Número de bruxas nos Estados Unidos já é maior do que de Testemunhas de Jeová

    brumi115/10/2015 - O número de pessoas que se identificam como "bruxas" ou "bruxos" aumentou dramaticamente nos Estados Unidos que já superam a quantidade de Testemunhas de Jeová no país. Segundo levantamento de um instituto de pesquisas em 2014 cerca de 0,4% dos americanos, aproximadamente 1,5 milhão de pessoas se identificam com a religião Wicca ou realiza no dia a dia algum ritual relacionado a bruxaria. Segundo reportagem do site de notícias evangélico Gospel Prime, os mais de 1,5 milhão de americanos que se identificam como "bruxas" ou "bruxos já e bem maior do que o número de membros da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos, que é de 1,4 milhão.

    Segundo a página oficial das Testemunhas de Jeová na internet atualmente o número de pessoas que são consideradas oficialmente como membros da organização religiosa são 1.232.293. Isso indica que o número de "bruxas" e "bruxos" são bem maiores do que de publicadores nos Estados Unidos.

    O grande número de pessoas nos Estados Unidos que estão migrando para a religião Wicca ou estão praticando rituais religiosos relacionados ao paganismo já é motivo de preocupação para os líderes das igrejas cristãs no país. Segundo, alguns líderes cristãos, o crescimento de "bruxas" e "bruxos' nos Estados Unidos está relacionado a exposição do tema na mídia. Existe um grande número de livros e filmes relacionados com o assunto no país, que tem atraído a atenção especialmente dos jovens para a magia e o ocultismo.

     

    Adesão à bruxaria cresce mais de 100% ao ano, nos EUA

     

    13/03/2017 - Atualmente, os jovens americanos são muito menos propensos a se identificarem como "cristãos" do que as gerações anteriores. Mas isso não significa que eles desistiram de procurar um significado espiritual em suas vidas. É que a Wicca, uma forma popular de feitiçaria, tem crescido em uma taxa de mais de 100% anualmente, nos últimos anos. De acordo com a American Religious Identification Survey (pesquisa americana de identificação religiosa), no período de 1990 a 2001 a média de crescimento da Wicca foi de 143% (de 8 mil a 134 mil adeptos), só nos Estados Unidos. De acordo com The Statesman, Anne Elizabeth Wynn afirma que "As duas mais recentes pesquisas de identificação religiosa americana declaram a Wicca, uma forma de paganismo, como a identificação espiritual de crescimento mais rápido na América".

    Leia também - A Santa Morte

    E isso tem acontecido num momento em que o cristianismo tem estado em declínio nos Estados Unidos. Naturalmente, outros grupos pagãos e ocultistas têm explodido em popularidade. E uma das principais razões para isso é porque muitos jovens estão buscando maneiras de se rebelar contra suas criações cristãs conservadoras. O pesquisador cristão Michael Snyder escreveu um artigo sobre o assunto para o site Charisma News. “Escrevi muito sobre como os jovens neste país são politicamente mais liberais do que seus pais e avós, e essa enorme mudança cultural em valores também tem uma dimensão espiritual”, ressalta.

    Dado alarmante

    Um estudo do Barna Group descobriu que apenas 4% dos americanos de 18 a 29 anos têm uma visão bíblica do mundo. Apenas 4%. A chocante verdade é que os valores da maioria das pessoas dessa geração se encaixam muito mais facilmente na espiritualidade pagã do que na maioria das igrejas cristãs evangélicas.

    “Se você quiser dormir com várias pessoas, isso é ‘normal’ para a feitiçaria. Se você quer usar drogas e ficar ‘doidão’ todos os dias, isso é ‘normal’ para a feitiçaria. Se você quer ser uma feminista radical pró-aborto, isso é ótimo na feitiçaria. Se você quer ser um gay exibicionista transexual, isso é mais que aceitável na feitiçaria” escreveu Michael.

    Ele continua: “Um dos grandes atrativos da feitiçaria é que ninguém o responsabiliza por nada, e você pode fazer tudo o que a Bíblia ordena que você não faça. Assim, para aqueles que desejam se rebelar contra suas criações conservadoras cristãs, se envolver na bruxaria pode parecer bastante natural”, explicou.

    Rebeldia

    O autor pontua que neste contexto, a bruxaria é uma "contra-espiritualidade para o conservadorismo religioso que definiu muitas infâncias". Alex Mar é uma autora que se tornou profundamente envolvida no mundo da feitiçaria. Mas ela não foi criada dessa forma. Na verdade, ela foi criada como cristã. Ela diz que uma vez que aprendeu a pensar por si mesmo, seus pontos de vista políticos liberais a afastaram da igreja, e essas mesmas visões políticas acabaram por despertar uma curiosidade sobre a feitiçaria. “Uma vez que eu era velha o suficiente para pensar por mim mesma, eu quebrei com a igreja sobre questões de sexualidade, casamento, o direito de escolher e o conceito de pecado”, disse.

    “Eu também não podia engolir o raciocínio por trás da exclusão de mulheres na igreja. Ao mesmo tempo, fui assombrada pela sensação de que há mistérios no universo. Quando soube que havia um movimento de feitiçaria norte-americano, que é radicalmente inclusivo, que vê as mulheres como iguais aos homens, e onde Deus talvez seja um ser feminino - fiquei instantaneamente curiosa”. Michael finaliza: “Nossas escolas públicas tornaram-se centros de doutrinação liberais que estão ensinando nossos jovens a adotar uma maneira anti-cristã de ver o mundo e toda essa propaganda está sendo apoiada pelas milhares e milhares mídias de entretenimento anti-cristão, que nossos jovens são constantemente consumindo”.

     

    Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br
               https://guiame.com.br

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco