Eletrodos de tatuagem impressos a jato de tinta fornecem medições de EEG a longo prazo

    eletros1Por Rich Haridy, 17/05/2020 - Foi descoberto, pela primeira vez, que os eletrodos de tatuagem impressos medem efetivamente a atividade do EEG, sem um gel condutor, assim como os eletrodos tradicionais. Os engenheiros europeus otimizaram uma nova tecnologia usando eletrodos de tatuagem temporários para registrar a atividade cerebral da eletroencefalografia (EEG). A tecnologia é barata, pode ser produzida usando uma impressora a jato de tinta e fornece medições de EEG com a mesma precisão que os eletrodos tradicionais.

    Há dois anos, a tecnologia, desenvolvida inicialmente em 2015, demonstrou ser eficaz no registro de dados de eletrocardiografia (ECG) e eletromiografia (EMG). Agora, com mais otimização, os eletrodos com estilo de tatuagem podem capturar sinais de EEG.

    eletros2
    Os novos eletrodos produzidos por impressão a jato de tinta são mais baratos do que os eletrodos tradicionais

    "As ondas cerebrais estão na faixa de baixa frequência e os sinais EEG têm uma amplitude muito baixa", explica Laura Ferrari, uma das autoras do novo estudo. "Eles são muito mais difíceis de capturar em alta qualidade do que os sinais EMG ou ECG".

    Leia também - Nasce um novo tipo de memória RAM

    Os eletrodos de tatuagem são criados usando polímeros condutores que podem ser impressos através de uma impressora jato de tinta padrão. Testes clínicos descobriram que a nova tecnologia é tão eficaz na medição de sinais de EEG quanto os eletrodos convencionais, que exigem aplicação demorada por indivíduos altamente treinados. Sua aplicação também requer um gel condutor úmido, que seca progressivamente dentro de algumas horas, tornando as medidas consistentes por um longo período de tempo não confiáveis.

    eletros3
    Os primeiros testes mostram que os eletrodos continuam a funcionar de forma eficaz, mesmo com o cabelo crescendo novamente por meio da tatuagem temporária

    Os novos eletrodos oferecem contato preciso e estável com a pele, que pode ser mantido por longos períodos de tempo, quando medidas freqüentes de EEG podem ser necessárias. Francesco Greco, um dos criadores dos eletrodos da Universidade de Tecnologia de Graz, sugere que a inovação é mais barata que os eletrodos úmidos tradicionais e significativamente mais confortável.

    "Devido à impressão a jato de tinta e aos substratos disponíveis comercialmente, no entanto, nossas tatuagens são significativamente menos caras que os eletrodos de EEG atuais e também oferecem mais vantagens em termos de conforto no uso e medidas de longo prazo em comparação direta", diz Greco.

    Leia também - Cientistas chineses desenvolvem painéis solares que funcionam mesmo com chuva

    Os pesquisadores também afirmam que os novos eletrodos otimizados devem ser eficazes com medições de magneto-encefalografia (MEG). Os dados do MEG geralmente podem complementar as medidas do EEG, oferecendo dados de atividade cerebral altamente localizados.

    "Com nosso método, produzimos o eletrodo perfeito compatível com MEG, reduzindo custos e tempo de produção", acrescenta Greco.

    O novo estudo foi publicado na revista npj Flexible Electronics.

    eletrodos, tatuagem, jato de tinta, gel condutor, temporários, eletroencefalografia, ferrari, polímeros, tradicionais, atividade cerebral

    Fonte: TU Graz

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco