Arma de fogo em forma de celular

    celulararma1Polícia italiana encontra arma disfarçada de celular - A polícia italiana encontrou, durante uma batida em um galpão de propriedade da Camorra (a máfia da região de Nápoles), ...

    uma arma disfarçada de telefone celular. De acordo com o porta-voz das autoridades, o "celularma" estava totalmente carregado, sendo que suas capacidades eram um limite de quatro balas calibre .22 alojados na antena. Os disparos eram acionados pelo teclado do aparelho. O telefone se transforma em arma ao deslizar a parte do teclado; a antena é cano de saída dos projéteis e um toque em uma tecla específica aciona o disparo. "Esta é a primeira vez que uma arma desse tipo foi apreendida. Isso mostra a sofisticação tecnológica.Os mafiosos estão transformando a criminalidade", disse um porta-voz da polícia italiana. "Os testes estão sendo realizados, para verificar se ele foi usado recentemente, ou para ver se estiveram envolvidos em algum crime com arma de fogo", declarou ao jornal "Daily Mail".

    Leia também - O fim das lãmpadas incandescentes

    Além da arma modificada, foram apreendidos também coletes à prova de bala, munição, drogas, e grandes somas de dinheiro. Um homem, encontrado no local, foi preso, mas há suspeita de que outros três tenham escapado. Será Mesmo Verdade? - A mensagem fala de um telefone celular que dá tiros. Os filmes de James Bond, Matt Helm e Flint, por exemplo, mostram as mais disparatadas armas. Não é de admirar que um armeiro habilidoso tenha construído um revólver com a aparência de um telefone celular. Não existem, todavia, informações de que essa arma esteja sendo produzido em massa.  O celular-revólver apareceu pela primeira vez na Europa no ano de 2000 quando policiais holandeses realizavam uma batida antidrogas em Amsterdam. Pouco tempo depois, um contrabandista de origem croata foi preso com algumas dessas armas supostamente provenientes da Iugoslávia. O celular-revólver, na verdade celular-pistola, pois ele não possui o tambor, tem a mesma aparência de um telefone celular comum, mas é mais pesado e, obviamente, é incapaz de fazer ligações telefônicas

    A mensagem em circulação no Brasil é assinada pelo Capitão Francisco e Equipe. Certamente, há muitos militares com esse nome e com essa patente no Brasil de modo que a origem da mensagem fica indeterminada. De qualquer forma, a polícia não divulga alertas desse tipo e, mesmo que o fizesse, o remetente daria as informações necessárias para que se identificassem o autor, o batalhão e a qual estado da federação eles pertenceriam.

    O suposto capitão informa que

    Já foram apreendidas aqui em São Paulo duas dessas armas sendo uma delas com calibre 380 mm e outra com calibre 9 mm privativo das forças armadas.

    Segundo informações fornecidas ao InfoGuerra por integrante da polícia de São Paulo não há registros dessas apreensões. Além do mais, a arma descrita em ABCNEWS, um dos primeiros sites a noticiar essa nova arma, menciona calibre 22. Não há menção aos calibres 380 nem 9 mm.

    Ao ver o filme que mostra o "telefone" disparando quatro tiros não dá pra confirmar se, realmente, os tiros foram disparados ou se trata-se de uma montagem.

    (Os tiros são disparados ao "digitar" os números 5, 6, 7 e 8 do "telefone". Por via das dúvidas, ao usar um telefone celular de marca ou procedência desconhecida, evite apontá-lo para você mesmo ou para os seus amigos enquanto digita esses números ;<)))

    O alerta para

    que [as pessoas] tomem cuidados especialmente em semáforos

    é um tanto ocioso.

    É pouco provável que um ladrão venha a usar um revólver disfarçado de celular ou de mamadeira num semáforo ou num assalto a banco. O noticiário fala de ladrões que assaltam usando armas de brinquedo ou imitações feitas de matéria plástica.

    Leia também - Transmissão de eletricidade SEM FIOS

    Não há dúvida de que, ao realizar um assalto, o ladrão está preparado para tudo, até para matar a vítima se ela reagir. Mas, no primeiro momento, no instante do susto e do impacto iniciais, ele pretende usar a arma para intimidar e atemorizar a vítima de modo a evitar uma possível reação dela. Ao ver-se diante de uma arma, a vítima geralmente não reage e atende o "pedido" do ladrão. E essa é a recomendação que se faz às vítimas de assalto: não reagir.

    Pouca gente ficaria intimidada ou amedrontada com um ladrão a apontar-lhe um telefone celular ou uma mamadeira, mesmo que eles disparem tiros reais e mortais.

    O risco maior do uso dessa arma é para os policiais e agentes de segurança. Ao abordar algum suspeito, pode acontecer de esse suspeito querer fazer uma "ligação" telefônica de conseqüências fatais.

    Consultado sobre esse assunto, um experiente policial afirmou:

    Já [ ...] recebi mensagens com fotos do referido "revólver" (não é um revolver porque não tem "tambor" seria mais um artefato, mas é uma arma de fogo). Não vi nenhum até agora, mas acho bem crível, pois já vi até talheres-armas de fogo, bengalas, cachimbos, etc.

    Já vi dezenas de armas dissimuladas como caneta-pistola, bengala-pistola, etc.... e funcionam muito bem!


    Conclusão: a pistola disfarçada de telefone celular existe, mas não há notícias de apreensões dessa arma em São Paulo nem da existência do Capitão Francisco e Equipe. Também é pouco provável que essa arma venha a ser utilizada por assaltantes de rua.

    Fonte: http://pcmag.uol.com.br/conteudo.php?id=639
              Folha On-Line
             
    http://www.quatrocantos.com/LENDAS/96_celular_revolver.htm

     

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco