Os benefícios do vinho orgânico

    vior1O vinho é uma das bebidas mais sofisticadas e apreciadas no mundo inteiro. Além de seu prestígio por seu requinte, o vinho também tem efeitos terapêuticos, que há muito tempo é objeto de pesquisas. Países como Estados Unidos, França e Dinamarca, no início da década de 1990, divulgaram que, de acordo com trabalhos científicos, foi comprovada a importância do vinho para a saúde, desde que bebido com moderação. Ele pode atuar como fator preventivo de várias doenças tais como cardiopatias e derrames cerebrais, pode aumentar a longevidade e até agir como agente antimicrobiano. Uma das pesquisas mais importantes – conhecida como o “Paradoxo Francês” – foi conduzida por pesquisadores daquele país e extensamente divulgada em 1991, no programa de TV norte-americano “60 Minutes”, da CBS.

    A pesquisa diz que os franceses – cuja dieta é rica em gorduras e a incidência de fumantes na população é alta – eram menos propensos a ataques cardíacos do que outros povos de países industrializados. Isto foi atribuído ao consumo regular de vinho, pois o álcool eleva os níveis de HDL (high density lipoprotein ou lipoproteína de alta densidade), conhecido como o “bom colesterol”, no sangue. A veiculação do estudo aumentou consideravelmente a venda de vinhos tintos no país.

    A segunda grande pesquisa sobre o assunto, em 1995, destacou os efeitos do vinho em relação a outras bebidas alcoólicas: realizada com 13 mil pessoas durante 12 anos, por cientistas dinamarqueses do Copenhagen Heart Study, a pesquisa traz evidências de que as taxas de mortalidade são menores entre pessoas que bebem vinho do que nas que tomam cerveja ou destilados. A pesquisa também demonstrou que os efeitos benéficos do vinho se estendem àqueles que bebem até cinco taças (equivalente a uma garrafa) de vinho por dia, ou seja, elevou o patamar anteriormente considerado “moderado”.

    Visando estes benefícios, foi criado o Clube do Vinho Orgânico, em Curitiba, que teve sua 15ª reunião no último dia 18. A diferença entre o vinho orgânico e o comum vai desde a plantação nos vinhedos, até a finalização do produto. De acordo com o secretário do clube, Marco Antônio Ferreira, os participantes prezam pela qualidade tanto do produto, quanto do produtor. “Os vinhos orgânicos não possuem agrotóxico nem nenhum tipo de veneno, em nenhuma parte do processo. A diferença está na concepção da vinha até o produto final. Com isso temos mais benefícios, ou seja, além do consumo saudável, de um produto que traz benefícios à saúde, nos preocupamos também com saúde do produtor e de sua família. Inicialmente havia todo um cuidado no preparo do vinho, na Itália, por exemplo, a concepção era do benefício para o produto, o produtor e sua família. Infelizmente, hoje, isso não é mais uma prioridade. Mas nós, do Clube do Vinho, estamos tentando resgatar isso. A preocupação com a saúde do produtor e de seus familiares”, explica.

    O Clube do Vinho Orgânico surgiu a partir de uma ideia entre amigos. Antes se reuniam em dias aleatórios para saborear a bebida. Depois de algumas conversas, decidiram abrir o espaço para que outras pessoas também pudessem experimentar e ter este momento agradável, de troca de ideias, de opiniões etc. “Além da divulgação e do objetivo de saborear um bom vinho, temos como foco dividir conhecimento e cultura. Por exemplo, no ano passado, quando aconteceu o terremoto no Chile, decidimos tomar vinho chileno, por três meses. Desta forma estávamos ajudando, mesmo que um pouco, os produtores que perderam praticamente tudo. Revertemos a verba assim, compramos o vinho e eles recebiam o dinheiro para poder se reerguer”, comenta.

    Outro intuito do clube é o de reunir a família. “Quando foi inaugurado, decidimos que teríamos sempre um acompanhamento, ou seja, seria um jantar e o vinho. É muito bom também porque nossos filhos, por menores que sejam, podem não tomar o vinho, mas estão em meio a conversas boas, ou seja, estão ouvindo pessoas inteligentes, com boas ideias e com boas intenções, o que de certa forma é um ensinamento para eles. Sem contar que praticamos o consumo de produtos saudáveis e eles aprendem isso também”, finaliza Marco.


    Suco de uva e vinho tinto orgânico: benefícios

    vior


    O suco de uva integral e o vinho tinto são extraídos da uva roxa, frutinha rica em um poderoso polifenol: o resveratrol. Essa substância característica dessas duas bebidas emagrece, dá mais saúde ao coração e faz viver mais. Por isso, o suco e o vinho podem ser grandes aliados do organismo.Um estudo realizado na Maastriche University Medical Center, Holanda, analisou durante 30 dias a evolução de pessoas obesas que consumiam uma dosagem específica de resveratrol. O resultado da pesquisa foi que, mesmo sem mudar a dieta ou o hábito de se exercitar, houve uma significativa redução de gordura e inflamação do organismo das pessoas analisadas. Além disso, a queima de gordura se manteve a mesma durante 24 horas, incluindo períodos onde descansavam ou dormiam. O resultado: os músculos dos participantes aumentaram de forma significante sem muito esforço.

    Segundo a nutricionista Flávia Cyfer, o mesmo resveratrol tem ainda a capacidade de aumentar o tempo de vida. “É comprovado cientificamente que para viver mais, precisamos comer menos. Isso porque, quando a gente come, o processo de digestão conta com a produção de radicais livres. Comendo menos, produzimos menos e ativamos um conjunto de proteínas que se chamam cirtuinas, diretamente associadas à longevidade porque reparam as células e protegem dos radicas. O resveratrol faz uma atividade semelhante a essas cituinas no organismo, retardando o envelhecimento”, ensina a especialista. A profissional apontou ainda o resultado de um estudo que mostrou que, ao injetar resveratrol em uma célula, ela aumentou seu tempo de vida em 80%. Por isso pode ser tão importante incluir essa substância no cardápio, seja através do suco de uva, do vinho tinto ou ainda através das cápsulas com suplemento de resveratrol.


    Saiba quais as diferenças entre vinho natural, orgânico e biodinâmico


    O que é o vinho natural?

    Primeiro vamos começar com uma definição simples. O que chamamos de vinhos naturais são vinhos feitos com o uso mínimo possível de produtos químicos, aditivos e procedimentos tecnológicos. Isso inclui pesticidas, bem como enxofre ou qualquer um dos quase 200 aditivos permitidos legalmente. E isso inclui muitas manipulações tecnológicas de vinho que achamos que apaga a individualidade do produto e o lugar que chamamos de o “terroir”. Nossa definição de vinho natural é parecida às leis alemãs de pureza da cerveja, onde a cerveja pode ser feita apenas de água, cevada e lúpulo. Vinho puramente natural, é feito de suco de uva e pouco mais.

    Há muitas maneiras para um vinho ser considerado natural. Elas incluem o cultivo da uva orgânica e biodinâmica. Mas o cultivo da uva é apenas isso: o que é feito nos campos. O vinho para ser realmente natural deve continuar na adega até o engarrafamento.

    Vinho orgânico

    Cultivo orgânico da uva significa que pesticidas ou produtos químicos não são usados na vinha. Ironicamente, no entanto, muitas vezes, quando orgânico é indicado no rótulo de um vinho, o vinho muitas vezes não é tão natural assim; já que existem muitas pessoas que cultivam produtos orgânicos, mas não são legalmente certificadas. Uva orgânica crescendo é essencial mas pode-se adicionar qualquer coisa durante a vinificação e manipular com tecnologia e ainda manter a certificação orgânica no rótulo. O motivo é que a certificação é cara e muitos produtores pequenos, artesanais que produzem orgânicos de verdade; não acham necessário pagar. Para se certificar, eles devem pagar uma taxa administrativa da França e nos Estados Unidos.

    Vinho biodinâmico

    Uvas biodinâmica é um tipo de viticultura biológica que usa preparações especiais de sprays à base de plantas e adubos e o tempo de suas aplicações funcionam de acordo com o calendário lunar. Os produtores biodinâmicos olham para a sua terra como um ecossistema de vida completa, como um ser vivo que precisa da biodiversidade para ser saudável. Produtores de vinho biodinâmicos muitas vezes também vivem e trabalham em uma fazenda, com campos de trigo, animais,árvores frutíferas, bosques e vinha se esforçando para ser auto suficiente. O solo é considerado um organismo de vida própria e parte do contexto dos ritmos lunares e cósmicos.

    Vantagens

    Gosto: todo vinhedo é capaz de produzir um grande vinho. Mas a agricultura orgânica , natural são o caminho para tirar o melhor proveito de uma vinha, seja qual for o seu potencial.

    Saúde: certamente é melhor para saúde. Viticultores convencionais afirmam que os diversos produtos químicos utilizados na produção estão presentes em pequenas quantidades inofensivas. No vinho natural, não ha nada que não venha da uva.

    Custo: o vinho natural tem um melhor custo-benefício.Muitos enólogos naturais operam fora do sistema de denominação .Estes vinhos só podem ser rotulado vinho de mesa , no entanto eles são bons, e com um excelente valor.

    Impacto ambiental: o vinho natural é melhor para o ambiente pois provém de uma agricultura sustentável.

    Dinheiro bem gasto: um enólogo natural é um verdadeiro artesão.Seu trabalho requer habilidade, paciência e coragem com pequenas recompensas financeiras e merecem o nosso apoio.

    Abaixo alguns rótulos brasileiros para você apreciar.

    Espumantes

    Angueben Brut
    Cave Geisse Nature
    Cave Geisse Rosé Brut

    Tintos

    Angueben Barbera
    Angueben Pinot Noir
    Minimus Anima
    Fúlvia Cabernet Franc
    Fúlvia Pinot Noir


    Fonte: http://portalctea.com.br/
             www.bolsademulher.com

    Translate

    ptenfrdeitrues