Doce Miséria, Um Mundo envenenado - Parte 1

    aspart topo12004 - Sweet Misery: A Poisoned World” começa com a pungente história de como a realizadora e narradora Cori Brackett descobriu os maléficos efeitos do Aspartame na sua saúde. A jornada de Brackett leva-nos através dos Estados Unidos para aprendermos mais sobre os devastadores efeitos do Asparteme, com uma impressionante lista de especialistas médicos em que se incluem Dr. Russell Blaylock, Dr. John Olney e Dr. Ralph G. Walton, nomeando apenas alguns. No filme aparece também Arthur Evangelista, um antigo investigador da FDA que exporá os horrores médicos resultantes do uso de Asparteme na comida e em bebidas. Para aqueles que já viram “Sweet Misery” – adjetivos como “incrível” são utilizados para encorajar outros a ver os ...

    especialistas mundiais a exporem e invalidarem a propaganda utilizada pela industria farmacêutica. E aqueles que estão no campo da medicina e que estiveram directamente envolvidos na feitura deste filme dizem, “Quem vir este filme ficará agora a conhecer toda a história.” Este adoçante desenvolvido pelo homem é certamente um facto da vida dificilmente evitável. O Aspártamo está presente em mais de 5,000 produtos alimentares, incluindo bebidas e pudins."

    Quantas pessoas você conhece atualmente que sofram de desordens neurológicas? Quantos membos da sua família ou pessoas do seu círculo de amigos sofrem de fibromialgia ou lúpus? E que tenham um tumor cerebral? Estudos no "New England Journal of Medicine", mostram uma tendência para o aumento da taxa destas desordens em anos recentes. Talvez como eu, nunca tenhas pensado seriamente no assunto. Mas em 2002, não mais podia ignorá-lo. TAmbém passei a fazer parte das estatísticas, quando me foi diagnosticada esclerose múltipla.

    Sweet Misery: a Poisoned World é uma análise mais atenta que muitos na comunidade médica têm manifestado ao longo das últimas décadas sobre a segurança do aspartame. Existe uma ligação entre o aspartame e as doenças? Será que o governo força a aprovação do adoçante e esconde dados importantes? Estudos do “New England Journal of Medicine” mostram um enorme aumento nos casos de câncer cerebral, fibromialgia, lupus, depressão, esclerose múltipla, transtornos bipolares e outras desordens neurológicas, etc.. O aumento dramático dos casos coincidem com a introdução de um novo alimento no mercado mundial: O Aspartame. De acordo com especialistas, 10% dos componentes da molécula do aspartame, dependendo da ingestão, se transformam em metanol, extremamente venenoso, a molécula é ainda formada por mais dois componentes nocivos.

    De acordo com o neurocirurgião Russell Blaylock, a maioria das pessoas que consomem frequentemente o aspartame terá algum dos 92 sintomas, dentre eles, enxaquecas, mudança de humor, náusea, mudança na visão, perda de memória, insônia, arritmia cardíaca, dificuldades respiratórias, etc.. A produção de serotonina é drasticamente afetada pelo consumo deste produto. O documentário mostra também que os estudos científicos patrocinados pelas próprias empresas e o FDA escondiam os efeitos devastadores do aspartame. O filme acaba também tocando no caso do glutamato monossódico (realçador de sabor) dizendo que também tem efeitos horríveis no cérebro. A natureza nos adaptou para os alimentos orgânicos, foram milênios até que isso chegasse ao que somos.O aspartame não é um alimento natural, é químico.

    Transcrição do documentário

    Foi no Verão do grande incêndio em Tucson, Arizona. que iniciei a minha pesquisa e viajei por todo o pais em busca da verdade.

    aspart2

    Russel Blaylock, diplomado em Medicina, Neurocirurgião: "A tecnologia que temos para analisar o cérebro evoluiu dramaticamente. Mas o aumento de tumores cerebrais não tem nada a ver com a nossa habilidade para vermos estas coisas, porque isso ja foi estudado e os estudos apresentam um significativo em tumores cerebrais e que isso não está relacionado com as melhorias na nossa tecnologia."

    O Instituto Nacinal contra o Câncer registrou um crescimento impressionante nas taxas de incidência de câncer cerebral primário desde 1985 e possivelmente desde 1984. O Dr H J Roberts, diretor do Instituto de Pesquisas Médicas de Palm Beach, considerou uma tendência particularmente perturbadora. Numa época em que esta tendência era unicamente atribuída a tomografias e procedimentos de diagnósticos inovadores. Roberts reparou numa série de temas em conflito.

    Primeiro, máquinas adequadas para a tomografia cerebral estavam largamente disponíveis pelo menos 10 anos antes deste relatório.

    Segundo, haviam mais pessoas afetadas com câncer no cérebro. Esetes nada tinham a ver com a mudança no modo como estavam sendo diagnosticadaos nem com o diferente modo de classificar a doença.

    Terceiro, entre 1983 e 1987, a incidência de outros tipos de câncer fora do cérebro continuou na mesma e, em alguns casos, sofreu um declínio.

    Então, qual o motivo para o grande aumento de câncer do cérebro e de desordens, mentais, desde 1984? Vou me basear num estudo publicado pelo respeitado neurocientista Dr John Olny. Ele sugere um possível candidato. Em 1983, a população americana começou a ingerir quantidades significativas da substância até então nunca usada para consumo humano. O adoçante artificial, Asparteme, é rapidamente introduzido aos consumidores. Em 1984, os americanos consumiram 3.130.000 kg de aspartame. Este valor duplicou no ano seguinte: 6.500.000 kg!Continuando a crescer até os anos de 1990.

    aspart3

    Jim Bowen, diplomado em Medicina, bioquímico: "quando ficou totalmente comercializável para o consumo, por volta de julho ou agost de 1983. Seis meses depois, em 1984, a taxa de câncer no cérebro ja tinha crescido 10% nos EUA. A taxa de diabéticos tinha crescido 30% e a incidência de linfoma cerebral, um tipo de câncer no cérebro extremamente raro e agressivo, aumentou 60%."

    aspart4

    H J Roberts, diplomado em Medicina, Médico de medicina interna: "A enormidde do problema é indicada pelo fato de que em 1988, na sua própria publicação, 80% das queixas sobre alimentação e aditivos, que foram entregues voluntariamente à FDA, as quais não eram de entrega obrigatória, eram sobre produtos com aspartame. Acima de 80%."


    Assassino Silencioso


    Russel Blaylock, diplomado em Medicina, Neurocirurgião: "Quando vemos estas pessoas que dizem: Bem, cosumo glutamato monossódico ou Nutrasweet e não tenho problema nenhum. Estas são mais resistentes aos efeitos tóxicos comuns, mas ainda assim, estão a sofrer de efeitos tóxicos muito sutis que acumulados durante muitos anos irão gerar doenças óbvias nessas pessoas."

    H J Roberts, diplomado em Medicina, Médico de medicina interna: "Algumas pessoas poderão ser expostas por uma vez e terem logo uma reação alérgica e dores de cabeça terriveis presumindo-se que nunca tinham sido expostas a isso. Mas por outro lado, pessoas que o consumiram durante muito tempo, expondo o corpo a grandes doses dos componentes do aspartame, isso entra no âmbito da toxicidade."

    aspart5

    Russel Blaylock, diplomado em Medicina, Neurocirurgião: "Outra vez, é esta habilidade da tua sensibilidade às toxinas. Algumas pessoas podem até não sentir quase nada. A maioria das pessoas terá um de vários sitomas, porque sabemos que o asparteme, pode ser um veneno que afeta a síntese das proteínas, porque afeta a maneira como as sinapses atuam no cérebro, e porque afeta o ADN, pode afetar inúmeros órgãos. então poderás vir a ter vários sitomas diferentes que não parecerão estar interligados. Mas ao olharmos para a lista de sintomas entregues a FDA, a maior parte são neurológicos ou de algum modo relacionados com o sistema nervoso. Então o sistema nervoso aparenta ser uma das áreas mais afetadas. Vemos, então, pessoas com dificuldade em raciocinar, sentem-se como se estivessem andando numa nuvem ou no nevoeiro."

    aspart6

    Arthur Evangelista, antigo investigador da FDA: "É a nivel subcrônico. Não é como sair e beber uma garrafa de metanol e ter uma reação aguda a isso. O que estamos assistindo, a longo prazo, é esta lenta cumulação de toxinas dentro do corpo, que começam a alterar a atividade normal do cérebro e o sistema endócrino, que é controlado pelo próprio cérebro."

    aspart7

    Dr Ralph S Walton, psiquiatra: "O tipo de sintomas que qualquer um pode ter são bastante latos, pode ocorrer todo o tipo de sitomas com o aspartame. Quero dizer claramente é necessário olhar para a química, mas não quero tornar-me técnico demais. Tem um claro impacto aquilo a que chamamos "aminos biogênicos". Estas são, bem, neurotransmissores no cérebro, norepinefrina, serotonina. Sabemos há muito tempo que quando se consome muito aspartame em conjunção com hidratos de carbono, irás diminuir a disponibilidade de triptofano, que é o bloco construtor da serotonina. Atualmente tem havido muito interesse por parte da mídia em relação a serotonina, um neurotransmissor muito importante para a regulação do humor e de uma variedde de funções."

    aspart8

    H J Roberts, diplomado em Medicina, Médico de medicina interna: "O aspartame é um adoçante artificial, um adiivo e é um químico, não é um produto natural, é um químico. A sua molécula é composta por 3 componentes. Dois são aminoácidos, os chamados blocos de construção das proteínas. Uma chama-se fenilalanina, que é cerca de 50% da molécula, e a outra é o ácido aspártico, que corresponde a mais ou menos 40%. Os outros 10% são do chamado éster metílico, que mal é engolido se transforma em álcool de metílico, metanol, que é um veneno, um verdadeiro veneno."


    Causa e Efeito


    Dr Ralph S Walton, psiquiatra: "Isto começou com uma paciente. Tive uma paciente, que tratei durante varios anos devido a uma depressão recorrente. Ela foi até o hospital e aquilo a que chamamos um estado maníaco, estava muito acelerada, eufórica, no "topo do mundo", nunca a tinha categorizado com maníaca, nem nunca olhei par ela como sendo bipolar. E um ou dois dias após a sua admissão no hospital, ela teve uma súbita crise de espasmos crônicos, um ataque tipo epilético, esta era uma mulher que não tinha historia de ataques. Realmente não conseguia explicar, nem o súbito estado maníaco em alguém que estava a tomar antidepressivos há anos. Geralmente acontece em pacientes bipolares ou em pacientes maníaco depressivos. E os antidepressivos não provocariam um estado maníaco. Ela tomava antidepressivos há muito tempo sem episódios maníacos, subitamente fica maníaca e depois tem uma crise espasmódica. Clinicamente não conseguia explicar isso. Então, essencialmente realizei um trabalho de detetive, olhando para o que tinha muddo na vida desta mulher e a única coisa que conseguimos encontrar foi que tinha decidido perder algum peso. Então ela mudou de chá gelado com açúcar, para chá gelado com aspartame. E bebia grandes quantidades disso. Poderia-se especular que talvez a cafeína no chá tenha sido um fator, mas ela não alterou a quantidade total, ela bebia esta quantidade de chá geldo há muitos anos sem episódios maniacos, sem crises espasmódicas. O que era diferente era o Aspartame. Então comecei a dar mais atenção a isso e fazia sentido que o aspartame baixasse o limite de ocorrência dos ataques. Era o que conhecíamos da química do aspartame nessa época apontou para a possibilidade que o aspartame pudesse, primeiro, acionar um episódio maníaco e segundo, pudesse baixar o limite de ocorrência de ataques, o suficiente para ter uma crise espasmódica. Isso foi o início. Depois encontrei outros pacientes como ela, escrevi sobre isso. Isso foi em 1985, aproximadamente dois anos após a introdução do aspartame no mercado."

    aspart9

    aspart10

    aspart11

    H J Roberts, diplomado em Medicina, Médico de medicina interna: "Compreendi que algo não estava correto, mas não conseguia perceber o que.Depois, passads vários anos, juntando os dados desta experiência e dos testemunhos dos pacientes, é muito importante ouvirmos os nossos pacientes, porque os hospedeiros destas toxinas são os pacientes e eles te dizem o que esta errado. Compreendi que o denominador comum era o uso de produtos com aspartame e sobre várias marcas comerciais, particularmentea NutraSweet, a Crystal Light, a Equal e outras."

    aspart12

    Bob Mehl, vendedor: "Habitualmente usava a NutraSweet, montes dele, porque era um grande consumidor de café, era descafeinado, estava tomando conta de mim. Tomava uma bebida com a cola light. Durante o dia bebia cola light ou café descafeinado, durante todo o dia estava sempre com um ou com o outro. Fui diganosticado com uma doença imunitária neurológica em 1993, chamada de lúpus eritematoso sistêmico (LES), foi bastante severa ao ponto de ter perdido o meu trabalho, e eventualmente, o meu seguro de saúde, porque os mais de quarenta médicos que me examinaram durante alguns anos, continuaram a realizar exames e mais exames. Todos os exames se revelaram negativos.A razão porque descobri que tinha um tumor cerebral foi porque perdi a minh voz em 1998, na época da polinização, depois da época do pólen a minha voz não voltou, como sucedia todos os anos. Então, fui a um especialista no hospital local, aqui em Atlanta, e disse: A voz de todos os meus amigos ja voltou e a minha só piorou. Ele examinou a minha garganta e disse: A sua corda vocal esquerda está completamente atrofiada e por experiência, quando vejo uma condição como esta, há um tumor no cérebro que causa isso. Ainda tenho muitas dores, mas ela me disse: sobreviva a essas dores, faz parte, mesmo qu estejas medicado vai ter dores. Então fui até Tampa. Aconselhado por ela, encontrei finalmente um metodologista e estranhamente, fez os mesmos exames sanguíneos e disse: Nunca teve lupus. Tem uma fibromialgia em estado avançado. Eu disse: Desisto! Entao ele me disse: penso que nunca chegou a ter lupus, mas por uma razão qualquer é capaz de fazer o que esta fazendo devido ao que ela lhe medicou. Por isso vamos continuar a lhe dar essa medicação. Mas eu vou trata-lo em relação a fibromialgia. Os meus médicos não se exporão a colocarem isto por escrito, que isto é causado pelo aspartame, não o farão. Mas sussuraram-me ao ouvido: GRAÇAS A DEUS QUE DEIXOU DE CONSUMIR O NUTRASEET ! é isso que dirão, mas não o colocarão o meu registro"

    aspart13

    Lorena Murray, serviços de emergência: "Havia toto o tipo de coisas, colas light, eu costumava sempre comer geléia, pastilhas. Antigamente estava sempre mascando plastilhas.Tenho sintomas desde 1983, posso recuar até 1983 e possivelmente antes disso, mas só me lembro de doutores consultórios e as hospitalizações e coisas do gênero desde 1983.Também a visão, tinha manchas e não conseguia ver. Deixei literalmente de conduzir, porque não me sentia confortável dirigindo. Os detalhes eram muito importantes, tenho de perceber os nomes pessoais, os apelidos, etc e tendo-,e sido diagnosticada perda de audição, que tem piorado significativamente. Realizo exames a cada 6 meses de há 3 anos para cá e piorou bastante, e agora tenho de usr dois aparelhos auditivos. Estava exercitando o ombor...e eu tinha a água, era tudo o que eu fazia, bebia água. A cada garrafa que bebia, pior ficava, e não tinha nada para comer, não havia nada , não estava ingerindo mais nada. Então, isso acabou por ser abençoado porque fui capaz de estreitar as hipóteses, deve ter sido isso ou aquilo. Tinha a garrafa na mão e andava e perguntar a todas as pessoas: o que há nesta garrafa, o que é aspartame? e todos diziam que não faziam idéia. Então, uma senhora disse que ja tinha ouvido falar nisso. E eu fiquei com isso na cabeça e me lembrei de ja ter visto o nome, eu passo a vida lendo revistas e afins, nao me lembro se foi na Times ouna Newsweek ou outra, mas lembro-me de ter lido um artigo e por alguma razão continuei a dizer esse nome. Entao apos acabar o exercicio estava dirigindo e parei num biblioteca onde sou volutário para dizer olá e ver como estava as coisas. Fui entao ao computador, nunca tinha pesquisado nada na vida, só sabia enviar emails e um pouco mais, e coloque Aspartame e eu ..os meus olhos encheram-se de lágrimas e comecei a chorar, eu estava...todos aquele sintomas, os 92 sintomas. Acho que contei 79 daqueles sintomas. Fui ao hospital ou ao médico a queixar-me mais de 50 vezes por cada um deles, ou mais. "

    aspart14

    Joan H Edge, doméstica: "Cheguei em casa e decidi que iria ser uma boa diabética pois precisava estar presente para a minha filha. Ia beber bebidas ligth como uma doida. Bebia chá Crystal Lignt, deixei de fazer o meu chá para passar a beber o hcá Crystal Light. Cresci numa pequena cidade, casas do sul, só conheci o meu marido quando tinha 35,36 anos e decidimos ter um filho e meu peso aumento brutalmente. Entretanto, tinha perdido um olho em 1987, eu só o conheci em 1998, e em 1992 disseram-me que tinha diabetes. Bem, tentei evitar os doces e colas, beber as bebidas light de vez em quando.Por volta, diria janeiro de 2002, comecei a ter tonturas, caia e não sabia porquê. O meu endocrinologista disse-me que tinha, que provavelmente teria esclerose múltipla. Então mandou-me ir a um neurologista, que me disse que eu tinha mesmo esclerose múltipla.Abri os chás gelados..eram os que habitualmente comia, e a minha sogra tinha levado o meu filho para sua casa. Então eu e o meu marido iamos ver uns filmes e ter uma noite só para nós, então abri os chas gelados e comecei a comer, 3 a 4 chas gelados com aspartame. Bem, isto foi num sábado a noite. Por volta das 4 horas da manha de domingo estava a fazer buracos nas minhas mãos por causa da coceira. Estava sangrando. Parecia algo saído de um campo de prisioneiros no Veitnam, por causa do sangramento. Chegou-se a conclusão tinha sido dito a sua mulher que sofria de lupus. Não tinha. estavam a se preparar para lhe dizer que sofria de esclerose múltipla, e não tinha. O seu marido chegou em casa e obrigou-a a deixar de beber as bebidas "light", e de repente as coisas começaram a melhorar para ela. Sim....é basicamente o que se passou comigo. Larguei as bebidas LIGHT e não lhes voltei a tocar. Isso foi numa sexta feira. Achoque foi por volta do dia 19 de setembro do ano passado. E meu marido olhou para mim e disse, no dia seguinte, nem tinham passado 24 horas, disse: Querida não estás ofegante com costumavas estar, também não estás cambaleante com costumavas estar. E com o tempo foi melhorando, melhorando..."

    aspart15

    Ed Johnson, advogado: "Então durante anos fui pensando: Que pessoa tão inteligente que eu sou por beber cola light em vez de cola normal e também transportei esta maneira de estar para outras coisas, então quando adoçava o meu chá, adoçava-o com "Equal". Eu era advogado de instrução para o Juiz regional federal John H Wood, deram o seu nome ao tribunal de San Antonio, e depois de servir como seu advogado durante 2 anos fui nomeado pelo Bil Sesseions como procurador geral assistente para o distrito Oeste do Texas. Andava com visão dupla e os meus médicos marcaram uma ressonância magnética. Estávamos a espera dos resultados e nunca irei esquecer, foi uma ou duas semanas antes do Natal, e o médico telefonou e eu estava a espera de ouvir: Bem, não conseguimos descobrir nada. Bem, em vez disso, disse: tem um tumor no cérebro, e é um tumor bem granded. O médico explicou-me que um dos prováveis efeitos secundários seria a perda da memória de curto prazo. Bem, mais tarde descobri que fez um pouco mais do que isso comigo, e que arruinou a minha carreira de advogado. Por ser um consumidor abusivo de aspartame primeiramente através da cola ligth e Equal" estas eram as formas primárias, em conjunção com a montanha de provas e outros testemunhos de pessoas que tiveram sintomas terríveis de todo o tipo de doenças que se possa imaginar. e quando são afastadas do Aspartame, os sintomas desaparecem. É a isto que chama forte, se não provas evidentes, provas circunstanciais bastante fortes. O juiz Hood, o juiz para quem trabahava, o juiz federal, nas suas preleções aos jurados, quando dava uma definição de prova circunstancial, dizia: se quando se forem deitar a noite não houver neve no chão e acordarem de manhã e houver neve no chão podem consumir logicamente que neveou no decorrer da noite. Esse é um exemplo de fortes evidências circunstanciais. Não viram nevar, não podem provar cientificamente que a neve caiu do céu, mas não estava lá a noite e de manhã estava. Então pode-se concluir, circunstancialmente, que nevou durante a noite. Diria que os indicios de que os meus tumores no cérebro foram causados pelo aspartame, são assim tão fortes para mim."

    Jim Bowen, diplomado em Medicina, bioquímico: "Então, quando os produtos de baixas calorias foram introduzidos no mercado, acho que foi em abril de 1983, comecei a usá-los. Se eu tivesse visto a fórmula química deste produto nunca lhe teria tocado. Os efeitos tóxicos do álcool metílico e des seus éster metílicos, são bem conhecidos. E passados um ou dois dias após ter começado a beber isso, não só sentia a deterioração do meu corpo, como ja não conseguia nadar, não tinha equilíbrio que costumava ter e tinha falta de ar como se fosse de um problema cardíaco. Mas minha mulher viu tudo isto de uma maneira mais objetiva do que eu. Ela era enfermeira e disse: "Jim, largue isso, esta te matando, destruindo." E em apenas alguns dias passei de um nadador que fazia 3200 metros por dia, para uma pessoa que tinha uma cardiomiopatia tão tóxica, que mal conseguia subir as escadas domeu apartamento. Nas seguintes 6 semanas passei por todos os infernos pessoais de envenenamento por álcool metílico, de depleção de neurotransmissores devido a existência de fenilalanina do Aspartame. E eventualmente apanhei a doença de Lou Gehrig. Por volta dessa altura "despertei", mas apenas subconscientemente e disse: vou deixar de consumir este adoçante artificial e eu nem sequer suspeitava conscientemente do adoçante, mas quando deixei de consumi-lo comecei a me recuperar.A minha experiência pessoal, da minha própria experiência quando alguém que foi envenenado por isto deixa de a consumir sentem melhorias muito rapidamente, e de forma igualmente rápida descobrem que ainda não terminou. Tem ainda de enfrentar muitos problemas. E certamente, porque tive de sofrer com isto e tive grupos de pacientes que sofreram com isto, e falava com médicos por todo o país que eram peritos no campo da Ecologia Ambiental, desenvolvi algumas terapias preventivas em que as pessoas se podem ajudar, mas a primeira coisa ue tem de aprender é ouvir o vosso corpo. Se não se sentem bem, tentem lembrar-se do que tomaram, ou que estão respirando no ambiente, ou que se passa a sua volta."

    H J Roberts, diplomado em Medicina, Médico de medicina interna: "Então voltam a questionar-se, conscientemente ou inadvertidamente. Na casa dos vizinhos seviram-lhes algo que não sabiam conter aspartame. E este tipo de sintomas e problemas voltam a ocorrer, no espaço de horas, ou um ou dois dias depois, por vezes depois de minutos. E acontece assim repetidamente. E isso são mais do que simples relatos, é similar a postulado para as infecções. Isola-se a causa, injeta-se num animal e pretroduz-se o problema. Muitos destes indivíduos, que são alérgicos ao aspartame, testaram-se, 5, 10, 20 vezes e sempre com a mesma reação, e en~tao apercebem-se que esta era a causa legítima de relação / efeito."


    A Substância mais estudada

    aspart16

    Robert Shapiro, presidente da Searle em 1984: "Mas o fato é que esta coisa foi cuidadosamente estudada, repetidamente estudada, extensivamente estudada, e como disse antes, a FDA pudesse concluir tratar-se dos aditivos alimentares mais exautivamente testados que alguma vez viram. E a conclusão é que é seguro."

    Dr Ralph S Walton, psiquiatra: "Fizeram a afirmação há uns anos, que iriam ajudar e apoiar qualquer pesquisador legitimo, que iriam fornecer aspartame e seriam prestáveis em qualquer pesquisa. Publiquei os meus estudos baseados em casos e escrevi um capitulo no livro do Richard Wortman. Acho que a indústria sabia qual qera a minha opinião. Mas depois, em meados dos anos 1990, escrevi a companhia afirmando que queríamos fazer um estudo com cruzamento de informação, porque os meus anteriores trabalhos eram realmente, e cito, "baseados em depoimentos". Realcei o fato de terem feito a afirmação que forneceriam aspartame a qualquer investigador legítimo. Por volta dessa altura, eu era professor na NEOUCOM (Northeastern Ohio University College of Medicine), e penso que estaria qualificado como um investigador legítimo. A empresa,,,enviei o protocolo do estudo para a empresa. E responderam que esta era uma pesquisa desnecessária e que não nos iriam fornecer o aspartame. Eu tentei comprar-lhe o aspartame, eles recusaram, criaram bloqueios, dificultaram-nos bastante a obtenção de aspartame, tivemos de os contornar. Consedguimos finalmente obter a unidade USP de aspartame de uma empresa privada, mas o fato é que a empresa NUTRASWEET tornou bastante difícil, não cumpriu a sua promessa de fornecer aspartame a qualquer investigador legítimo. Disseram que era desnecessário, não poderia ser feito, não era necessário ser feito. Tentaram bloqueá-lo."

    PARTE 2

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco