O número de vezes que uma pessoa dá à luz pode afetar a rapidez com que envelhece

    luzpar130/11/2020 - Ter filhos não faz você apenas sentir que envelheceu da noite para o dia - um novo estudo liderado por pesquisadores da Penn State descobriu que o número de vezes que uma pessoa dá à luz também pode afetar o processo de envelhecimento físico do corpo. Os pesquisadores examinaram várias medidas diferentes que representam como o corpo de uma pessoa está envelhecendo e descobriram que pessoas que tiveram poucos nascimentos - ou muitos - pareciam ter envelhecido mais rápido do que aquelas que deram à luz três ou quatro vezes. No entanto, esses efeitos foram encontrados somente depois que a pessoa passou pela menopausa.

    "Nossas descobertas sugerem que a gravidez e o nascimento podem contribuir para a mudança e desregulação de vários sistemas fisiológicos diferentes que podem afetar o envelhecimento quando uma pessoa está na pós-menopausa", disse Talia Shirazi, doutoranda em antropologia biológica na Penn State. “Isso é consistente com as mudanças metabólicas, imunológicas e endocrinológicas que ocorrem no corpo durante a gravidez e lactação, bem como os vários riscos de doenças que estão associados à gravidez e ao investimento reprodutivo em geral”.

    Segundo os pesquisadores, a gravidez e a amamentação consomem grande quantidade de energia do corpo e podem afetar muitos de seus sistemas, incluindo a função imunológica, o metabolismo e a pressão arterial, entre outros. Além disso, as pessoas que deram à luz têm maior probabilidade de morrer de diabetes, doença renal e hipertensão, entre outras condições, do que aquelas que não o fizeram.

    Os pesquisadores estavam curiosos para saber como o corpo equilibra esses "custos de reprodução" e se isso afeta o envelhecimento do corpo.

    “Achamos que há algo acontecendo, algum tipo de compensação, entre envelhecimento e reprodução”, disse Shirazi. “Isso faz sentido do ponto de vista da biologia evolutiva, porque se você está gastando energia durante a gravidez e amamentação, provavelmente não tem tanta energia para alocar em coisas como manutenção e defesa fisiológica”.

    Para o estudo, os pesquisadores usaram dados de 4.418 participantes do National Health and Nutrition Examination Survey dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças. Os dados incluíram informações sobre saúde reprodutiva, incluindo o número de nascidos vivos e se eles haviam passado pela menopausa ou não.

    Os pesquisadores mediram o envelhecimento biológico de várias maneiras com base em nove biomarcadores projetados para avaliar a saúde metabólica, função renal e hepática, anemia e distúrbios dos glóbulos vermelhos e função imunológica e inflamação.

    Leia também - Se a sua vida é um perfil aberto...NÃO RECLAME !!!

    "Queríamos analisar medidas que ajudassem a capturar a idade e o funcionamento dos principais sistemas de órgãos do corpo, em vez de olhar para o envelhecimento no nível celular", disse Waylon Hastings, pesquisador de pós-doutorado na Penn State. "Quando pensamos em gravidez, não pensamos em mudanças em células individuais, mas em como o sistema imunológico ou o metabolismo mudam, por exemplo."

    Os pesquisadores descobriram uma "relação em forma de U" entre o número de nascidos vivos e o envelhecimento biológico acelerado. Aqueles que relataram zero ou poucos nascidos vivos, ou relataram muitos nascidos vivos, tiveram marcadores de envelhecimento biológico mais rápido do que aqueles que relataram três ou quatro nascidos vivos. Isso era verdade mesmo quando controlados por idade cronológica, estilo de vida e outros fatores demográficos e relacionados à saúde.

    Shirazi disse que, como os dados foram coletados em um ponto no tempo, atualmente não é possível saber o que causou essas associações. Mas ela disse que uma possível explicação para as descobertas - publicadas recentemente na Scientific Reports - é a presença, ou falta, de hormônios ovarianos em pessoas na pós-menopausa.

    "Pesquisas anteriores descobriram que geralmente os hormônios ovarianos são protetores contra alguns processos de nível celular que podem acelerar o envelhecimento", disse Shirazi. "Portanto, é possível que em mulheres na pré-menopausa o efeito dos hormônios esteja neutralizando o potencial efeito negativo da gravidez e da reprodução na aceleração da idade biológica. E então, talvez, quando os hormônios acabarem, os efeitos podem se manifestar."

    Hastings disse que o estudo também sugere que pesquisas adicionais podem ser feitas para entender os processos que podem estar envolvidos na conexão entre envelhecer e ter filhos, bem como como esses processos funcionam ao longo do tempo.

    "Esta transição para a menopausa e a saúde reprodutiva feminina em geral está muito pouco pesquisada e não tão bem compreendida como deveria ser neste momento", disse Hastings. "Então, se podemos ver que há essas mudanças no envelhecimento em função da reprodução e da menopausa, e não temos uma boa explicação para o porquê, isso é um sinal de que devemos investigar isso mais."

    Fonte: https://medicalxpress.com/

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco