Os homens de preto - parte 1

    preto1O primeiro relato de Homens de Preto ( MIBs, sigla em inglês ) ocorreu em 30 de março de 1905 em Barmouth, País de Gales. Descrevia homens de aspecto oriental, de comportamento estranho, que faziamperguntas grosseiras e andavam em carros ...

    grandes e pretos. Desde então o mito acerca destas estranhas pessoas se estabeleceu principalmente nos Estados Unidos. Geralmente os relatos contêm detalhes duvidosos, alguns são até ilógicos; em quase todos os casos, aparentemente, existem mais razões para se descrer do que para crer. Os homens de preto já foram descritos com várias tipologias, mas uma coisa se mantém inalterada, ternos pretos à moda antiga e carros modelo Cadillac também negros. Os investigadores desses relatos passaram a alertar: "...Não tentem prendê-los pessoalmente. Não os agridam fisicamente. É preciso uma abordagem cautelosa, pois eles usam técnicas hipnóticas"... Pouco depois de avistar um OVNI, a testemunha ou um investigador do caso, recebe a visita dos homens de preto. Freqüentemente ela ocorre logo depois do próprio incidente, quando não houve nenhum relatório oficial ou publicação na imprensa. A vítima está quase sempre sozinha na ocasião da visita, normalmente em sua própria casa.

    Leia também - Funcionário do CINDACTA fala sobre sua experiência

    Os visitantes, geralmente três, chegam num grande carro preto. Nos Estados Unidos, freqüentemente num imponente Cadillac, mas raramente num modelo recente. Ao mesmo tempo que velho em termos de época, é provavelmente novo e imaculado em aparência e estado, por dentro e por fora, tendo até mesmo aquele inconfundível cheiro de "carro novo". Se a pessoa guarda o número da placa e a verifica, invariavelmente descobre que ela não existe.

    A entrevista é, às vezes, um interrogatório, outras, uma simples advertência. Em ambos os casos, os homens de preto, embora façam perguntas, estão claramente muito bem informados, com acesso a informações restritas. Falam com uma entonação e sintaxe perfeitas, por vezes demasiadamente perfeitas.

    Em maio de 1975, duas semanas depois de ver, de dentro do seu avião Piper Pa-24, a aparição de um OVNI, confirmada nas telas dos radares do aeroporto da Cidade do México, um jovem piloto foi seguido na estrada por quatro homens numa limusine preta:"... usavam terno e pareciam escandinavos pois eram altos, de uma cor branca estranha e não piscavam"... O piloto, que ia para uma emissora de televisão dar uma entrevista, foi forçado a parar no acostamento e intimado a não falar do que vira. Um mês depois, um dos estranhos voltou a aparecer e a ameaçá-lo, pois ia encontrar-se com J. Allen Hynek, eminente astrônomo americano e investigador dos OVNIs. Foi a última vez que o jovem viu os MIBs. Assossiados à inteligência dos EUA, KGB ou, ainda, à intervenções extraterrenas, os misteriosos MIBs já foram tema de vários filmes em Hollywood e ainda movimentam a opinião popular.,

    De acordo com algumas pessoas, os Homens de Preto existem, mas eles não são tão bonzinhos ou divertidos quanto Will Smith e Tommy Lee Jones.

    Normalmente eles aparecem depois que alguém tenha visto um Óvni. Seus ternos são estranhos e brilhosos e suas vozes são monótonas. Alguns dizem que na verdade eles são andróides empregados pelo governo ou alienígenas para abafar a verdade sobre seres de outros mundos.

    Supostamente eles são telepáticos e capazes de exercer o controle da mente de suas vítimas.

    Ou será que os Homens de Preto são simplesmente uma alucinação? Robôs do governo em ternos pretos parecem bastante obedientes se comparados com pequeninos homens verdes voando em discos voadores.

    O Mito

    Os Homens de Preto (M.I.B.) são seres que aparecem em qualquer lugar onde aparições importantes de ÓVNIS tenham acontecido. Alguns dizem que eles são agentes do governo americano, outros dizem que são extraterrestres. Ou então que são agentes americanos que fazem parte de um esquema secreto de cooperação com os extraterrestres... De qualquer forma, sua missão seria a de encobrir avistamentos de naves extraterrestres. Para isso, eles avisam testemunhas e pesquisadores para que não divulguem suas informações, fazendo diversos tipos de ameaças e apreendendo evidências materiais.

    A concepção clássica de um M.I.B. é um homem de idade indefinida, de porte médio e totalmente vestido, obviamente, de preto. Sua aparência é descrita como estranha, com uma forma mecânica de falar e andar, o que fez com que fossem comparados a robôs ou andróides. O tecido de seus ternos pretos seria estranhamente brilhante e fino, diferente dos tecidos conhecidos.

    Combinando com suas roupas, os carros que os M.I.B. dirigem são sempre pretos e em geral grandes e caros. Os carros apresentam símbolos desconhecidos nas laterais e suas placas são irreconhecíveis. Em geral eles andam com os faróis apagados, mas o seu interior é iluminado por luzes "fantasmagóricas" verdes ou púrpuras. Os M.I.B. também teriam sido avistados em helicópteros (pretos, é claro) e até mesmo em discos voadores.
    A aparência misteriosa dos M.I.B. é complementada por relatos estranhos, como o de que teriam sido vistos cruzando um campo encharcado após fortes chuvas e chegando ao outro lado sem nenhum traço de lama em seus sapatos brilhantes. Ou então vestiriam apenas um fino casaco em dias de um frio congelante. Uma testemunha teria sido visitada por um M.I.B. que apresentava um fio verde implantado ao longo de sua perna (exposto quando a perna de sua calça subiu ao sentar-se). Um M.I.B. teria desintegrado uma moeda em sua mão, avisando à testemunha que o mesmo aconteceria com seu coração se ela contasse o que tinha visto.

    Talvez a teoria mais exótica sobre os M.I.B. diz que eles seriam representantes de uma "Nação do Terceiro Olho": "Baseados em algumas informações que conseguimos, podemos afirmar que Sírius tem estado em contato conosco por um longo tempo. De acordo com George Hunt Williamson (um dos primeiros contatados), em seu livro “Other Tongues, Other Flesh", os aliados de Sírius na terra, ou seja, as sociedades secretas, usam o Olho de Hórus como uma insígnia. Este também tem sido o símbolo dos M.I.B.. Sociedades secretas acreditam que há um local na Terra, chamado Shambala, que eles consideram o centro espiritual do mundo, também conhecido como Grande Loja Branca. Agora, teósofos tais como Alice Bailey dizem que a Grande Loja está em Sírius. Se o "Olho-Que-Tudo-Vê" é um símbolo dos aliados de Sírius na Terra, e os M.I.B. usam este símbolo, e se Shambala representa a Grande Loja Branca na Terra - então os M.I.B. são emissários de Shambala. Sírius e Shambala são dois lados de uma mesma moeda. Isto é comprovado no livro "The Undiscovered Country", de Stephen Jenkins. Jenkins ouviu de sacerdotes budistas que Shambala se localiza na constelação Órion.”.

    Origens

    Uma outra versão diz que a  primeira aparição registrada dos M.I.B. foi relatada por Albert K. Bender, editor de uma revista ufológica chamada Space Review. Em outubro de 1953, ele publicou um comunicado informando que havia descoberto informações que iriam desvendar o mistério dos discos voadores, mas não poderia publicá-las por ter recebido ordens contrárias. Bender alertou para que outros pesquisadores do ramo tomassem muito cuidado e sua revista deixou de ser publicada após este número. Mais tarde, Bender relatou, em uma entrevista, que havia sido visitado por três homens usando ternos pretos que haviam ordenado que ele parasse de publicar material relacionado a discos voadores. Esta história foi posteriormente contada em mais detalhes em seu livro "Flying Saucers and the Three Men in Black" (1962).

    Em 1956, a lenda dos M.I.B. foi reforçada com a publicação de "They Knew Too Much about Flying Saucers", livro escrito por Gray Barker. Barker era o investigador chefe da organização ufológica chefiada por Albert Bender (o International Flying Saucer Bureau), dissolvida rapidamente após a suposta visita dos M.I.B., e compilou em seu livro inúmeros relatos de encontros com M.I.B. (incluindo o de seu colega). Estes relatos viriam a ser transformados em histórias em quadrinhos por Lowell Cunningham, na década de 80.

    Gray Barker tornou-se, ao longo de seus trinta anos de carreira, um dos escritores mais prolíficos da ala mais fanática da ufologia americana. Um de seus colegas foi John Keel, escritor responsável pela introdução da abreviação M.I.B. Keel, que sugeriu a ligação dos M.I.B. com a "Nação do Terceiro Olho", escreveu o livro "The Mothman Prophecies", recentemente transformado em filme (lançado no Brasil com o título "A Última Profecia"). Neste livro, Keel apresenta um relato de supostas aparições que teriam ocorrido em uma pequena cidade americana, incluindo um misterioso pássaro gigante, ÓVNIS e, é claro, os M.I.B.

    Outro documento interessante na história dos M.I.B. foi o chamado relatório Krill, disseminado no final da década de 80. De autoria de um suposto Dr. O.H. Krill e entitulado "Um relatório a respeito de nossa aquisição de tecnologia avançada e de nossa interação com a cultura alienígena", o relatório Krill faz extensas considerações sobre os M.I.B., incluindo descrições de relatos e sua ligação com uma civilização extraterrestre em Sírius. Segundo este documento, a primeira aparição documentada dos M.I.B. teria ocorrido em 1947, nas ilhas Maury, onde dejetos caídos de um disco voador teriam sido recolhidos por oficiais americanos e colocados a bordo de um avião que viria a se acidentar durante a decolagem

    Em 1991, outro livro sobre os M.I.B. foi publicado: "The Ufo Silencers: Mystery of the Men in Black", de autoria de Timothy Green Beckley. Outro autor prolífico, a lista de assuntos abordados por Beckley é, digamos, curiosa. Defensor da teoria da Terra oca, Beckley coleciona relatos sobre o assunto em seu livro "Subterranean Worlds inside Earth". Um destes relatos é de um soldador em uma fábrica de automóveis em Detroit que começa a ouvir vozes misteriosas durante o trabalho. Investigando as vozes, ele descobre que elas vêm de uma raça subterrânea chamada "Deros" (abreviação de "degenerate robots" - robôs degenerados). Já em "Smoky God and Other Inner Mysteries", Beckley relata uma entrevista com um habitante de uma civilização subterrânea! Outros de seus livros abordam as profecias de Fátima e Nostradamus, o fenômeno ufológico e, talvez o mais interessante, o chamado Conde de Saint German, o homem mais misterioso que já viveu. A descrição é bem adequada, já que ele viveria há séculos sob uma variedade de disfarces que incluem Cristóvão Colombo e Francis Bacon (sob cuja identidade teria escrito todas as peças de Shakespeare).

    Levando em consideração os outros textos de Beckley, seu livro sobre os M.I.B. talvez não seja a fonte mais confiável de informações, mas, de qualquer forma, ele oferece um relato mais detalhado do incidente das ilhas Maury e sugere que estes seres estariam ativos há séculos. Por exemplo, ele cita a "misteriosa" origem do Selo dos Estados Unidos, que teria sido entregue a Thomas Jefferson, em uma noite em que este andava por seu jardim, por um homem vestindo uma capa preta - um M.I.B. ? O selo seria uma reprodução da cidade perdida de Petra, onde teria vivido uma raça misteriosa muito avançada tecnologicamente para sua época. Beckley também é o autor de uma foto que seria a única existente de um M.I.B., flagrado em frente à casa de um editor de uma revista ufológica.

    O outro lado da história

    Existiriam indícios de que os M.I.B. não passam de personagens fictícios, perpetuados em meio ao folclore ufológico? Sim, existem. Vamos a eles.

    Um relatório sobre as atividades da CIA relacionadas ao fenômeno UFO, elaborado pelo historiador Gerald K. Haines, revela que esta agência realmente esteve envolvida em um esforço para encobrir relatos de avistamentos de discos voadores durante a década de 50. Em 1955, a CIA deu início aos vôos do U-2 (e, posteriormente, do SR-71), um avião secreto utilizado para reconhecimento a alta altitude. Voando a alta velocidade a 60.000 pés e pintado inicialmente na cor prata, o U-2 foi responsável por mais da metade dos supostos avistamentos de UFOs no final da década de 50 e início da década de 60. Além de não poder divulgar a verdadeira natureza destes avistamentos, para não expor o U-2, a CIA enviou agentes para coletar fotos e gravações obtidas por testemunhas.

    Leia também - A Verdadeira História da Segunda Guerra Mundial

    Desta forma, é possível que o folclore do M.I.B. tenha sua origem nestes eventos reais. Isto explicaria sua descrição - homens usando ternos pretos em grandes carros negros, com uma forma mecânica (ou seria burocrática?) de se portar - o estereótipo do agente do governo americano daquela época. Mas o seu crescimento foi certamente alimentado pela imaginação, desonestidade e/ou brincadeiras de muitas pessoas.

    Tomemos Gray Barker, por exemplo, um dos grandes cultivadores do mito. Segundo John Sherwood, um de seus colaboradores, Barker atingiu a fama inventando alguns relatos, aumentando outros e incentivando outras pessoas a fazê-lo: "Gray Barker ... não se importava se as histórias de discos voadores sensacionais que publicava eram inventadas - desde que elas fossem apresentadas como fato. Para ele era tudo uma grande brincadeira."

    James Moseley também revelou a verdadeira natureza das histórias de Barker, de quem era amigo desde 1954, após a morte deste em 1984: "O público tem o direito de saber quantas fraudes de UFOs existem, como são fáceis de se armar e o que isso mostra sobre a ingenuidade do campo da ufologia". Moseley participou de várias fraudes com Gray Baker, incluindo a produção de documentos "oficiais" do governo americano e filmes falsos de UFO. Suas experiências neste campo são descritas no livro "Shockingly Close to the Truth: Confessions of a Grave-Robbing Ufologist".

    E quanto ao relatório Krill, que além de informações sobre os M.I.B. "explica" vários outros fenômenos, como as mutilações de animais? Outra fraude, uma brincadeira armada por John Lear (filho do engenheiro aeronáutico Bill Lear, criador do Learjet). Alegando que suas conexões com o governo americano haviam permitido que obtivesse documentos secretos da Força Aérea, publicou este relatório falso em um BBS voltado para fenômenos paranormais.


    Conclusão

    Bem, é claro que apesar de todas as fraudes existentes sobre este assunto, alguém sempre pode acreditar que os M.I.B. realmente existem e têm feito um excelente trabalho de encobrir seus rastros. Por outro lado, considerando a impressionante freqüência com que relatos de UFOs são publicados, os M.I.B., se existirem, não me parecem muito competentes em sua missão principal.

    Ou talvez os M.I.B. sejam tão eficientes que encobrem totalmente todos os avistamentos de UFOs verdadeiros, o que significaria que todos os casos publicados são falsos.

    De qualquer forma, para saberem exatamente quais são os casos reais dignos de sua intervenção (supondo que exista algum), os M.I.B. precisariam ter pelo menos um bom contato com os alienígenas visitantes ou então serem eles mesmos alienígenas. Neste caso, sinto-me decepcionada. Para uma civilização tão avançada a ponto de conseguir viajar de uma estrela distante até nosso planeta, eu esperaria métodos mais inteligentes de cobertura do que mandar agentes com cara de mau fazerem ameaças verbais de porta em porta...

    Descrição

    Espécie Extra-Terrena: homens de preto
    Motivo de Visita: a.k.a MIBs
    Altura: 1 metro e 60 centímetros - 1 metro e 80-90 centímetros
    Peso: 74-90 kilos (estimado)
    Olhos: sensíveis à luz, usualmente usam óculos escuros
    Cabelo: preto
    Pele: branco pálido
    Sexo: masculino
    Origem: desconhecida

    Características Peculiares:
    • Rosto sem expressões emocionais.
    • Se vestem de preto ex: chapéu, blazer, terno, casaco.
    • "Deselegante", movimenta-se como um robô.
    • Pronuncia-se em voz monótona.
    • Lábios finos.

    Homens de Preto (também chamados MIBs) são identificados como os que visitam individuais que tiveram algum tipo de contato com um O.V.N.I. e avisam a eles para não contarem à outros o que eles viram. Homens de Preto, supostamente, usam todas as opções possíveis para silenciar uma testemunha-incluindo a ameaça de
    morte, ou até mesmo a própria morte da testemunha se necessário. Esses Homens de Preto são vistos usualmente em grupos de três e são: agentes que obrigam os extra-terrestres à cumprir as ordens no planeta Terra, ou
    agentes de inteligência do governo. Os Homens de Preto são responsáveis por silenciar as testemunhas de O.V.N.I.s e assegurar que o assunto O.V.N.I. continue escondido do público.

    Os Homens de Preto trabalham como vendedores, trabalhadores utilitários (como por exemplo os encanadores, bombeiros, marceneiros), ou como agentes especiais do governo para ganhar acesso à testemunhas de O.V.N.I.
    Eles surpreendem testemunhas de O.V.N.I. atravéz de ligações via telefone e inesperadas "visitas". Os Homens de Preto são também marcados por dirigir carros antigos de cor preta das cidades de "Buicks" ou "Lincon". Eles foram imortalizados, virando mito, no filme "Homens de Preto" lançado em 1997 o qual se trata de dois agentes Homens de Preto protejendo a Terra da escória do Universo. Porém fique sabendo que Homens de Preto é, ou foi, uma realidade. O Filme apenas utilizou os fatos que já existiam...

    Teorias e conspirações

    - Em meio a um emaranhado de dúvidas, teorias, enganos e conspirações a Ufologia segue seu caminho em busca de respostas. Muitos leigos acreditam que a pesquisa ufológica envolve apenas o fato de vermos objetos voadores não identificados no céu e bizarros relatos de seqüestros por extraterrestres. Engana-se quem pensa dessa forma, a Ufologia constitui-se na verdade, em uma junção de vários temas que vão desde religião até política internacional e é exatamente nesta vertente de “conspirações” que tratarei de um tema ainda pouco explorado e de certa forma, até ridicularizado por muitos pesquisadores: Os MIB (Men in Black) ou Homens de Preto que, ao contrário da fantasiosa comédia hollywoodiana que vimos nos cinemas, mostra-se também como uma problemática real, fascinante e, principalmente, preocupante.

    Gostaria de pedir ao leitor para que, ao ler esta matéria, esqueça tudo o que foi visto no cinema a respeito desse assunto e que abra sua mente para o que será colocado aqui.

    Os chamados MIB, integram um assunto que merece a atenção da comunidade ufológica, muito mais do que é dada. Falar sobre “homens de preto” chega a ser bizarro ou aterrorizante. Alguns relatos dão arrepios na espinha, enquanto outros dão vontade de rir (!). É triste, mas em certos casos, saber o que é verdade e o que é fantasia chega a ser quase impossível.

    Os MIB não se diferem muito de qualquer outro assunto dentro da Ufologia, pois há muitas perguntas, teorias e poucas respostas. O que tentarei mostrar é uma visão do que concluí durante minhas pesquisas sobre o assunto.

    Histórias sobre os MIB são tão antigas quanto à própria Ufologia. Se formos falar sobre datas e considerarmos o dia 24/06/1947 como o início da era moderna dos discos voadores, os MIB ganham por serem mais velhos, em exatos dois dias.

    CLÁSSICO MIB: UFO DERRAMA SUBSTÂNCIA NO MAR - No dia 21/06/1947, três dias antes do caso Kenneth Arnold [N.E.: de qual marco nasceria a chamada Ufologia], o senhor Harold Dahl protagonizou um contato que ficou conhecido como “O Caso das Ilhas Maurício”.

    O senhor Dalh vinha em sua embarcação próximo a Tacoma, próximo ao Estado de Washington quando avistou seis objetos a cerca de 600m de altura. Dahl vinha com mais dois tripulantes e seu filho de 15 anos, que também presenciaram o contato. Em determinado momento, um dos objetos se aproximou mais da água e despejou o que parecia ser uma espécie de material derretido, inclusive o mesmo chegou a atingir o braço de seu filho e supostamente matar um cachorro que também se encontrava na embarcação.

    Quando os UFOs sumiram Dahl conseguiu colher uma amostra do misterioso material jogado no mar, além de ter tirado quatro fotos dos objetos não identificados. Dahl entregou as fotos para seu superior, o senhor Fred L. Chrisman, juntas com os pedaços do material colhido no mar.

    A história foi vendida para uma revista algum tempo depois, mas não ganhou muita repercussão, nem ao menos os fatos que se seguiram ao dia seguinte do contato, quando um homem vestido de terno e chapéu pretos procurou Dahl em sua casa a fim de tratar de negócios.

    Dahl não achou nada estranho, afinal ele negociava madeira e era comum que as pessoas viessem interessadas em seu trabalho. O tal homem de preto disse a Dahl onde estava hospedado e os dois marcaram um encontro. Ao chegarem no hotel, o homem o convidou para ir até um bar onde chegou a pedir um café. Dahl surpreendeu-se bastante quando, no meio da conversa o homem de preto começou a lhe relatar tudo o que havia acontecido na noite do avistamento.

    No final das conversa o estranho homem o ameaçou dizendo que ele tinha presenciado algo por acaso e para o bem de Dahl e de sua família, seria melhor esquecer o ocorrido. Para piorar a situação o avião que vinha trazendo as fotos e o material recolhido no mar se acidentou.

    Assustador? Certamente! E muito, imaginem-se na pele do senhor Dahl. Sendo ameaçados desta forma por um estranho homem desconhecido como esse? Quantos de vocês agora lendo essa matéria ignoraria a ameaça do MIB e se arriscaria levando-a ao conhecimento sua história? Muitos devem estar dizendo que não, afinal, para quê correr tamanho risco? É bom que muitos ufólogos façam essa pergunta, afinal, vamos pensar um pouco na seguinte possibilidade:

    Tomando o caso do Senhor Dalh como exemplo, podemos imaginar perfeitamente que casos como o dele aconteceram e acontecem em muitos lugares do mundo e a testemunha de um caso assim tem até um certo interesse de tornar sua história pública. Mas digamos que essa mesma testemunha receba a visita de um homem vestido de preto, com um olhar frio, postura séria e ameaçando-a e também a seus familiares, para não revelar sua experiência para ninguém? Quantas dessas testemunhas correriam o risco de revelar sua história?

    Poucas pessoas, uma parcela mínima de gente correria tal risco. Outra pergunta que surge quando o assunto é MIB e Ufologia é: “Quem estaria interessado em esconder a verdade e ameaçar pessoas dessa maneira?”. Quem é ufólogo ou no mínimo conhece ufologia, sabe: “Muitos teriam esse interesse”. Desde governos até organizações religiosas. Mas os maiores inimigos da Ufologia continuam sendo os governos nacionais, sobretudo, o norte-americano.

    Particularmente, é óbvio que qualquer pessoa minimamente informada está ciente de que o governo norte-americano tem em seu histórico diversos casos de conspirações políticas, historias mal contadas e desculpas esfarrapadas para calar a opinião pública. Não seria paranóia imaginar que a maior potência militar e política do mundo tenha um grande interesse no fenômeno UFO e que deseja estudá-lo e, logicamente, ocultá-lo, por diversos motivos que vão do político ao social. Também não seria paranóia imaginar que outras potências mundiais como os EUA queiram estudar o fenômeno UFO e, conseqüentemente, ocultá-lo da população e, possivelmente, outras nações menores, aliadas das maiores, sejam orientadas a não revelar nada a respeito do assunto UFO às suas respectivas populações.

    'Toda lenda urbana que se preze, tem boa dose de misticismo e exagero,

    quando tratamos de algo que não se pode controlar, provar ou tocar e, que só ouvimos falar'

    Leia também - Ex-astronauta americano afirma que extraterrestres existem

    ACOBERTAMENTOS & CONFUSÕES PROPOSITAIS - Sabemos que de fato ocorre e que essa manipulação política está presente em nossas vidas, não somente quando o assunto é Ufologia, mas em todos os campos de vital interesse das elites. Nós que moramos no Brasil sabemos muito bem disso. Estaria aí então o segredo dos MIB? Seriam eles, agentes secretos das mais diversas potências mundiais? Seriam eles então da CIA (Central De Inteligência Norte-americana)? Seriam do MI-6 (Serviço Secreto Inglês)? Seriam da inteligência militar de ambos os países?

    Nick Redfen, autor de The FBI Files e outras obras que denunciam o acobertamento ufológico imposto pelos governos, apresentou em 2004 um documento secreto que vazou do  Public Relations Office, o órgão responsável pela interface entre a população e o governo inglês.

    Tal documento é intitulado Política Sobre UFOs e diz claramente que o governo inglês pesquisava secretamente o fenômeno UFO, além de instruir os pilotos da RAF (Força Aérea Inglesa) para que, no caso de um contato com um UFO no ar, informasse somente aos seus superiores e evitasse qualquer comentário sobre o assunto com civis ou a imprensa.

    “Havia ordens vindas da força aérea que insinuava as testemunhas civis de contatos ufológicos a não falar sobre o tema com ninguém, exceto as autoridades, sob pena de sofrerem represálias”. O documento ainda solta outra bomba ao colocar que, “ O governo não só autorizava a intimidação, quanto os depoimentos eram distorcidos e usados para ridicularizar as testemunhas, afastando assim uma pesquisa séria sobre o assunto”.

    Isto tudo está num documento Top Secret, vazado da Inglaterra. Se este país tem uma política tão rígida a respeito do assunto UFO, não fica difícil imaginar como deve ser a dos EUA, algo bem mais secreto, requintado e violento. Talvez esse documento tenha nos ajudado a desvendar um pouco mais sobre o enigma dos MIB e oficializar o que vários ex-agentes da CIA, NSA e USAF dizem no anonimato.

    Então, por que o assunto MIB continua envolto ao mais bizarro mistério? A explicação não é fácil, tem muito mais a ver com uma questão cultural, do que mesmo com uma suposta origem mística do mito, sem considerar exageros e acréscimos que certas histórias ganham com o passar dos anos.

    Só para citar as mais diversas teorias a respeito da origem dos MIB, alguns muitos pesquisadores acreditam que eles possam se tratar de seres de origem extraterrestre disfarçados, intraterrestres, demônios, agentes da inteligência, membros de seitas ou sociedades secretas e até mesmo integrantes da Máfia.

    Castilo Rincón um auto proclamado contatado afirmou que os MIB seriam na verdade “extraterrestres criados em laboratório”. A pergunta que vos faço depois de ler estas teorias é essa: É Para Tanto? É cabível que existam tantas teorias sobre esse assunto? A resposta talvez não seria mais simples do que realmente parece. Aí é que vem a questão cultural que citei no começo.

    O CASO HERBERT HOPKINS - Toda lenda urbana que se preze, tem boa dose de misticismo e exagero, quando tratamos de algo que não se pode controlar, provar ou tocar e, que só ouvimos falar. Mas por outro lado, alguns relatos dão mesmo margens a esse tipo de teorias bizarras, frutos de boatos populares e histórias mal-contadas.

    Para ilustrar uma dessas lendas urbanas, recordemos o incidente conhecido como “Caso Herbert Hopkins”, ocorrido no Maine, em setembro de 1976. O Dr. Hopkins era hipnólogo e estava trabalhando como consultor num caso ufológico. Um dia o telefone chamou e o interlocutor se identificou como sendo o vice-presidente de um centro de pesquisas ufológicas de Nova Jersey.

    O tal homem desejava abordar a respeito de um caso que estava pesquisando. Dr. Hopkins concordou em recebê-lo em casa e conversar com ele. Mas, para sua surpresa dentro de pouco tempo o homem já estava batendo à porta de sua residência. Sua mulher e filha não se encontravam em casa e o Dr. Hopkins ficou só, à mercê daquele estranho personagem. 

    O tal homem trajava camisa branca, terno preto, sapatos e gravatas da mesma cor, luvas cinzas e um chapéu. Consta que, durante a conversa, fatos inusitados aconteceram. O homem de preto tirou seu chapéu mostrando uma careca de cor cadavérica, além de algumas vezes passar a mão pelos lábios e as luvas saírem manchadas e algo vermelho parecido com batom.

    'A CIA teve e tem grande interesse no fenômeno UFO e principalmente interesse em mantê-lo
    em segredo, além das comprovações de que esta agência usou e abusou
    de drogas alucinógenas em experiências do Projeto MK-Ultra'

    O Dr. Hopkins ficou bastante perturbado e confuso durante aquela visita, sobretudo, perante às ameaças que se seguiram contra ele. O MIB o ordenou a apagar todas as gravações que havia feito com as testemunhas sob hipnose. O mais estranho da história ocorreu quando o MIB pegou uma moeda numa das mesas da casa e a desmaterializou nas mãos, perante os assustados olhos do Dr. Hopkins. Completou ainda com a ameaça de que, se não parasse com as pesquisas ufológicas, o mesmo aconteceria com seu coração.

    Profundamente aterrorizado, consta que o Dr. Hopkins não discutiu com o MIB durante a conversa e nem questionou nenhuma de suas ameaças (ou pelo menos não se lembra disso). Ele apenas obedeceu tudo, exatamente como foi ordenado e apagou todas as fitas que continham os depoimentos das testemunhas sob hipnose e se afastou do caso de estava pesquisando.

    O mais estranho foi quando a filha e a mulher do Dr. Hopkins chegaram em casa e o encontraram profundamente perturbado, com todas as luzes da casa acesas, sentado junto a mesa sob a qual havia um revolver. Confirmaram ainda marcas de passagem de carro na estrada próxima e uma série de distúrbios telefônicos que começaram a ocorrer logo depois da visita do MIB.

    Esses detalhes da história confirmam que realmente algo de muito grave aconteceu e que não foi fruto da imaginação do Dr. Hopkins. O mais correto, seria pensar que ele realmente teve uma espécie de surto psicótico, mas, certamente, provocado pela presença do próprio MIB.

    Então, seria ele realmente uma espécie de alienígena disfarçado? A natureza do caso nos faz pensar que pode ser mesmo isso, mas antes de tirarmos conclusões é bom que certos fatos históricos sejam levados em consideração.

    Como se sabe, a CIA teve e tem grande interesse no fenômeno UFO e principalmente interesse em mantê-lo em segredo, além das comprovações de que esta agência usou e abusou de drogas alucinógenas em experiências do Projeto MK-Ultra que era (ou ainda é) um ambicioso projeto para controle da mente humana.

    Experiências com esse tipo de droga, principalmente o LSD, já eram desenvolvidas desde os anos 1960 e, em muitas das vezes, experimentadas em pessoas inocentes que não sabiam que estavam sendo usadas como cobaias, observadas, chegando em alguns casos, à morte. A CIA, em tempos atuais, responde por processos impetrados por parentes de vitimas fatais que buscam indenizações pelas mortes causadas a seus familiares que de alguma forma foram expostos a elementos nocivos ou forçados à experimentações diversas.

    Não seria ilógico pensar que o Dr. Hopkins tivesse sido dopado por alguma droga alucinógena que o induziu a ver o que viu e fazer o que fez. Pode ser o começo de uma explicação para o caso já que, assim aconteceu com um ex-piloto da USAF que inocentemente teve o azar de ler documentos secretos da NASA.

    Ao que se sabe ele foi drogado e interrogado por MIBS que também o sugestionaram a esquecer o que havia lido. Talvez aí esteja a explicação do surto psicótico que o Dr. Hopkins sofreu após o encontro com o MIB.

    Quem conhece os efeitos de uma droga como o LSD sabe do que ela é capaz de fazer: perda total e completa da realidade. Contudo, teria sido mesmo isso que ocorreu ao Dr. Hopinks? Talvez essa explicação, pelo menos, esteja um pouco mais próxima da realidade.

    'Frank Scully publicou um livro chamado Behind the Fliyng Saucer.
    Neste livro ele narra todo o Caso Aztec, onde uma nave extraterrestre teria caído
    na cidade de Aztec, Novo México, em 25 de março de 1948'
    AGENTES DO TERROR - Ameaçar testemunhas das mais diversas formas parece ser o forte dos MIB, o que, na verdade vem confirmar a natureza humana do mito.

    Um dos casos clássicos aconteceu na década de 1950 e envolveu um senhor chamado Albert K. Bender que na época mantinha um grupo de pesquisas ufológicas chamado IFSB (Birô Internacional para Investigação de Discos Voadores) e editava um folhetim informativo chamado Space Reviem dedicado a publicar noticias envolvendo UFOs.

    Leia também - Elias Seixas: Um rico caso da Ufologia brasileira

    O grupo ufológico IFSB estava em crescimento e o Space Reviem ganhava, a cada dia, novos assinantes. Até que um dia Albert Bender noticia aos quatro ventos que tinha contatado uma fonte plenamente confiável que podia dar uma explicação final para o fenômeno UFO e dar fim ao mistério dos discos voadores... E ficou por isso mesmo, por que? Porque sem mais nem menos o IFSB fecha suas portas, o folhetim Space Reviem encerra suas atividades e Albert Bender desaparece do mapa.

    Muita gente ficou sem entender coisa alguma e até mesmo assustada já que a última matéria publicada no Space Reviem dizia: “Recomendamos aos envolvidos na pesquisa dos Discos Voadores que tomem muito cuidado”. E assim esse mistério permaneceu por algum tempo.

    Anos mais tarde, Albert Bender deu uma entrevista explicando o motivo do fechamento do IFSB e do encerramento da Space Reviem. Conta ele que foi visitado por três homens vestindo ternos pretos que o ordenou a parar de publicar noticias a respeito de UFOs ou ele e sua família sofreriam muito. Albert Bender explica também que a ameaça foi tão incisiva que ele ficou aterrorizado de tanto medo. Afirmou que não conseguia comer e nem dormir, além de ter sofrido de fortes dores de cabeça depois da infame visita.
    Nota-se aqui, que Albert Bender sofreu um forte estresse logo após a visita dos MIBs, o que vem a mostrar a gravidade das ameaças em que uma pessoa é violada em seu direito de liberdade de informação e se vê impotente diante de ameaças contra sua família e contra si mesmo.

    Essas atitudes dos MIBs não tiveram nada de sobrenatural ou algo do tipo, mas mostraram-se atitudes das mais humanas e eficientes, trazendo medo e pavor a quem venha sofrê-las.

    Anos após a citada entrevista Albert Bender faleceu, alguns dizem que em circunstâncias misteriosas, outros dizem que não. Se Bender morreu pelas mãos de um MIB, esse será um fato, que infelizmente ele levou para o túmulo.

    Afinal, MIBs e mortes, até onde? Teriam eles chegado a tanto? Pessoas teriam mesmo morrido pelas mãos desses agentes do terror? Alguns casos levam mesmo a pensar neste extremo.

    James Mcdonald era professor da Universidade do Arizona e entusiasta do fenômeno UFO. Homem inteligente, reclamava muito pelo fato do congresso norte-americano tratar o assunto com descaso.

    Pesquisava alguns casos e chegou a receber ameaças anônimas por isso. Ele as ignorou. Foi encontrado morto no deserto de Del Oro, após pedir aos cidadãos norte-americanos que exigissem uma investigação oficial para o fenômeno UFO.
    Ainda na década de 1950, o pesquisador Frank Scully publicou um livro chamado Behind the Fliyng Saucer. Neste livro ele narra todo o Caso Aztec, onde uma nave extraterrestre teria caído na cidade de Aztec, Novo México, em 25 de março de 1948. O que ocorreu depois da publicação desse livro ainda deixa muita gente de cabelo em pé. Foi deflagrada pelo governo uma campanha contra a credibilidade da história e até contra a dos pesquisadores envolvidos que, além de Scully, incluía o geofísico Silas Newton e o cientista Leo Arnold Gebauer.

    'Lammer acredita que militares e agentes de serviços secretos, principalmente o norte-americano, estariam abduzindo pessoas que já foram contatadas por extraterrestres'

    A USAF e a CIA desenvolveram uma manobra de desinformação e acobertamento tão grande que simplesmente acabaram com a vida dos três pesquisadores. Eles foram processados e desmoralizados publicamente e suas vidas acadêmicas manchadas para sempre, mas o pior de tudo ainda estava por vir.

    Consta que Nicholas Von Poppen havia sido contratado para tirar fotografias do UFO caído e dos tripulantes mortos. Aceitando o segredo que o impuseram sobre o assunto, Poppen ficou calado durante vários anos, até que um dia resolveu contar tudo para seu amigo George C. Tyler.

    Impressionado com tudo o que ouviu do amigo, Tyler saiu contando para todo mundo o que sabia. Pouco tempo depois Tyler foi encontrado caído no chão do quarto onde vivia, inconsciente e com sinais de que havia lutado ferozmente com alguém, pois os móveis e objetos de sua casa encontravam-se completamente fora de ordem.

    Enquanto estava no hospital, pessoas que pareciam agentes do governo (vestidos de terno preto e gravata) foram até sua casa e realizaram uma busca em todos os seus papeis e documentos.

    Tyler morreu no hospital sem nunca ter recobrado a consciência e levando consigo a identidade do culpado pela sua morte. Vom Poppen não teve sorte melhor. Conta-se que os vizinhos escutaram barulhos de briga vindo de sua casa e mais tarde o encontraram desmaiado no chão do apartamento. No hospital, pessoas com identificações falsas entraram em seu escritório e levaram vários envelopes grandes, onde, supostamente, Poppen guardava as fotos do UFO de Aztec. Ele também morreu pouco depois de chegar ao hospital.

    CADÁVER ET - O Caso Salinas vem a mostrar com certeza, que o mistério MIB tenha provável origem humana, podendo se encontrar longe das teorias mirabolantes que falamos no decorrer deste trabalho.

    Certo dia em meados do ano de 1981 um certo jovem passeava por uma floresta, quando foi surpreendido por pequenos seres que se aglomeram aos pés dele. Assustado, o jovem pegou um pedaço de pau que encontrou no chão e acertou com ele contra um dos seres.

    Impressionado com o que viu, o rapaz pegou o corpo e o levou para casa, colocando em seguida em um vaso com formol para evitar a decomposição. A história se espalhou pela pequena cidade, muitos curiosos vieram ver o corpo, o rumo que o caso tomou deixou o jovem tão assustado que ele decidiu esconder o corpo do suposto ser no buraco no banheiro de casa.

    Segundo consta, algum tempo depois, homens se dizendo da NASA, realizaram uma busca completa pelo corpo do suposto ET, até que o encontraram e levaram embora sem dar mais explicações ao rapaz.

    Chino, como era conhecido entre os amigos, passou muitos dias triste e assustado. Uma semana depois, os homens que levaram o corpo do suposto ET procuraram Chino em uma bar onde ele freqüentava e o convidaram para ter uma conversa particular. Os homens o levaram para um matagal por onde ele passou por uma sessão de espancamento.

    “Ele apanhou e os homens além de ameaçá-lo, bateram nele com a coronha de um revolver”. Apavorado, Chino nunca mais falou do assunto com ninguém.

    PROJETO MILAB - Helmut Lammer é um ufologista austríaco que faz um excelente trabalho a respeito do envolvimento de serviços secretos, militares e o fenômeno UFO. Seu Projeto Milab, como chama sua pesquisa, trata de diversos casos envolvendo abduzidos, helicópteros negros e abduções por militares. Lammer acredita que militares e agentes de serviços secretos, principalmente o norte-americano, estariam abduzindo pessoas que já foram contatadas por extraterrestres para pesquisar e desenvolverem experiências ilegais.

    A pesquisa se Helmut Lammer tangencia com diversos casos que poriam ser muito bem interpretados como casos de Homens de Preto. São relatos de pessoas que viram homens vestidos de preto em salas médicas, escritórios e até bases subterrâneas. Contudo, em muitas dessas passagens a palavra MIB nunca é mencionada. Eles são vistos sim, como agentes de serviços secretos como a CIA e a NSA, no entanto, o teor dos casos é o mesmo.

    Na verdade, analogamente, os MIBs se mostram como figuras bem humanas, alguns são até belos e se comportavam de uma forma diplomática, que lembra sim, muito mais agentes secretos do que seres de natureza extraterrestre. O mistério dos MIBs não acaba aqui, na verdade, ele apenas começa mais uma vez, dando voltas  e mais voltas sobre si mesmo, mostrando-nos que a verdade é perigosa e se encontra muito mais longe do possamos imaginar. A Confraria dos Homens de Negro.

    PARTE 2

     

    Translate

    ptenfrdeitrues