A IA aprende com os sinais do cérebro para criar rostos atraentes e personalizados

    iafotos105/03/2021 - Embora certas celebridades sejam amplamente consideradas bonitas, a beleza ainda está nos olhos de quem vê. Um novo sistema baseado em IA é capaz de determinar quais recursos são considerados mais atraentes para cada pessoa e, em seguida, criar rostos combinando essas qualidades. Liderado pela Assoc. Prof. Tuukka Ruotsalo, cientistas das universidades de Helsinque e Copenhague começaram a obter uma rede neural adversária geradora para produzir centenas de retratos reais gerados por computador.

    Essas imagens faciais foram então mostradas uma de cada vez para um total de 30 sujeitos de teste, em uma tela de computador. Cada pessoa foi instruída a concentrar mais atenção nos rostos que consideravam mais atraentes, enquanto a atividade elétrica de seu cérebro era registrada por meio de EEG (eletroencefalografia).

    Algoritmos baseados em aprendizado de máquina determinaram posteriormente quais faces produziram a maior quantidade de atividade para cada pessoa e estabeleceram quais características essas faces tinham em comum. Com base nesses dados, a rede neural passou a produzir novas faces que combinavam essas características.

    Em um experimento duplo-cego, esses novos rostos foram então mostrados à pessoa, junto com imagens de muitos outros rostos. Oitenta e sete por cento do tempo, o indivíduo selecionou os novos rostos como sendo os mais atraentes - esse número deve aumentar à medida que a tecnologia é desenvolvida.

    Leia também - Descobertos até sete planetas em redor de estrela a 127 anos-luz

    Espera-se que as descobertas da equipe possam ser usadas para ajudar os sistemas de computador a entender as preferências subjetivas e talvez também para identificar as atitudes inconscientes das pessoas.

    "O estudo demonstra que somos capazes de gerar imagens que correspondem às preferências pessoais, conectando uma rede neural artificial às respostas do cérebro", disse o pesquisador Michiel Spapé. "A visão por computador tem tido muito sucesso em categorizar imagens com base em padrões objetivos. Ao trazer respostas cerebrais à mistura, mostramos que é possível detectar e gerar imagens com base em propriedades psicológicas, como o gosto pessoal."

    Um artigo sobre a pesquisa foi publicado recentemente na revista IEEE Transactions in Affective Computing.

    Fonte: Universidade de Helsinque

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco