociedade secreta, ligada à S &B] Scroll and Key (Pergaminho e Chave).

McGeorge Bundy, o homem que nos deu a Guerra do Vietnã, é um membro da Skull and Bones. William Sloane Coffin, que deixou a CIA em protesto contra a guerra, também é um membro. Russell Davenport, fundador da revista Fortune, é um bonesman. O senador John Forbes Kerry, um herdeiro da família Forbes, do comércio da China, também é um dos membros.

Outras personalidades membros da S&B

Os autores de «Wise Men, Six Friends and the World They Made» («Homens Sábios, Seis Amigos e o Mundo que Fizeram») observam que, para muitos, «a afiliação a uma antiga sociedade em Yale era o ponto crucial para o sucesso na carreira em Yale. A mais antiga e a maior, e realmente a mais legendária… era a Skull and Bones». Dois desses seis amigos mencionados no título da obra eram membros da Skull and Bones, William Averill Harriman e Robert Abercrombie Lovett. Quando Harriman trans­portava despachos secretos na Primeira Guerra Mundial, ele lhes dava o código 322, que só era conhecido pelos bonesmen. Quando a terceira esposa, Pamela Churchill, perguntou a Harriman a esse respeito, em 1971, ele lhe disse que não podia dizer nem mesmo a ela.

Para os que imaginam o que acontece por trás dos portões de ferro desse santuário quase maçônico (mas muito diabólico, mesmo), há poucas respostas, Se um bonesman está em uma sala e surge o assunto da organização, ele não só não pode responder, como também sai da sala. Os juramentos feitos entre ossos e caveiras de esqueletos de celebridades nunca foram violados. Ninguém tem esse poder.

Nos últimos anos, Ron Rosenbaum e Antony Sutton, autores de «America’s Secret Establishment» («O Estabelecimento Secreto da América»), lançaram uma luz sobre a organização secreta. A Skull and Bones é a beneficiária de um crédito dos herdeiros da Russell and Company. Não se sabe qual montante do dinheiro, proveniente da vasta fortuna do comércio com a China, que entrou na Russell Trust Association, mas cada membro selecionado para a sociedade secreta começa com 15 mil dólares e inúmeras conexões valiosas. Entre os nomes de antigos milionários estão Adams, Bundy, Cheney, Lord, Stimson e Wadsworth. Entre os nomes de milionários mais recentes contam-se Harriman, Rockefeller, Payne e Bush. Averill Harriman, da firma de Wall Street, Brown Brothers Harriman, é outro membro e o patrono da fortuna de Bush. E a Brown Brothers é o repositório dos fundos da Skull and Bones.

Um círculo fechado da e para a elite dos EUA:

Dessa notável base de poder, os herdeiros da Russell Trust mantêm o controle de um círculo fechado de poder. O círculo externo consiste em organizações existentes pelo menos na semi-obscuridade, que engloba a Comissão Trilateral, o Brookings Institute, o CFR – Council on Foreign Relations e as Round Tables of Commerce [“Távolas Redondas”] – em numerosas cidades. Estas, por sua vez, asseguram que a elite permaneça no controle dos negócios, governo, universidades e meios de comunicação americanos. De fato, uma porta giratória de membros da Trilateral e do CFR atua em postos-chave no governo e nos negócios. Eles fazem as leis. Eles se permitem o uso de instituições – isentas de impostos – para garantir que as idéias da classe dominante sempre prevaleçam, financiando pessoas e projetos “certos”. O sistema de CONTROLE E MANIPULAÇÃO da elite perpetua-se.

bones mesa redonda

Um manto de segredo protege o trabalho interno dessas organizações, porém o segredo tem sido alvo de ataques. Em abril/2001, o New York Observer e Ron Rosenbaum filmaram realmente os ritos secretos da iniciação da Skull and Bones. Usando equipamento de vídeo de visão noturna de alta tecnologia, a organização – cujos membros deram origem ao Office of Strategic Services (OSS), precursor da CIA, e preencheram inúmeros cargos de secretários em sucessivos governos e atuaram como consultores para segurança de nacional – foi espionada por eles. A cena vulgar nem precisa ser recontada nessas páginas, porém seria muito mais embaraçoso se outros meios de comunicação tivessem levado a história adiante.

Uma agenda secreta sendo implantada:

Existe uma agenda secreta da Skull and Bones? Os bonesmen «acreditam na noção de um “caos construtivo”, que justifica a ação secreta», escreve Joel Bainerman em «lnside the Covert Operations of the CIA and Israel’s Mossad» («Por Dentro das Operações Secretas da CIA e do Mossad de Israel»). A política externa dos bonesmen é quase sempre realizada segundo uma agenda secreta. Alphonso Taft era o secretário da Guerra quando pressionou McKinley a declarar guerra à Espanha. Após o assassinato de McKinley, Teddy Roosevelt assumiu e trouxe o bonesman William Howard Taft.

Outros da Ordem SB que haviam ocupado postos bélicos foram Henry Stimson, secretário de Estado na gestão de Hoover; Robert Lovett, secretário da Defesa na época da Guerra Fria; general George Marshall, que se tornou secretário de Estado de Truman; McGeorge Bundy, consultor de segurança nacional de Kennedy; e Averell Harriman, embaixador para o sudeste da Ásia durante a guerra do Vietnã. Segundo a doutrina de Stimson, deve haver guerras periódicas regulares para entreter descontentes e reunir a nação em um objetivo comum; assim, os bonesmen George H. W. Bush (Pai) e George W. Bush (Filho) preservaram a tradição com breves excursões militares na Ásia e na América Latina.

Do ópio na China, até a Time-Life

Mas até que ponto a Skull and Bones exerceu influência política sobre a história do século 20? Na Ásia, a política americana começou com a política das famílias que controlavam o tráfico do ópio da Nova Inglaterra (n.T. A principal sendo a família do judeu de origem iraquiana, feito cavaleiro pela Rainha da Inglaterra, Sir David Sassoon.

Ver mais em: http://thoth3126.com.br/o-trafico-de-opio-em-hong-kong-illuminatis/; http://thoth3126.com.br/h-s-b-c-opio-e-drogas-a-origem-do-banco-ingles/ e http://thoth3126.com.br/hsbc-bancolavanderia-do-dinheiro-das-drogas/ ).

Depois de colher suas fortunas na Ásia, as famílias voltaram a atenção para a pátria e construíram estradas de ferro, fábricas e minas. A presença americana permaneceu na China, pois missionários tentaram “reformar” os chineses para que aceitassem mais as maneiras ocidentais. Henry Luce era filho de um missionário na China. Ele foi enviado a Yale para completar a educação e foi escolhido para a Skull and Bones. Em «Whiteout: The CIA, Drugs and the Press» («Whiteout: A CIA, as Drogas e a Imprensa»), Alexander Cockburn e Jeffrey St. Clair escrevem: «O Dia da Seleção foi um ponto decisivo para Luce. Ele ansiava por ser escolhido para a Skull and Bones, a suprema sociedade de Yale, a honra máxima». Com 86 mil dólares emprestados, principalmente de outros colegas de Yale, Luce, com a ajuda de outros estudantes que serviam de assistentes, começou a revista Time, que mais tarde se tornaria a revista Life.

bones time

TIME MAGAZINE: Um grande instrumento de controle da informação e formação de opinião.

Luce casou-se com Clare Boothe Brokaw que, tanto quanto ele, se interessava pela China. Juntos, agiram em nome do China Institute of America para trazer estudantes chineses para os Estados Unidos. Luce e sua esposa eram amigos muito próximos da família chinesa Soong, cujas atividades corruptas ajudaram na ascensão do comunismo. Quando o exército de Chiang Kai-shek foi derrotado, o lobby, ou seja, o grupo de ação influente de Luce na China uniu John Foster e Allen Dulles, a família Rockefeller, Thomas Lamont e o Cardeal Spellman para granjear a assistência americana. Chiang Kai-shek perdeu credibilidade quando seu exército foi derrotado em uma batalha após a outra, e ele e sua família pilharam 300 milhões de dólares de fundos americanos. Mas Chiang Kai-shek não perderia o apoio de Luce, que ainda estava enraivecido com o fato de Mao Tse-tung tê-lo derrotado. A revista Time daria constante apoio à causa nacionalista.

De Mao Tse-tung à guerra no Vietnã

Mao Tse-tung fora aluno de Yale, talvez, em conseqüecia dos esforços de Luce na China. A Yale Divinity School havia estabelecido um número de “iliais” de escolas na China, e Mao fora seu aluno mais famoso. Mesmo não tendo sido escolhido para a Skull and Bones,quase todos os recentes embaixadores na China foram um banesman: George Bush, Winston Lord e James Lilley – todos alunos da Skull and Bones – todos embaixadores na China.

Depois de aberto o caminho por um homem franco como Luce, a América foi convocada a agir para incentivar a batalha dos franceses no Vietnã como um meio de restringir a expansão comunista. O resultado foi uma longa e indecisa guerra, além de muito cara, que custou dezenas de milhares de vidas e desencadeou a ruína na América por trazer o vício em heroína junto com os 80 mil veteranos de guerra que voltaram para casa.

O lobby da China e a Skull and Bones estavam firmemente por trás da Guerra do Vietnã e infelizmente em posição de assegurar que a guerra tivesse continuidade. Os considerados melhores e mais brilhantes, como os bonesmen McGeorge Bundy, Henry Cabot Lodge e Dean Acheson (cujo filho é um bonesman), deram maus conselhos, repetidamente, ao presidente, enquanto os americanos perguntavam-se quantas vidas mais o país seria forçado a sacrificar a 12.000 milhas de distância. A questão, todavia, era maior que a própria guerra. A CIA, impulsionada por Yale, nunca interrompera a luta e depois apoiara o exército KMT de Chiang Kai-shek, não tardando para que a guerra se tornasse uma disputa de turfe para as corporações com apostas mais altas e igualmente para os traficantes de drogas. O conflito no Vietnã era uma fonte de lucros para as corporações que recebiam o maior volume de negócios decorrentes da guerra: a Bell Helicopter Company da Textron, empresas químicas, entre as quais a Dow Chemical e Monsanto, que produziam o agente laranja e outros desfolhantes, além das empresas de construção Brown and Root, um patrocinador importante do presidente Johnson.

PARTE 2

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Publicidade