Caso Maria Engênia - Parte 1

    maria_eugenia_desenho_naveUma mulher de meia-idade conseguiu impedir que sua amiga fosse abduzida por extraterrestres, quando estes aproximaram sua nave do veículo ocupado por elas. O incidente aconteceu na madrugada de 18/12/1999, no trecho da rodovia Piracicaba-São Pedro (SP-304) quase à entrada de Ártemis, distrito da cidade de Piracicaba. O Grupo Ufo-Gênesis de Piracicaba, foi procurado pelas mulheres no mesmo dia e, durante um ano, vem estudando esse fato. Seria a primeira vez que se tem notícia de alguém impedir um rapto ...

    por seres extraterrestres. Duas sessões de regressão hipnótica confirmam que a experiência realmente aconteceu e apavorou as vítimas. Os ufólogos estimam o tamanho do disco voador em cerca de 30 metros de diâmetro.


    Trombada Iminente

     Leia também - Caso Paulo Coutinho

    De acordo com os ufólogos, inicialmente o OVNI parecia estar a cinco quilômetros de distância do carro e mostrava-se como uma "luzinha vermelha" muito bonita no céu.

    Em questão de segundos a "luzinha" aproximou-se velozmente da pista, até ficar a apenas uns poucos metros do solo, vindo de frente à trajetória do Opala. "Foi impressionante. A coisa veio de repente na nossa direção e parecia que ia bater de frente com o carro. Ocupava a pista de ponta a ponta. Nosso carro era o único que transitava no local àquela hora. Morri de medo, porque pensei que aquilo ia bater na gente", comentou Creuza. Maria Eugenia ficou ainda mais assustada, a ponto de ficar paralisada de medo e muda. Ela contou aos ufólogos que o OVNI era de cor vermelha-escarlate, algo parecido com brasa e visto bem de perto era muito grande, mostrando-se feito de um material sólido cheio de ranhuras. Em volta do OVNI, que tinha a forma de um "barco", havia uma espécie de aura dourada.

    Além do medo da colisão com o estranho objeto, Creuza e Maria Eugenia também temiam que aquilo pudesse carregar o carro, como um gigantesco imã. Quando estavam a poucos metros da entrada do distrito de Ártemis as duas decidiram sair correndo do veículo. Tiveram muita dificuldade em tirar o amigo Carlos do carro. Carlos apresentava-se sonolento demais, de uma maneira que as duas amigas nunca tinham visto, achando que pudesse ser alguma influência do OVNI, que continuava vindo em sua direção. Estranhamente o OVNI mudou de trajetória assim que Creuza apagou os faróis de seu carro. Assim mesmo, ela correu junto com os outros em direção a um posto de gasolina. Tiveram tempo de ver a nave tomar o rumo do bairro Floresta, desaparecendo no horizonte. Apesar de ter ajudado rapidamente as testemunhas, o guarda do posto não viu muita coisa. Carlos, o amigo de Creuza e Maria Eugenia, continuava sonolento e sem entender o que ocorria.

    Apesar do susto Creuza, Maria Eugenia e mais uns vizinhos decidiram fazer uma vigília na noite seguinte, na chácara situada em Ártemis. Não tiveram sucesso. Ao mesmo tempo, a quilômetros dali, em Piracicaba, o Grupo Ufo-Gênesis manteve ligado um dispositivo eletrônico usado para captar variações eletromagnéticas, com alcance de até 40 quilômetro. O Ufo-Detector, como é chamado o aparelho, foi desenvolvido por membros do grupo para captar a presença de OVNIs, o que foi conseguido em outras ocasiões. Na madrugada do domingo, porém, o Ufo-Detector não registrou nada nas imediações de Piracicaba.

    Alguns pesquisadores do grupo conversaram com Creuza e Maria Eugenia na tarde de domingo. Foram ao local fazer alguns levantamentos. Na opinião dos ufólogos, tudo indica que a nave era extraterrestre, sendo tripulada. Aparentemente, vinha de alto da serra de São Pedro, onde OVNIs são vistos freqüentemente. As pesquisas estão prosseguindo.

    Regressão por hipnose

    maria_eugenia__local_do_fato

    Maria Eugenia, que ficou bastante impressionada com a experiência, segundo relataram os pesquisadores do Ufo-Gênesis, apresentou um quadro emocional bastante instável, com dificuldades para dormir. Outro fato que chamou a atenção dos investigadores de campo foram as declarações dela e da amiga Creuza, que afirmaram estar sofrendo do mesmo e curioso fenômeno: "Não sei o que está ocorrendo; tudo que eu pego está dando choque , seja madeira ou metal, que coisa estranha, nunca tive isso..."

    Na tentativa de compreender as passagens mais obscuras da ocorrência, as investigações continuaram e, no domingo, dia 26, Maria Eugenia foi submetida a uma sessão com o hipnólogo Mário Rangel, de São Paulo, estudioso das chamadas abduções por extraterrestres, com acompanhamento e suporte do ufólogo paulista Arismaris Baraldi Dias, que já pesquisou diversos casos e atuou também como organizador do Código de Ética do Ufólogo. Além deles, estavam presentes também os pesquisadores Michel, Esdras Martins, Norberto Galani e Mauro Razera, do grupo Ufo-Gênesis.

    Durante a regressão hipnótica foram revelados novos detalhes que até então as testemunhas Creuza e Maria Eugenia não haviam relatado nas entrevistas anteriores, indicando para os pesquisadores a possibilidade de uma tentativa de abdução.

    Hipnose em Maria Eugênia:

    Leia também - O Caso Badajoz

    Mário Rangel – ...você está saindo do bar, veja isso claramente... veja claramente você saindo do bar se é sexta-feira, se é sábado...
    Maria Eugenia – sábado...

    Rangel – Que horas são... claramente... veja claramente... bem calma e tranqüila ...que horas são mais ou menos...
    Maria Eugenia – Quase 02:00 hrs

    Rangel – Quase 02:00 hrs... E aí o que é que vocês fazem....
    Maria Eugenia – Nós vamos...

    Rangel – Claramente...
    Maria Eugenia – Eu, minha amiga Creuza...um amigo... nós passamos no posto para abastecer... meu amigo ...estava saindo do posto (ininteligível...) falando que estava com sono... deitou no banco do carro...

    Rangel – Sei...
    Maria Eugenia – E aí viemos embora...vinha vindo... nós estávamos conversando...

    Rangel – Vai olhando claramente... claramente... vocês vinham conversando...
    Maria Eugenia – Conversando... eu estava olhando em direção à minha amiga... virada não é... e ela... ( ininteligível...) eu olhei... eu não olhei... minto... eu não olhei no momento... eu falei para ela que era lua...

    Rangel – Vá vendo.. acontecendo outra vez...
    Maria Eugenia – Aí eu peguei... aí ela falou... mas... que lua o que...olha lá... aquilo não é lua... aí eu olhei... aí eu endireitei... olhei de novo...

    Rangel – E o que é que era... fique bem calma...
    Maria Eugenia – Era uma coisa mais linda...

    Rangel – Fique bem calma... bem calma... tranqüila... vai contando tudo... era uma coisa linda...
    Maria Eugenia – Linda... linda... linda...

    Rangel – E daí?
    Maria Eugenia – E daí eu fiquei olhando... olhando... olhando... aquilo... nossa... lindo... Meu Deus !...Meu Deus!...

    Rangel – E agora... o que é que esta acontecendo... o que esta acontecendo? .
    Maria Eugenia – Ai... vai... vai... vai pegar...

    Rangel – Vai pegar o que?
    Maria Eugenia – Vai.... vai.... vai me matar...

    Rangel – O que é que vai te matar? ...
    Maria Eugenia – Vai... vai... vai explodir... vai explodir o carro... Não... não vou.... não... não... não vou.... não... não... não quero... não... não...

    Rangel – Quem é que esta aí?..
    Maria Eugenia –????
    (A partir desse momento Maria Eugenia entra em crise de choro e sob forte emoção, gesticulando muito, batendo no braço esquerdo. Tornou-se ininteligível durante alguns momentos de sua narração.)

    Rangel – Quem é que esta aí?
    Maria Eugenia – Não quero... eu não quero... eu não quero... eu não vou... eu não vou... me ajuda.... não... não... não ...

    Rangel – Esta acontecendo o que?
    Maria Eugenia – ... (em crise de choro)

    Rangel – Conte....
    Maria Eugenia – Eu não vou... eu não vou... não... não... Tuca, Tuca... venha... venha... venha... vem... vem...

    Rangel – Estavam te querendo te levar para onde Eugenia... quem que queria te levar Eugenia...
    Maria Eugenia – A luz...

    Rangel – A luz? A luz chegou pertinho de você?
    Maria Eugenia – A luz...

    Rangel – E daí?
    Maria Eugenia – A luz...

    Rangel – O que é que tem... e daí? E daí? Conte... o que é que aconteceu com a luz?
    Maria Eugenia – Encontro... encontro... não...

    Rangel – O que é que aconteceu com a luz? Vai contando... vai contando o que é que aconteceu... o que aconteceu Eugenia? Vai contando... você vai lembrando cada vez mais nitidamente... nitidamente... e vai contando sem sofrimento... você não sofre... você consegue contar... mas sem emoções... sem sofrimentos... conte sem sofrimento... conte o que é que aconteceu... a luz se aproximou muito e daí o que é que aconteceu? A hipnose aprofunda.... aprofunda... relaxe... relaxe profundamente... e conte isso outra vez mais claramente! Por que é que você achou que a luz iria te levar...
    Maria Eugenia – Um túnel... túnel...

    Rangel – Um túnel? O que é que é o túnel? O que é que é isso? O que está acontecendo, Eugenia? Conte bem nítido... bem nítido.... conte... o que mais que aconteceu? Você estava no banco da frente... você viu a luz... era muito bonita... ela se aproximou... e daí?
    Maria Eugenia – Não... não... não... não... não vou... me largue... não vou... eu não vou... não vou... eu não vou não... pelo amor de Deus!... não vou...

    Rangel – Para onde? Para onde? Quem quer te levar, para onde?
    Maria Eugenia – Eu não vou... não vou...
    (Aqui Eugenia entra em nova crise com fortes emoções... repetindo seguidamente que não queria ir...)

    Rangel – Alguém tocou em você? Alguém tocou em você? E daí?
    Maria Eugenia – Não vou... Tuca... venha... venha...

    Rangel – E daí? você foi? Você foi ou não...
    Maria Eugenia – Não...

    Leia também - O mito do alienígena mal intencionado. Por que Stephen Hawking está errado sobre o perigo da inteligência de extraterrestres?

    Rangel – Por que eles ficaram com medo de você? Você gritou muito?
    Maria Eugenia – Não...

    Rangel – E alguém foi?
    Maria Eugenia – Não...

    Rangel – E daí? O que aconteceu? E a luz? Como é que está a luz agora?
    Maria Eugenia – Esta indo... um túnel esta indo... túnel...

    R- O que é o túnel? ...
    Maria Eugenia – Túnel... túnel...

    Rangel – Como era o túnel? Conta para mim, como é que é o túnel que você está vendo? O que está no fim do túnel? O que você está vendo nesse túnel? Como é esse túnel? Conte... como é esse túnel que você viu? Eugenia... como é esse túnel que você viu?
    Maria Eugenia – Lá dentro...

    Rangel – O que é que tem lá dentro? Você entrou nesse túnel?
    Maria Eugenia – Eu vi lá...

    Rangel – O que é que você viu?
    Maria Eugenia – Túnel ... tinha túnel...

    Rangel – Tinha túnel? E conte como era o túnel...
    Maria Eugenia – Tinha túnel...

    Rangel – Como era o túnel?
    Maria Eugenia – Borracha...

    Rangel – Era um túnel de borracha? Você entrou no túnel e colocou a mão no túnel?
    Maria Eugenia – Borracha...

    Rangel – Era de borracha? E daí, o que aconteceu?
    Maria Eugenia – Daí...

    Rangel – A hipnose é profunda... profunda... a hipnose é profunda... profunda... o que aconteceu? O que é que houve? O que aconteceu no teu braço direito?
    Maria Eugenia – Não.... não... tira... tira... tira...

    Rangel – O que é que colocaram no teu braço direito?
    Maria Eugenia – Tira... não... tira....tira...

    Rangel – O que colocaram no teu braço direito?
    Maria Eugenia – Não... tira.... não... não... tira... tira... tira...

    Rangel – O que colocaram no teu braço direito?
    Maria Eugenia – Mão... tira...

    Rangel – Quem que colocou a mão no teu braço?
    Maria Eugenia – Tira... tira... a mão.. tira... tira a mão... tira a mão...

    PARTE 2

     

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco