Exorcismo - Parte 2

    exorcismo3O exorcismo  - Em janeiro de 1999, o Vaticano emitiu um ritual de exorcismo revisado para ser usado pelos padres católicos. As diretrizes para conduzir um exorcismo compreendem uma única seção no Ritual Romano (Rituale Romanum), um dos livros que descrevem os rituais oficiais da Igreja Católica. Anteriormente, o ritual de exorcismo oficial data de antes de 1614. Para realizar o ritual, o exorcista veste sua sobrepeliz e a estola roxa. O ritual de exorcismo é principalmente uma série de orações, declarações e apelos. Estas orações são livremente encontradas na "fórmula da súplica", na qual o padre pede a Deus para livrar o paciente do demônio ("Deus, cuja natureza é sempre de misericórdia e perdão, aceite nossa oração para que este Vosso criado, amarrado pelos grilhões do pecado, possa ser perdoado por Vossa amorosa benevolência"), ...

    e na "fórmula imperativa", na qual o padre exige que ,em nome de Deus, o demônio deixe o corpo do paciente ("saia, então, ímpio, saia, amaldiçoado, saia com todos os seus enganos, por Deus que quis que o homem fosse ser Seu templo"). Para ler o ritual completo e revisado de 1999, veja ministério das portas católicas: ritual de exorcismo de 1999 (em inglês).

    Além da recitação, o padre borrifa água benta em todos na sala, coloca suas mãos no paciente, faz o sinal da cruz tanto em si como no paciente e toca o paciente com uma relíquia católica (geralmente um objeto associado a um santo).

    Malachi Martin, um ex-padre jesuíta e autoproclamado (mas não oficialmente) exorcista, oferece informação extra sobre o exorcismo, mas tal informação não é endossada pela Igreja. Figura controversa no mundo católico, Martin revela no livro "Refém do Demônio" o que considera ser os estágios típicos de um exorcismo (Cuneo, 19-20):

    1. presunção - o demônio esconde sua verdadeira identidade

    2. ponto fraco - o demônio se revela

    3. conflito - o exorcista e o demônio lutam pela alma do possuído

    4. expulsão - se o exorcista ganha a batalha, o demônio deixa o corpo do possuído

    "Refém do Demônio" causou polêmica na Igreja Católica. O livro supostamente detalha exorcismos reais que Martin afirma ter realizado, auxiliado ou testemunhado. Os exorcismos que Martin descreve estão no nível de "O Exorcista" em termos de ação e violência. Foi criticado pelos católicos, que acham que Martin fez sensacionalismo e, portanto, subestimou o poder do demônio. Mas se as cenas intensas de Martin não parecem verdadeiras para a Igreja e seus seguidores, como é um exorcismo real?

    Um exorcismo real

    Em "Exorcismo Americano: expulsando demônios e a terra da prosperidade", Michael Cuneo, professor de sociologia da Universidade de Fordham, atende a todos os tipos de exorcismos. Um exorcismo oficial, sancionado pela Igreja, do qual Cuneo participou, envolveu um homem que ele chama de Warren (o possuído) e um padre-exorcista que ele chama de Padre Peter.

    A vida de Warren é difícil: ele é alcoólatra, regularmente faz sexo com pessoas que acaba de conhecer e é depressivo. Recentemente começou a ouvir vozes, ver coisas e sentir uma "insuportável pressão" em seu corpo durante a noite. Resumindo, Warren está atormentado. Seu pastor local entrou em contato com o supervisor do Padre Peter e, com o consentimento do psiquiatra, eles organizaram um exorcismo. Os seguintes detalhes de um exorcismo oficial da vida real foram extraídos de "Exorcismo Americano" (243-245). Embora Cuneo não forneça uma data, esse exorcismo provavelmente aconteceu antes das revisões dos rituais em 1999.

    No porão de um prédio, Padre Peter, em sua sobrepeliz e estola roxa, põe-se em pé bem na frente de Warren, que estava sentado em uma cadeira com a cabeça abaixada e os punhos cerrados. Cuneo senta ao lado. Padre Peter começa o ritual:

    "Deus todo-poderoso, perdoe todos os pecados de seu indigno servo. Dê-me fé constante e poder para isso, armado com o poder de Sua santa força eu posso atacar este cruel espírito do mal com confiança e segurança..."


    Enquanto falava essas palavras iniciais, o padre borrifa Warren, Michael Cuneo e ele mesmo com água benta.


    Padre Peter se aproxima de Warren, faz o sinal-da-cruz e coloca a palma da mão na testa de Warren. Warren senta perfeitamente ereto enquanto padre Peter recita as orações do ritual de exorcismo. Padre Peter apela a Cristo, à Virgem Maria e a santos que o ajudem nessa tarefa para salvar a alma de Warren. Warren continua quieto.
    "Eu te exorcizo, espírito impuro! Todos os espíritos! Cada um de vocês! Em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo: seja exterminado e expulso desta criatura de Deus..."

    Padre Peter faz o sinal-da-cruz na testa de Warren, pressiona uma relíquia contra seu peito e basicamente termina o exorcismo com:

     

    "Vá embora, sedutor! O deserto é seu lar. A serpente é sua morada. Seja humilhado e expulso. Porque ainda que você tenha enganado homens, você não pode zombar de Deus... Ele preparou o inferno para você e seus anjos".
    Padre Peter então conduz Warren para algumas orações de encerramento e leituras adicionais. Ele pergunta a Warren como se sente. Cuneo relata a resposta de Warren: "em paz", diz Warren, "mas também meio confuso". Ele achava que sairia algo de dentro dele durante o exorcismo, mas não tinha certeza.

    Warren estava possuído? Padre Peter fez com que o demônio deixasse o corpo de Warren? Há aqueles que acreditam e aqueles que não acreditam. Mas ninguém saiu ferido e pode ser apenas que Warren esteja em melhores condições por ter passado pelo exorcismo. Então, alguns podem querer saber qual é o problema.

    A controvérsia

    A batalha em torno dos exorcismos existe principalmente em duas frentes: os enormes ministérios do "exorcismo por lucro", que se espalharam nas últimas décadas, e o debate "Psicologia x Religião", que se espalhou com o advento da Psiquiatria, em 1800.

    Exorcismo por lucro

    Tão logo o dinheiro entrou na questão, os céticos ganharam terreno. O aumento dos "ministérios do exorcismo", que fazem dinheiro ao redor do mundo, guia muita gente que pode reservar julgamento para a total rejeição da validade da visão católica da possessão e exorcismo, mesmo que os exorcismos realizados por exorcistas não-oficiais não estejam ligados de forma alguma à Igreja Católica.

    Nos Estados Unidos, um popular ministro exorcista do Ministério de Bob Larson, televisiona suas conferências semanais. Nesses exorcismos em massa, nos quais grandes grupos podem receber a "taxa família" nos ingressos, o Sr. Larson exorciza os demônios de muitas pesssoas que estão em no auditório. As doações financeiras não são necessárias para os serviços dele, mas são bem-vindas.

    Sempre tem gente que quer apontar para o lucro como evidência de um motivo oculto, especialmente quando se mistura lucro com paranomalidade.

    Psicologia x Religião

    Onde uma pessoa vê possessão e parte para seu ritual de exorcismo, outros vêem doença mental. Esse é provavelmente o grande debate acerca da prática do exorcismo: pode haver explicações terrenas para o comportamento que a Igreja considera evidência de possessão diabólica.

    Várias desordens psicológicas, incluindo a síndrome de Tourette e a esquizofrenia, podem produzir os tipos de efeitos vistos em pessoas "possuídas". Pessoas com epilepsia podem, de repente, entrar em convulsões durante um ataque; a síndrome de Tourette causa movimentos involuntários e explosões vocais; a esquizofrenia engloba alucinações auditivas e visuais, paranóia, ilusões e, algumas vezes, comportamento violento. Questões psicológicas como auto-estima e narcisismo podem fazer com que uma pessoa aja como uma "pessoa possuída" para chamar atenção. Caso o paciente esteja realmente sofrendo de doença mental, a Igreja o está prejudicando, rotulando a pessoa possuída e evitando que ela procure o tratamento médico necessário.

    O cardeal Jorge Arturo Medina Estevez, apresentando o Novo Ritual para o Exorcismo para a imprensa em 1999, responde assim ao conflito [ref - em inglês]:

    "... o exorcismo é uma coisa e a psicanálise é outra. Se o exorcista tem alguma dúvida sobre a doença mental do possuído, deve consultar um especialista.Geralmente acontece de as pessoas simples confundirem problemas somáticos com influência diabólica, mas nem tudo pode ser atribuído ao demônio".

    A questão definitiva permanece: "O exorcismo ajuda ou prejudica as pessoas?". É difícil obter a documentação de alguns resultados dos exorcismos católicos romanos, prejudiciais ou benéficos. Este é o projeto: de acordo com o ritual oficial, os exorcismos são a chave inferior, não necessariamente secreta, mas não realizados em público ou em frente de representantes da imprensa, para que o ritual não se torne um "show". Os resultados não serão publicados, seja o exorcismo um sucesso ou um fracasso.

    Existe, entretanto, uma documentação considerável acerca dos resultados prejudiciais dos exorcismos realizados fora da Igreja Católica. Um incidente muito comentado aconteceu em junho de 2005 em Tanacu, na Romênia. Um padre e algumas freiras em um convento ortodoxo romeno acreditavam que Maricia Irina Cornici, uma freira de 23 anos de idade, que vivia no convento, estava possuída. Então, realizaram um ritual de exorcismo: eles a amarraram em uma cruz, colocaram uma toalha em sua boca e a deixaram sozinha, sem comida e sem água. A intenção era fazer com que o demônio deixasse seu corpo. Cornici morreu depois de três dias. As autoridades acreditavam que a jovem tinha esquizofrenia.

    Freira morre crucificada em ritual de exorcismo na Romênia

    Uma freira romena morreu depois de ter sido crucificada e amordaçada durante três dias em um ritual de exorcismo.

    Os moradores do convento no noroeste da Romênia justificaram o ritual dizendo que Maricica Irina Cornici, de 23 anos, tinha sido "possuída pelo demônio".

    De acordo com a polícia romena, a freira não recebeu comida nem água durante o tempo em que ficou acorrentada a sua cruz em uma sala fria do convento.

    Ela teria morrido de asfixia por causa de uma toalha enrolada em sua boca para que não pudesse gritar.
    Maricica tinha se juntado ao convento havia apenas três meses. Ela conheceu o convento durante visita a uma amiga que morava lá.

    Esquizofrenia

    Segundo a agência de notícias romena Mediafax, a freira sofria de esquizofrenia. Os sintomas da doença teriam levado os moradores do convento a achar que ela estava sendo "possuída".

    O padre Daniel, responsável pelo "exorcismo", defende a decisão de crucificar a freira, apesar das conseqüências.

    "Deus produziu um milagre para ela. Finalmente, está livre do mal", disse o padre à agência de notícias France Presse.

    O padre Daniel e quatro freiras da Igreja Ortodoxa Romena podem ser condenados a 20 anos de prisão pelo crime.

    exorcismo4

    Pequeno exorcismo de S.S Leão XIII  contra satanás e os anjos rebeldes. (Publicado por sua ordem em 1884, para uso público e privado, por parte de sacerdotes e leigos.) Em nome do Pai,e do Filho e do Espírito Santo. Amém. (segurar um crucifixo até o fim) Oração à São Miguel Arcanjo( de joelhos) Gloriosíssimo Príncipe dos Exércitos celestes, São Miguel Arcanjo , defendei-nos no combate contra os principados e as potestades. Contra os chefes deste mundo de trevas, contra os espíritos malignos espalhados pelos ares.     (Ef.6,10-12).

    Vinde em auxílio dos homens que Deus fez à sua Imagem e Semelhança e, resgatou com grande preço da tirania do demônio.    ( Sab,2,23-24 e I Cor 6,20).

    É a vós que a Santa Igreja venera como seu guardião e patrono, vós a quem o Senhor confiou as almas resgatadas para as introduzir na felicidade celeste. Suplicai, pois, ao Deus da Paz, que esmague satanás sob os nossos pés a fim de lhe tirar todo o poder para prejudicar a Igreja. Apresentai ao Altíssimo as nossas orações a fim de que depressa desçam sobre nós as misericórdias do Senhor. E, sujeitai a antiga serpente, que não ,e outro senão o diabo ou satanás, para o precipitar encadeado nos abismos, de modo que não possa nunca mais, seduzir as nações.      ( Apoc.20,3)

    Exorcismo  (De pé).

    (Fazer o sinal da Cruz ,sobre si próprio toda vez que na oração se encontrar uma Cruz)

    Em nome de Jesus Cristo, nosso Deus e Senhor, com a intercessão da Imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus, de São Miguel Arcanjo., dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, de todos os Santos, apoiado na autoridade sagrada:
    Da Santa Igreja ( para os leigos) .

    Do nosso ministério( para os sacerdotes),

    Nós empreendemos, com confiança, a batalha para afastar

    os ataques e as emboscadas do demônio.

    Salmo

    Levante-se o Senhor e sejam dispersos os seus inimigos !

    Fujam diante d’Ele aqueles que O odeiam !

    Desvaneçam como se desvanece o fumo. E, como se derrete a cera ao fogo, assim pereçam os pecadores diante do Rosto de Deus . ( Salmo 67, 2 e 3 )

    -Eis a Cruz do Senhor, fugi potências inimigas !

    -Venceu o leão da tribo de Judá, o descendente de Davi.

    -Que a tua misericórdia, Senhor, seja sobre nós.

    -Como nós esperamos em Ti,

    Nós te exorcizamos, espírito imundo, potência satânica, invasão do inimigo infernal, legião ou seita diabólica.
    Em nome pela virtude de Nosso Senhor Jesus Cristo +sejas desarreigado e expulso da Igreja de Deus, das almas criadas à imagem de Deus e resgatadas pelo Precioso Sangue do Divino Cordeiro. Desde esse momento, não te atrevas mais, pérfida serpente , a enganar o gênero humano, perseguir+ a Igreja de Deus e
    sacudir e joeirar como trigo  os eleitos de Deus +.

    Manda-to Deus Pai +.

    Manda-to Deus Filho +.

    Manda-to Deus Espírito Santo +.

    Manda-to o Cristo, Verbo Eterno de Deus feito carne +.

    Ele que para salvação de nossa progênie perdida pôr tua inveja-se humilhou e “tornou obediente até à morte”.    (Fil. 2,8).

    Ele que edificou a Sua Igreja sobre pedra firme e prometeu que as portas do inferno não prevaleceriam jamais contra Ela, querendo permanecer com Ela “todos os dias até ao fim do mundo”(Mat 28,20).

    Manda-to o sinal sagrado da Cruz +, e a virtude de todos os Mistérios de nossa Fé Cristã.

    Manda-to a poderosa Mãe de Deus, a Virgem Maria +, que desde o primeiro instante da sua Imaculada Conceição, pela sua humildade esmagou a tua cabeça orgulhosa.

    Manda-to a Fé dos Apóstolos Pedro e Paulo e todos os outros Santos  Apóstolos+.

    Manda-to o sangue dos mártires e a piedosa intercessão de todos os Santos e Santas +.

    Então, dragão amaldiçoado e toda legião diabólica, nós te esconjuramos :

    Pelo Deus+Vivo,  Pelo Deus+ Verdadeiro,  Pelo Deus+ Santo,

    Pelo Deus que tanto amou o mundo que lhe deu Seu Único Filho, para quem crer n’Ele, não pereça mas tenha a vida eterna ( Jo, 14-15)

    Cessa de enganar as criaturas humanas e de derramar sobre elas o veneno da condenação eterna. Cessa de danificar a Igreja e de armar laços à sua liberdade.

    Vai-te embora satanás, inventor e mestre de enganos, inimigo da salvação dos homens.

    Cede lugar a Cristo, em Quem não encontraste nada em tuas obras.

    Cede o lugar à Igreja-Única, Santa, Católica, Apostólica- que o próprio Cristo adquiriu com o  Seu Sangue. Humilha-te sob a poderosa  Mão de Deus, treme e foge à invocação, feita por nós, do Santo e terrível Nome de Jesus que faz tremer o inferno: a Quem as Virtude dos Céus, as Potestades e as Dominações estão submissas; e que os Querubins e os Serafins louvam sem cessar, dizendo:

    “Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus dos Exércitos.”

    “-Senhor, ouvi a minha oração.-

    -E chegue até Vós o meu clamor.

    -O Senhor esteja convosco...(para os sacerdotes)

    Oração final ( de joelhos)

    Oremos:

    Deus do Céu, Deus da Terra, Deus dos Anjos, Deus dos Arcanjos.

    Deus dos Patriarcas, Deus dos Profetas, Deus dos Apóstolos.

    Deus dos Mártires, Deus dos confessores, Deus das Virgens.

    Deus que tendes o poder de a dar a vida depois da morte, o repouso depois do trabalho.

    Porque não há outro Deus senão vós; e, que não pode haver outro a não ser Vós: Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis, cujo Reino não terá fim.

    Com humildade, suplicamos que a Vossa Gloriosa Majestade se digne livra-nos poderosamente, e sãos e salvos de todo o poder, laço ementira e malvadez dos espíritos infernais.

    Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém.

    Das emboscadas do demônio ,livrai-nos Senhor.

    -Dignai-vos conceder à nossa Igreja a segurança e a liberdade para Vos servir.

    -Nós Vos suplicamos, ouvi-nos Senhor.

    Dignai-vos humilhar os inimigos da Santa Igreja.

    -Nós Vos suplicamos, escutai-nos Senhor.

    (Aspergir com água benta as pessoas e o lugar.)


    O exorcismo ao longo da história e na visão espírita

    O exorcismo clássico parte do pressuposto de queexistem demônios e como tal precisam serexpulsos, diferentemente do que os fatos espíritas vieram demonstrar

    O termo exorcismo (do grego exorkismós, "ato de fazer jurar", pelo latim exorcismu) designa o ritual executado por uma pessoa devidamente autorizada para expulsar Espíritos malignos (ou demônios) de outra pessoa que se encontre num estado considerado de possessão demoníaca. Pode também designar o ato de expulsar demônios por intermédio de rezas e esconjuros (imprecações).

    Nas culturas egípcia, babilônica, assíria e judaica, atribuíam-se certas doenças e calamidades naturais à ação dos demônios. Para afastá-los, recorria-se a algum esconjuro ou exorcismo. A cultura ocidental recebeu essas idéias por meio da Bíblia e do Cristianismo primitivo.

    No Cristianismo, exorcismo (do grego exorkismós, "ato de fazer jurar", pelo latim exorcismu) é a cerimônia que objetiva esconjurar os Espíritos maus, forçando-os a deixar os corpos possessos, ou eliminar sua influência sobre pessoas, objetos, situações ou lugares. Quando visa à expulsão de demônios, chama-se exorcismo solene e deve fazer-se de acordo com fórmulas consagradas, que incluem aspersão de água benta, imposição das mãos, conjurações, sinais da cruz, recitação de orações, salmos, cânticos etc. Além disso, o ritual católico do exorcismo pode ser executado por sacerdotes somente quando expressamente autorizados por bispos.

    O Antigo Testamento, embora reconheça a atuação do demônio a partir da tentação e da queda de Adão no paraíso, praticamente não alude a uma ação maléfica direta do diabo sobre os homens. Em o Novo Testamento, que não apresenta modificações essenciais no que se refere ao exorcismo, o Evangelho de Marcos é o que insiste de maneira mais realista nos exorcismos supostamente praticados por Jesus e por seus discípulos. Em certos casos, trata-se de expulsar o demônio do corpo de possessos ou lunáticos. Em outros, da cura de enfermidades atribuídas à ação do demônio. Os evangelistas se servem dessas vigorosas ilustrações para demonstrar a vitória de Jesus sobre Satanás e também para mostrar como seu povo se libertou do pecado. "Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso" (João, 12:31). Esses milagres seriam um sinal da instauração do reino de Deus. "Se, porém, eu expulso demônios pelo Espírito de Deus, certamente é chegado o reino de Deus sobre vós" (Mateus, 12:28).

    O exorcismo na igreja primitiva

    As curas e os exorcismos foram comuns na igreja primitiva. Com o reconhecimento oficial da Igreja sob o imperador Constantino, os exorcismos carismáticos, realizados informalmente por qualquer cristão, deram lugar à institucionalização da função do exorcista. O Rituale Romanum reuniu mais tarde diversos ritos de exorcismos para situações variadas. Também as igrejas reformadas estabeleceram tais ritos.

    O racionalismo do século XVIII conseguiu explicar muitos mistérios supostamente sobre-humanos, o que também sucedeu, de modo ainda mais intenso, com a descoberta do hipnotismo e da psicologia profunda no século XIX.  A  Igreja Católica, como também algumas denominações protestantes, admite os exorcismos ordinários, contidos no rito do batismo, como símbolo da libertação do pecado e do poder do demônio. Pratica-se o exorcismo ordinário na bênção da água batismal e na sagração dos santos óleos. Os exorcismos solenes, que têm por objetivo expulsar o demônio do corpo de um possuído, são práticas raríssimas e só confiadas, mediante permissão episcopal, a sacerdotes muito experientes.

    O exorcismo católico inicia-se com a expressão latina "Adjure te, spiritus nequissime, per Deum omnipotentem" (eu te ordeno, espírito maligno, pelo Deus Todo-Poderoso). O processo pode ser longo e extenuante, chegando a se estender por vários dias. A possessão está associada ao mal. O processo de libertação é feito de forma dramática e violenta. Os exorcistas recorrem as preces, água-benta, defumadores, essências de rosas e arruda. O sal que é associado à pureza espiritual também é utilizado.

    Os adeptos do Catolicismo mantêm, no entanto, em nossa época, uma atitude dúbia em relação ao exorcismo. Se, por um lado, procuram guardar distância de sua prática, atuando mais próximos a psiquiatras e médicos e autorizando estudos para esclarecer o fenômeno, de outro lado continua a permitir, em certos casos, a prática dos rituais de expulsão. O próprio papa João Paulo II admitiu ter aplicado o ritual do exorcismo no caso de uma jovem, em 4 de abril de 1982. O papa João Paulo II teria, segundo fontes seguras, praticado o exorcismo pelo menos em mais duas ocasiões durante seu pontificado. O primeiro se deu no final dos anos 70, mas dele pouco se sabe. No último, ele atendeu uma jovem de 19 anos que, segundo a Igreja, apresentava sinais de possessão demoníaca.

    O papa João Paulo II como exorcista

    O cardeal Jacques Martin relatou da seguinte forma o exorcismo de 4 de abril de 1982, no qual João Paulo II atendeu uma mulher italiana de nome Francesca: “Ela rolava pelo chão, berrando. O papa começou a rezar, pronunciando em vão vários exorcismos, e disse à mulher: ‘Amanhã rezarei uma missa por ti’. Repentinamente, Francesca voltou ao normal e pediu desculpas ao pontífice. Um ano depois, perfeitamente curada, compareceu com o marido a outra audiência com o papa”.

    O caso da jovem de 19 anos, supostamente possessa por um demônio, não teve o mesmo final feliz. A jovem urrava palavras estranhas e dizia-se agredida por símbolos cristãos. João Paulo a abraçou e rezou para livrá-la da influência maligna,  sem  chegar  a  cumprir  os  rituais  do  exorcismo,  que são bastante


    longos e cansativos. A garota se acalmou, mas horas depois mergulhou em nova crise, sem ficar curada. A jovem, que vive na região da Úmbria, Itália, tem tido surtos desde os 12 anos. Antes de ser atendida pelo papa, foi tratada por médicos psiquiatras e também pelo padre Gabriele Amorth (foto), exorcista-chefe de Roma, sem reagir aos rituais. O padre Amorth disse, em entrevista publicada pela revista Época, ter realizado aproximadamente 50.000 exorcismos ao longo da vida,   embora   considere  que  somente  84  foram

    possessões autênticas. Segundo ele, os sintomas da possessão incluem força física sobre-humana, xenoglossia (a fala espontânea em língua que não foi previamente aprendida) e revelações de segredos sobre as pessoas.


    No Brasil, as permissões no seio católico para realização de exorcismo têm sido ultimamente raríssimas e há mesmo nesse meio os que pensam como o polêmico padre Oscar Quevedo, que diz: “Exorcismo não existe”. “Os demônios não atacam ninguém. Exorcismo é curandeirismo. É exercício ilegal da medicina.”

    A prática do exorcismo nas diferentes religiões

    Católicos - O manual do exorcismo aprovado pelo Vaticano indica como sinais da possessão demoníaca: falar línguas estrangeiras, exibir força descomunal e desproporcional ao físico do indivíduo, referir-se a coisas e lugares que o indivíduo jamais viu e repudiar Deus, Maria, os santos, a cruz e as imagens sacras. Conforme os ensinamentos divulgados pela Igreja, o ritual prescrito pela Santa Sé começa com a aspersão de água benta sobre o possuído, seguida de orações de leitura de textos bíblicos. Em seguida, o exorcista põe as mãos sobre a pessoa e invoca o Espírito Santo para que o demônio saia do corpo. A cerimônia é encerrada com a apresentação da cruz, símbolo do poder de Cristo sobre o diabo. O cânone dominicano Walker, de Brighton, que coordena o Grupo de Estudos do Exorcismo Cristão, afirma: "Normalmente, tudo que é preciso são conselhos e rezas".


    Anglicanos – O demônio, segundo os anglicanos, pode ser combatido em orações, hinos e leituras da Bíblia, mas não existe uma cerimônia específica. Os casos de exorcismo são muito raros. Quando ocorrem, o possuído é "tratado" num grupo de orações, que lhe recomenda jejum, abstinência sexual e adoração a Deus. Não existe na Igreja Anglicana um ritual específico de exorcismo; segundo a doutrina anglicana o demônio pode ser combatido com orações, hinos e leitura da Bíblia.

    Judeus - A literatura rabínica clássica não prevê a existência do demônio, por isso a religião não reconhece rituais de exorcismo. Nos séculos XVI e XVII, surgiu a figura do dibuk, Espírito perverso que podia ser expulso em ritos de oração. Para a maioria dos judeus, porém, isso é considerado apenas folclore.

    Evangélicos pentecostais e neopentecostais - Todos os males, dizem eles, são causados pelo demônio. Há tipos de possessão que estragam a vida amorosa, provocam miséria, perturbam a família. Nos cultos, os endemoninhados são conduzidos ao altar. O pastor grita com Satanás e exige que abandone o corpo em nome de Jesus. A fórmula utilizada pelas outras igrejas evangélicas é simples e, segundo eles, eficiente, baseando-se na utilização de "O nome de Jesus". A pessoa que apresenta sintomas de possessão ou infestação por demônios ou Espíritos imundos fica imediatamente libertada após a imposição de mãos e declaração verbal por parte do pastor ou autoridade equivalente na igreja, para que as entidades estranhas à pessoa se retirem.

    O que diz o Espiritismo

    O exorcismo parte da idéia de que existem demônios, mas os demônios não existem. Esses a quem a Igreja chama demônios são Espíritos inferiores e que chegam às vezes a praticar muito mal, mas são seres perfectíveis que podem ser demovidos de seus intentos negativos por força da persuasão e da prece.

    Satanás ou o diabo – que segundo a crença popular seria o chefe dos demônios – é, na realidade, um ser alegórico que resume em si todas as paixões más dos Espíritos imperfeitos. Seus chifres e a cauda são o emblema da bestialidade, da brutalidade e das paixões animais.

    Nas obsessões e na possessão, a causa é externa e tem-se necessidade de libertar o doente de um inimigo invisível, não por meio de remédios, mas por uma força moral superior à dele. Ambos, aquele que perturba e o indivíduo perturbado pelo processo obsessivo, precisam de amparo e, por isso, o objetivo da desobsessão é atender os dois, para que se reconciliem e voltem a ter uma convivência pacífica, como filhos de Deus que são. Os passes magnéticos, a doutrinação e os esforços do obsidiado por se modificar moralmente são os recursos espíritas, conforme Kardec preceitua em suas obras, sobretudo em O Evangelho segundo Espiritismo, cap. 28, itens 81 a 84.

    Sobre o assunto escreveu o Codificador do Espiritismo:

    “A cura das obsessões graves requer muita paciência, perseverança e devotamento. Exige também tato e habilidade, a fim de encaminhar para o bem Espíritos muitas vezes perversos, endurecidos e astuciosos, porquanto há-os rebeldes ao extremo. Na maioria dos casos, temos de nos guiar pelas circunstâncias. Qualquer que seja, porém, o caráter do Espírito, nada se obtém, é isto um fato incontestável, pelo constrangimento ou pela ameaça.

    Toda influência reside no ascendente moral. Outra verdade igualmente comprovada pela experiência tanto quanto pela lógica, é a  completa ineficácia dos exorcismos, fórmulas, palavras sacramentais, amuletos, talismãs, práticas exteriores, ou quaisquer sinais materiais.

    A obsessão muito prolongada pode ocasionar desordens patológicas e reclama, por vezes, tratamento simultâneo ou consecutivo, quer magnético, quer médico, para restabelecer a saúde do organismo. Destruída a causa, resta combater os efeitos.” (Obra citada, cap. 28, item 84, “Observação”.)

     


    Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Exorcismo
    http://www.cot.org.br/igreja/exorcismo.php
    http://www.fenomeno.trix.net/fenomeno_fenomenos_1_exorcista.htm
    http://pessoas.hsw.uol.com.br/exorcismo6.htm
    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2005/06/050618_romenia.shtml
    http://www.geocities.com/Paris/Louvre/9772/exorcismo.htm
    www.oconsolador.com.br/16/especial.html

     

     

    Translate

    ptenfrdeitrues