Funerárias processam pastor por ‘ressurreição’ na África do Sul

    funerpastor topo27/02/2019 - Alph Lukau, um pastor da África do Sul, está sendo processado por um grupo de diretores de funerárias após afirmar que ressuscitou um morto. O vídeo postado no Facebook mostra o autoproclamado profeta gritando para um homem deitado em um caixão se levantar e, em seguida, o rapaz se ergue. As informações são do BBC. O caso foi ridicularizado e criticado por muitas pessoas na África do Sul, mesmo que tenha sido celebrado pelos fiéis do pastor no vídeo.

    As empresas funerárias dizem que foram manipuladas a se envolverem na farsa que aconteceu em uma igreja perto de Joanesburgo, e agora querem reparação de danos à sua reputação.

    Três empresas funerárias alegam que os representantes da igreja os enganaram de diferentes formas e fizeram todas comparecerem ao suposto milagre. Procurada pela BCC, Alph Lukau não respondeu as perguntas. A Comissão para a Promoção e Proteção de Comunidades Culturais, Religiosas e Linguísticas da África do Sul também comentou o caso. “Não existem milagres, são tentativas de ganhar dinheiro com o desespero do nosso povo”, afirmou em nota. O pastor Alph Lukau afirma que apenas completou um milagre que Deus tinha realizado.

    Leia também - Enxame cerca carro para 'soltar' abelha-rainha presa em porta-malas

    funerpastorA

    funerpastorB

    funerpastorC

    Debate sobre falsos pastores

    O site de notícias Sowetan relata que a igreja recuou em sua alegação de ter realizado uma ressurreição, dizendo que o "morto" já estava "vivo" quando foi levado ao local. O pastor havia apenas "completado um milagre que Deus já havia realizado", disse a Alleluia Ministries International ao Sowetan. O correspondente da BBC Milton Nkosi disse que o vídeo provocou um debate nacional sobre falsos pastores e foi amplamente criticado por grupos religiosos renomados. No entanto, alguns sul-africanos usaram a hashtag #ResurrectionChallenge (#DesafioDaRessureição) nas redes sociais para tratar do caso de forma bem-humorada.

    Leia também - Equipamento de ressonância magnética 'suga' arma de PM em SC

    Este é o caso mais recente a chamar atenção para líderes religiosos no país que dizem a suas congregações terem realizado feitos extraordinários. No ano passado, um pastor sul-africano foi considerado culpado de agressão por ter pulverizado um inseticida doméstico sobre os fiéis alegando falsamente que isso poderia curar câncer e infecção pelo vírus HIV.

    Fonte: https://istoe.com.br/
               https://g1.globo.com/

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco