Pinturas de 12.500 anos mostram animais gigantes ao lado de humanos

    pintruagigan114/12/2020 - Arqueólogos desenterraram uma das maiores coleções de arte rupestre da América do Sul, datada de cerca de 12.500 anos: dezenas de milhares de pinturas de animais e humanos, que abrangem quase oito quilômetros. Apelidado de “Capela Sistina dos Anciãos”, este local, localizado na Colômbia, é mais uma prova do fato de que os primeiros habitantes da Amazônia conviveram com animais gigantes da Idade do Gelo, agora desaparecidos.

    Na verdade, é a representação mais antiga de seres humanos ao lado de animais enormes. Esses múltiplos desenhos nos permitem ter uma outra ideia da aparência desses animais, dos quais hoje restam apenas ossos. Alguns também retratam formas geométricas, rostos humanos, impressões de mãos e várias cenas onde as pessoas interagem com a flora e a fauna locais.O local foi descoberto no âmbito do projeto LastJourney , dedicado ao estudo das primeiras colonizações humanas na América do Sul, sobre as quais os cientistas atualmente dispõem de poucas informações.

    A chegada de humanos a esta região durante o Pleistoceno Superior e o Holoceno Inferior é de fato um marco: ocorreu durante mudanças climáticas e ambientais fundamentais. O projeto visa, em particular, analisar o impacto da agricultura e da caça na biodiversidade da região.

    Leia também - Manuscrito 512

    pintruagigan2

    Humanos ao lado de gigantes

    De acordo com especialistas, essas pinturas foram produzidas por um período de várias centenas ou mesmo milhares de anos. Eles foram descobertos na região de Serranía La Lindosa; o conjunto inclui milhares de projetos espalhados por três abrigos de pedra em Cerro Azul, Limoncillos e Cerro Montoya. Eles foram construídos na encosta de um penhasco, suspenso pela rocha que serve de abrigo. Escondidos e relativamente distantes das trilhas, são bastante inacessíveis; felizmente, os pesquisadores foram orientados pela população local. Os desenhos sugerem que veados, antas, crocodilos, morcegos, macacos, tartarugas, cobras e porcos-espinhos, bem como espécies da megafauna da Idade do Gelo, encontram humanos regularmente.

    Alguns desses grandes animais extintos também aparecem em outras obras de arte rupestre amazônica, mas os especialistas acreditam que as pinturas deste local são muito mais realistas e, acima de tudo, em melhores condições. Entre os antigos animais que aparecem na rocha estão um mastodonte, uma espécie de preguiça gigante. A exploração do local foi possível após o tratado de paz de 2016 entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e o governo colombiano.

    Fonte: https://trustmyscience.com/

    Translate

    ptenfrdeitrues