O Japão nomeou um 'Ministro da Solidão' depois de ver as taxas de suicídio no país aumentarem pela primeira vez em 11 anos

    japaosolidao122/02/2021, por Katie Warren - O Japão nomeou um "Ministro da Solidão" na tentativa de reduzir a solidão e o isolamento social entre seus residentes enquanto o país lida com o aumento das taxas de suicídio, Tomohiro Osaki relatou ao Japan Times. O primeiro-ministro Yoshihide Suga nomeou Tetsushi Sakamoto, que já é ministro responsável por lidar com o declínio da taxa de natalidade no Japão e promover a revitalização regional, para supervisionar as políticas governamentais para lidar com a solidão e o isolamento, no início deste mês.

    O primeiro-ministro Suga escolheu Sakamoto como seu ministro da revitalização econômica quando ele foi eleito em setembro de 2020.

    "As mulheres estão sofrendo mais com o isolamento (do que os homens), e o número de suicídios está em uma tendência crescente", disse Suga a Sakamoto em uma entrevista coletiva em 12 de fevereiro anunciando o novo papel, de acordo com o Japan Times. "Espero que você identifique os problemas e promova medidas políticas de forma abrangente."

    A solidão há muito é um problema no Japão, muitas vezes discutida ao lado dos "hikikomori", ou pessoas que vivem em isolamento social extremo. As pessoas trabalharam para criar soluções de longo alcance para esse problema: engenheiros no Japão projetaram anteriormente um robô para segurar a mão de alguém quando ela está sozinha e um homem pede às pessoas que "não façam nada", exceto lhes fazer companhia.

    Aumento de suicídios durante a pandemia

    Durante a pandemia COVID-19 em 2020, com as pessoas mais isoladas socialmente do que nunca, o Japão viu um aumento no número de suicídios pela primeira vez em 11 anos. Em outubro, mais pessoas morreram de suicídio do que morreram de COVID-19 no Japão em todo o ano de 2020. Houve 2.153 mortes por suicídio naquele mês e 1.765 mortes por vírus totais até o final de outubro de 2020, de acordo com a Agência Nacional de Polícia Japonesa. (Depois de um aumento de novos casos a partir de dezembro, o Japão registrou agora 7.506 mortes por coronavírus totais em 22 de fevereiro.) Estudos mostram que a solidão tem sido associada a um maior risco de problemas de saúde como doenças cardíacas, demência e distúrbios alimentares.

    As mulheres no Japão, em particular, contribuíram para o aumento dos suicídios. Em outubro, 879 mulheres morreram por suicídio no Japão - um aumento de 70% em relação ao mesmo mês de 2019. Cada vez mais mulheres solteiras vivem sozinhas no Japão, mas muitas delas não têm empregos estáveis, disse Michiko Ueda, uma professora japonesa que estuda suicídio no Japão, à BBC na semana passada.

    Leia também - Os estranhos líquidos bebidos como se fossem álcool na Rússia e que causam milhares de mortes por ano

    "Muitas mulheres não são mais casadas", disse Ueda. “Eles têm que sustentar suas próprias vidas e não têm empregos fixos. Então, quando algo acontece, é claro, eles são atingidos muito, muito duramente”.

    O novo ministro da solidão do Japão disse que planeja realizar um fórum de emergência no final de fevereiro para ouvir as preocupações das pessoas que lidam com a solidão e o isolamento.

    "Espero realizar atividades para prevenir a solidão social e o isolamento e para proteger os laços entre as pessoas", disse Sakamoto em entrevista coletiva de 12 de fevereiro.

    O Reino Unido foi o primeiro país a nomear um ministro da solidão em 2018, depois que um relatório de 2017 descobriu que mais de nove milhões de pessoas no Reino Unido disseram que muitas vezes ou sempre se sentiam solitárias. Mas o papel parece não ser particularmente desejável, já que o Reino Unido passou por três ministros da solidão em três anos. A Austrália considerou a criação de uma posição semelhante. Se você ou alguém que você conhece está lutando contra a depressão ou teve pensamentos de auto-agressão ou suicídio, peça ajuda. A National Suicide Prevention Lifeline (1-800-273-8255) fornece suporte 24 horas por dia, 7 dias por semana, gratuito e confidencial para pessoas em perigo, bem como as melhores práticas para profissionais e recursos para ajudar na prevenção e em situações de crise.

    Fonte: https://www.insider.com/

    Translate

    ptenfrdeitrues

     

     

     Ajude a manter o site no ar.

     

    Curta O Arquivo no FacebookCurta O ARQUIVO no Facebook

    O Arquivo

    Sobre  |  Fale Conosco