Ovnis, Área 51, JFK, documentos e assassinatos: o diário de segredos de Marilyn Monroe pode ter lhe custado a vida

    merlinovni127/05/2021 - A morte da icônica atriz americana Marilyn Monroe, há quase 60 anos, ainda gera dúvidas e controvérsias. Foi uma overdose acidental, um suicídio ou um assassinato planejado para mantê-la em silêncio? O escritor e investigador Nick Redfern acha que Marilyn pode ter sido silenciada para proteger um grande segredo. O Diário de Segredos de Marilyn Monroe - Em seu novo livro, Diary of Secrets Redfern argumenta que a morte de Monroe está ligada não apenas a seu envolvimento amoroso com o ex-presidente americano John Fitzgerald Kennedy (JFK), mas também a óvnis.

    “Amigos de Monroe dizem que Kennedy pode ter compartilhado segredos sobre a queda de um óvni e os materiais surpreendentes recolhidos lá”, diz Redfern em entrevista a George Knapp, do Mystery Wire.

    “O que sabemos com certeza é que pouco tempo após o envolvimento com Kennedy Marilyn foi encontrada morta. Portanto, a inferência aqui é que, já que Marilyn teve acesso a todos esses segredos, para algumas pessoas do governo ela deveria ser silenciada”, continua.

    Óvnis, Área 51 e assassinatos

    Redfern também investiga a relação entre documentos agora desclassificados da CIA e do FBI que tratam diretamente de Marilyn. Um dos documentos sobre o qual Redfern fala é ​​“A Study of Assassination”, escrito pela CIA. “O documento foi elaborado para ensinar aos agentes como assassinar alguém com bebidas, drogas, atirando-os de um prédio, entre outras maneiras, para parecer trágico, mas inocente”, explica.

    Leia também - Edgar Cayce - O enigma da Esfinge, Provável Existência de uma 'Cápsula do Tempo'

    “Uma das partes mais fascinantes deste documento é uma que diz que se você precisa matar alguém ou colocá-lo em uma situação vulnerável, talvez o melhor seja envolvê-lo com álcool e drogas e fazer com que pareça um suicídio muito trágico e triste”, continua.

    A vida de Marilyn Monroe em risco

    Marilyn Monroe foi encontrada morta no quarto de sua casa em 5 de agosto de 1962. A análise toxicológica concluiu que a causa da sua morte foi intoxicação por barbitúricos. Entretanto, a chance de Marilyn ter tido uma overdose acidental foi descartada, pois as dosagens encontradas no seu corpo estavam várias vezes acima do limite letal.

    Mas o que JFK teria contado à Marilyn Monroe que colocou sua vida em risco?

    No dia 3 de julho de 1947 um óvni teria caído em uma fazenda em Roswell, no Novo México. Os destroços do objeto e seus tripulantes teriam sido levados pelos militares até uma base militar em Nevada, depois conhecida mundialmente como Área 51.

    Um diário de segredos

    Naquele mesmo ano, 1947, Kennedy seria eleito deputado pela primeira vez, permanecendo no cargo até 1953, quando foi eleito senador. Na posição ele permaneceu até que e em 1960 foi eleito presidente dos EUA. O romance de Kennedy e Marilyn Monroe teria começado em 1957, apesar de o político ser casado à época com Jackie Kennedy. E teria sido num desses encontros a sós que o democrata teria lhe confidenciado o segredo envolvendo os óvnis.

    “Marilyn aprendera com seu primeiro marido a registrar tudo em diários. E ela tinha um chamado diário de segredos onde detalhava todas as coisas que os irmãos Kennedy contaram a ela e a outras pessoas na política”, diz Redfer.

    Ela precisa morrer

    “Esse diário continha ainda informações de que Fidel Castro seria assassinado, que a máfia e a CIA trabalhariam juntas, além de detalhes de como o governo dos EUA colocou as mãos em um óvni acidentado e em corpos estranhos que ninguém sabia realmente o que eram”, continua.

    “Quando ela morreu e seu corpo foi levado para o necrotério e vários pertences, incluindo o grosso diário, foram levados também. Os objetos ficaram ali por dois ou três dias e foram vistos por muitos funcionários. Então, no dia seguinte, ninguém tem certeza, mas homens de terno aparecem e o diário é levado embora”, finaliza.

     

    Autor alega que documento liga morte de JFK a óvnis

    merlinovni2

    24/04/2011 - Autor alega que documento liga morte de JFK a óvnis. Em novembro de 2023 a morte do ex-presidente americano John F. Kennedy completará 60 anos. John Fitzgerald Kennedy (JFK) foi assassinado em 22 de novembro de 1963 às 12h30 enquanto fazia uma carreata em Dallas, capital do Texas, durante uma campanha. Ele estava na limusine presencial sem capota quando os tiros começaram. O então presidente levou um tiro no pescoço e na cabeça e foi declarado morto às 13 horas. Ele tinha 46 anos.

    A morte de JFK e os óvnis

    Apesar do assassino, Lee Harvey Oswald, ter sido identificado, não faltam teorias sobre os motivos para o crime. E algumas delas sugerem que Kennedy foi morto porque estava prestes a revelar ao mundo tudo o que sabia sobre óvnis e extraterrestres. E é exatamente isso que o autor William Lester diz ter descoberto como parte de seu trabalho para produção de um novo livro sobre Kennedy, um memorando redigido e assinado pelo próprio JFK, dirigido à CIA, no qual o presidente solicita todas as informações confidenciais sobre os óvnis em poder da agência. O documento data de 12 de novembro de 1963, dez dias antes do crime.

    JFK sabia dos óvnis?

    A teoria de que JFK morreu porque pretendia revelar ao mundo o que os EUA sabiam sobre extraterrestres e óvnis não é nova. Mas o memorando adiciona combustível à mistura, uma vez que Lester garante que obteve o documento junto com outros dois, através da FOIA, a Lei de Liberdade de Informação dos Estados Unidos. “O governo desclassifica documentos regularmente depois de um certo tempo, e então você tem que fazer um pedido para esses documentos”, disse Lester.Está se Realizando – Entrada de Ondas Cósmicas de Energia

    Leia também - Após 70 Anos, Profecia Está se Realizando – Entrada de Ondas Cósmicas de Energia

    “Quando eu estava no processo de arquivamento, essas cartas tinham acabado de ser desclassificadas e divulgadas ao público.” Isso aconteceu em 2006 ou 2007, disse Lester. “Na época, acho que outras pessoas também estavam recebendo.”

    merlinovni3
    Um memorando redigido da CIA que alguns afirmam sugerir que o presidente John F. Kennedy queria mais informações sobre OVNIs durante a Guerra Fria.

    Memorando duvidoso (acima)

    Á época especialistas consultados pelo site Space.com, onde originalmente foi publicada essa informação, duvidaram da autenticidade do memorando. Mas Lester, que já era autor de assuntos ditos paranormais e do livro “Celebração da Liberdade: JFK e da Nova Fronteira” (Wasteland Press, 2010), afirma que a desclassificação é o elo perdido para a teoria da conspiração sobre a morte de Kennedy.

    Uma história que combina acobertamentos de OVNIs com o assassinato de John F. Kennedy é uma mina de ouro para os teóricos da conspiração. E isso é exatamente o que o autor William Lester diz que descobriu enquanto conduzia uma pesquisa para um novo livro sobre Kennedy: um memorando escrito por JFK e endereçado à CIA no qual o presidente solicita informações confidenciais sobre OVNIs.

    Em um memorando secreto nunca antes visto, supostamente escrito em 12 de novembro de 1963, o presidente ordenou que o diretor da CIA organizasse os arquivos de inteligência da agência relativos aos OVNIs e o interrogasse sobre todas as "incógnitas" até fevereiro seguinte. Dez dias depois, Kennedy foi assassinado.

    O documento recém-revelado deve adicionar lenha ao fogo eterno em torno da morte do presidente. Mas comecemos pelo princípio: o documento é autêntico?

    Lester, um pesquisador paranormal e autor do novo livro "Uma Celebração da Liberdade: JFK e a Nova Fronteira" (Wasteland Press, 2010), disse que obteve o memorando junto com outros dois da CIA sob a Lei de Liberdade de Informação.

    “O governo desclassifica regularmente os documentos depois de um certo tempo, e então você tem que fazer um pedido para esses documentos”, disse Lester ao Life's Little Mysteries, um site irmão do SPACE.com. "Quando eu estava no processo de arquivamento, essas cartas tinham acabado de ser desclassificadas e divulgadas ao público." Isso aconteceu em 2006 ou 2007, disse Lester. "Na época, acho que outras pessoas também estavam recebendo."

    O memorando ultrassecreto não apareceu em nenhum outro lugar além do livro de Lester, entretanto, e alguns arquivistas questionam sua autenticidade. Um técnico de pesquisa da Biblioteca JFK em Boston, que pediu para não ser identificado, não conseguiu encontrar uma cópia carbono em seu arquivo presidencial, que contém cópias de todas as cartas de JFK.

    "Fizemos algumas pesquisas nos papéis presidenciais para tentar encontrar qualquer evidência da carta de 12 de novembro de 1963 ao diretor da CIA, John McCone", disse o técnico ao Life's Little Mysteries. Apesar do fato de JFK manter cópias de carbono de todas as suas cartas, mesmo as confidenciais, "ao pesquisar os arquivos do gabinete do presidente - CIA, NASA e arquivos de Segurança Nacional - não encontramos nenhuma evidência deste memorando ou algo parecido. "

    Além disso, não se parece com outros memorandos ultrassecretos que Kennedy escreveu durante sua presidência.

    "Algo está um pouco estranho nisso", disse o técnico. "Ele é higienizado em lugares muito estranhos: o nome do diretor, o título superior do documento (que geralmente distingue qual agência o está gerando) e a minúscula impressão" ultrassecreta "no topo da carta. Itens ultrassecretos geralmente são carimbados em tinta grande e escura na carta. "

    O elo que faltava?

    Lester afirma que o novo memorando desclassificado é, portanto, o elo perdido em uma teoria da conspiração em torno de outro documento que muitos teóricos da conspiração acham que indica que a CIA matou Kennedy para evitar seu envolvimento em um encobrimento de OVNIs. No entanto, este segundo documento, e portanto a conclusão, também é suspeito. Este documento, chamado de "memorando queimado", foi passado para a mídia marginal em 1999 por uma fonte anônima que afirmava ser um ex-agente da CIA. O suposto vazador disse que trabalhou para a CIA entre 1960 e 1974 e tirou o memorando - que os especialistas nunca verificaram como autêntico - de um incêndio quando a agência estava queimando alguns de seus arquivos mais confidenciais.

    No "memorando queimado", o diretor da CIA na época (seu nome está apagado) supostamente escreveu: "Lancer [o codinome da CIA para JFK] fez algumas perguntas sobre nossas atividades, que não podemos permitir. Envie suas opiniões, não depois de outubro. Sua ação neste assunto é crítica para a continuidade do grupo. "

    Leia também - A lenda sobre os Índios Morcegos

    O novo memorando, disse Lester, prova que JFK realmente estava investigando a CIA sobre a inteligência de OVNIs, e que a CIA pode ter tomado medidas para evitar isso. "Se Kennedy tivesse obtido algum nível de controle sobre o assunto da NASA ou da CIA, quem pode dizer que ele não teria divulgado essa informação ao público americano? Quem sabe aonde isso teria levado?" Lester comentou.

    Dado que a maioria dos historiadores acredita que o "memorando queimado" é uma farsa, no entanto, a conexão com o plano secreto da CIA para assassinar JFK não persiste.

    Alternativamente, mesmo que o memorando queimado seja falso, mas o memorando recém-surgido seja real, há várias razões perfeitamente lógicas para Kennedy tê-lo escrito. Lester acredita que o presidente estava interessado na inteligência OVNI por três razões.

    Primeiro, disse Lester, Kennedy estava preocupado que os OVNIs vistos pelos soviéticos fossem mal interpretados por eles como aeronaves dos EUA com comportamento provocativo. Isso pode ser o que Kennedy deixou implícito quando (supostamente) escreveu: "É importante que façamos uma distinção entre conhecidos e desconhecidos no caso de os soviéticos tentarem confundir nossa cooperação estendida como uma cobertura para coleta de inteligência de seus programas de defesa ou espaciais. "

    A segunda razão para a investigação de Kennedy pode ter sido seu óbvio interesse em viagens espaciais; no momento de sua (suposta) escrita, a NASA era uma nova agência, explicou Lester, e "toda a questão do espaço sideral e da vida no espaço sideral estava na vanguarda do pensamento de todos". Terceiro, havia uma preocupação natural com os OVNIs na época devido a um surto de incidentes que se pensava ser avistamentos. Na década de 1960, quase todo mundo estava interessado em OVNIs - JFK, NASA, a CIA e cidadãos semelhantes.

    Fonte: https://www.vigilia.com.br/           

               https://www.space.com/

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco