ufobrasil1“Quando um cientista ilustre, mas “idoso”, declara que alguma coisa é possível, quase certamente tem razão. Quando declara que alguma coisa é impossível, Muito provavelmente esta errado.” (Lei de Clarke). A noite de 19 de maio de 1986 não pode passar sem um pronunciamento das autoridades da Aeronáutica. Afinal, o próprio coronel Ozires Silva tomou parte daqueles fatos, os mesmos que nossos “cientistas” ainda não querem aceitar. Precisamos tomar muito cuidado para falar que isso ou aquilo é impossível, pois parece que o destino dos homens no planeta Terra é realizar ou provar o impossível. Na história da humanidade sempre existiram cientistas aparentemente competentes, que promulgaram as leis do que é tecnicamente possível ou impossível, demonstrando, às vezes, que estavam inteiramente errados enquanto a tinta da caneta mal secara. No dia 19 de maio de 1986, tivemos um verdadeiro “show” de discos voadores no céu brasileiro, ...

    ovnicienAqui esbarramos na reticência típica dos setores eruditos da opinião. O cientista, o técnico, o investigador privado têm, de modo geral, espírito conservador. Desconfiam de tudo o que é novo ou insólito, de tudo o que se afasta do seu campo de conhecimento e experimentação. Muitos "sábios" vivem sob o temor constante de cometer um delize, e zelam muito por seu prestígio pessoal que, afinal, lhes é absolutamente necessário na vida e nas relações profissionais. Para eles, é muito mais cômodo e seguro ater-se a normas preestabelecidas e julgar a realidade ...

    projetosinal1A 23 de setembro de 1947, o Tenente-General Nathan V. Twining, comandante do AMC (Air Material Comand), submeteu seu relatório, estritamente confidencial, ao comandante em exercício da Força Aérea do Exército dos EUA, qualificando como real o fenômeno dos objetos voadores não identificados e frisando que, quanto a isso, não se tratava nem de fantasmagorias nem de ficção. Isso porque tudo indicava que aqueles objetos, ...

    gadomutilColabora – Andreia Tschiedel  - Alamosa, estado do Colorado, USA -  Lady era uma égua da raça apaloosa, um dos animais favoritos da fazenda de Harry King. Ela foi vista em 7 de setembro de 1967, pela ultima vez , quando pastava na propriedade. Ela se mostrava saudável e ativa. No dia seguinte, foi notada a ausência do animal e começaram as buscas pela propriedade. Outros dois cavalos foram encontrados, pastando normalmente. Foram encontradas pegadas dos três animais que seguiam juntas até certo ponto, onde se separavam. As pegadas de Lady terminavam abruptamente alguns metros depois. No dia 9, a 30 metros do final da pegada foram encontrados os restos da égua. Ela estava descarnado do pescoço para cima, ficando os ossos da cabeça à mostra. O esqueleto, nesta parte estava branco e limpo, sem resquício de carne ou tecidos. Parecia até que tinha sido exposto ao Sol por vários dias. Notou-se que o corte era extremamente preciso e limpo. Nem mesmo nos arredores do animal havia restos de carne ou couro.

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco